ANÚNCIOS AUTOMÁTICOS

Inscreva-se no meu canal

LIÇÃO 08 - NAAMÃ É CURADO DA LEPRA

Texto Áureo: “Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou, como a carne de um menino, e ficou purificado.” (2 Rs 5.14)
Leitura Bíblica em Classe: 2 Reis 5.1-10,14,25-27

Introdução: A graça de Deus está focada nessa passagem bíblica envolvendo Naamã o comandante sírio, que como muitos leprosos tanto em Israel, como também em outros lugares e nesse caso a Síria, sofriam desse mal incurável. Como Deus que conhece o profundo e o oculto de cada indivíduo, entre tantos leprosos, Naamã mesmo não sendo israelita achou graça aos seus olhos para ser abençoado com a cura do seu mal, como também receber a bênção da salvação ao se converter ao Deus de Israel. Deus sabe quem tem propensão para aceitá-lo e usa os seus meios para os que tem essa propensão venha se render a ele. Como se diz: ou vem pelo amor ou pela dor. A lepra de Naamã foi o que contribuiu para a sua salvação.
1. NAAMÃ TINHA AUTORIDADE TERRENA, MAS PRECISAVA DA AUTORIDADE DIVINA.
2 Reis 5.1  E NAAMÃ, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu senhor, e de muito respeito; porque por ele o Senhor dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.
Naamã tinha muita autoridade como comandante do exército Sírio, onde todos lhe obedeciam prontamente, mas não tinha autoridade para ordenar que o mal que estava no seu corpo lhe obedecesse. Ele era um homem gentio e inimigo de Israel o qual atacou levando alguns israelitas como escravos para a Síria, inclusive meninas para servirem nas casas das autoridades, como uma que ele levou para servir em sua própria casa. Ele não tinha conhecimento algum da graça soberana de Deus, mas nos planos do Senhor ele iria conhecer essa graça iniciando através do testemunho desta menina.  O centurião de Cafarnaum, que tinha toda autoridade sobre os seus soldados e os seus serviçais, testificou que só quem tem autoridade espiritual era Cristo, o qual pediu que só queria uma palavra para que seu servo ficasse curado e foi justamente o que aconteceu.   
2. NAAMÃ ERA UM PECADOR QUE TINHA PROPENSÃO PARA SE ENTREGAR A DEUS
2 Reis 5.2  E saíram tropas da Síria, da terra de Israel, e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã. 2 Reis 5.3  E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra. 2 Reis 5.4  Então foi Naamã e notificou ao seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel. 2 Reis 5.5  Então disse o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. E foi, e tomou na sua mão dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez mudas de roupas. 2 Reis 5.6  E levou a carta ao rei de Israel, dizendo: Logo, em chegando a ti esta carta, saibas que eu te enviei Naamã, meu servo, para que o cures da sua lepra.
Naamã era o segundo em poder após o Rei Ben-Hadade da Síria, como muito prestígio, autoridade e riqueza, mas nada disso adiantava, pois era um homem condenado à morte pela doença incurável que tinha em seu corpo. O mal que estava alojado em seu corpo, somente o poder do Deus de Israel podia curá-lo. Dentro dos planos de Deus para fazer uma obra na vida de Naamã, o Senhor permitiu que ele levasse uma menina israelita para a sua casa onde serviria a sua esposa, porém uma menina temente a Deus e que conhecia os feitos de um verdadeiro homem de Deus, o profeta Eliseu. Ela confiava no Deus de Israel e com ousadia testificou desse Deus para a mulher de Naamã com a certeza e fé de que o seu marido ficaria curado da lepra se ele fosse ao encontro do profeta Eliseu. Imaginem o que aconteceria a menina se o que ela disse não acontecesse, mas ela era dotada de uma fé verdadeira e não ficaria frustrada.
3. NAAMÃ VENDO A POSSIBILIDADE DE CURA NÃO MEDIU ESFORÇOS PARA RECEBER.
2 Reis 5.7  E sucedeu que, lendo o rei de Israel a carta, rasgou as suas vestes, e disse: Sou eu Deus, para matar e para vivificar, para que este envie a mim um homem, para que eu o cure da sua lepra? Pelo que deveras notai, peço-vos, e vede que busca ocasião contra mim. 2 Reis 5.8  Sucedeu, porém, que, ouvindo Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel.
A menina como instrumento divino, foi usada no seu testemunho que convenceu a mulher de Naamã, que por sua vez convenceu o seu marido a ir ao encontro do profeta. Através desse testemunho Naamã se encheu de esperança e imediatamente com autorização do seu Rei escrita numa carta partiu indo entregar a carta ao rei de Israel, o qual entendeu mal o teor da carta, até ser interpelado por Eliseu, o qual lhe abriu os olhos para saber que o negócio era com ele, o profeta de Deus e não com o rei de Israel. Esse rei mergulhado na idolatria não tinha qualquer discernimento espiritual e não sabia que era o próprio Deus operando.
4. NAAMÃ HAVIA BUSCADO AJUDA, MAS A CURA SÓ VIRIA COM QUEBRANTAMENTO.
2 Reis 5.9  Veio, pois, Naamã com os seus cavalos, e com o seu carro, e parou à porta da casa de Eliseu. 2 Reis 5.10  Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado. 2 Reis 5.14  Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado.
Talvez para tentar impressionar o profeta Eliseu, Naamã veio com um grande contingente de soldados e muitos muitos recursos valiosos para dar ao profeta, provavelmente com a intenção de pagar pela cura pretendida. Na sua ignorância com as coisas de Deus ele imaginou que bênçãos se compra, como muitos mercenários do evangelho induzem o povo leigo a pensar dessa maneira. Na verdade, a cura de Naamã tinha um preço, mas não de ordem material e sim de ordem espiritual, a qual estava condicionada a obediência à palavra do profeta, como porta voz de Deus. Na sua soberba ele a princípio chegou a ridicularizar a exigência de dar sete mergulhos no rio Jordão, mas foi dissuadido pelos seus conselheiros a obedecer. Em cada mergulho a sua vida foi tendo uma transformação espiritual e isso foi fundamental para que o milagre da cura fosse realizado.
5. GEAZI COM A SUA SUA DOENÇA EXTERNA TIPIFICOU A SUA DOENÇA INTERNA.
2 Reis 5.25  Então ele entrou, e pôs-se diante de seu senhor. E disse-lhe Eliseu: Donde vens, Geazi? E disse: Teu servo não foi nem a uma nem a outra parte. 2 Reis 5.26  Porém ele lhe disse: Porventura não foi contigo o meu coração, quando aquele homem voltou do seu carro a encontrar-te? Era a ocasião para receberes prata, e para tomares roupas, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas? 2 Reis 5.27  Portanto a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua descendência para sempre. Então saiu de diante dele leproso, branco como a neve.
A doença externa pelo juízo divino foi a lepra, e foi o pecado que era a sua doença interna que motivou a sua doença externa. O profeta Eliseu não aceitou os presentes que Naamã lhe ofereceu, não por indelicadeza, mas como uma forma de mostrar que Deus não cobra pelos milagres que realiza, pois tudo que Ele faz é pela sua graça e misericórdia e foi isso que Naamã alcançou do Senhor. Foi quando Geazi, cheio de ganância escondido de Eliseu, foi até o Naamã e pediu os presentes para ele próprio. Estamos rodeados de uma grande nuvem de testemunhas, que nada que fazemos em oculto deixará de ser revelado. Nessa grande nuvem de testemunhas, tem as físicas oculares, os anjos de Deus, os anjos caídos de Satanás e a principal que é o próprio Deus, que sabe tudo que ocultamos em nossos corações. Diante disso nada que está oculto deixará de ser revelado. Aquele que usa de engano não permanecerá em minha casa, diz o Senhor.

Pastor Adilson Guilhermel


CORRESPONDENTE