Google Adsense automático

Translate

DOAÇÕES - BLR - QUER ENVIAR UMA OFERTA? FAÇA PELO PIX CEL - (13) 997518304

DONATE - USD

Inscreva-se no meu canal

LIÇÃO 06 - EXPRESSANDO PALAVRAS HONESTAS

 LIÇÃO 6 - EXPRESSANDO PALAVRAS HONESTAS.

Texto Áureo: “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna”. (Mt 5.37)
Leitura Bíblica em Classe: Mateus 5.33-37

Introdução: Neste estudo vemos Jesus abordando a questão do juramento, prática esta que era muito usada pelos judeus e que precisava ser melhor interpretada, dentro do padrão do Antigo Testamento e que por tradição dos homens foi pervertida. Para a igreja o juramento não deve ser usado pelo cristão, porque todo cristão deve desenvolver um caráter íntegro e honesto, para que a sua palavra seja aceita com um simples sim, ou um simples não, pois o que passa disso é de procedência maligna, como diz a palavra de Deus. Tem pessoas que são viciadas em jurar por qualquer coisa, como, pela mãe, pelo pai, pelo filho, por Deus, em qualquer conversa que deseja afirmar algo que procede ou improcede, ou até mesmo mentindo usa desse expediente. Faz isso por ignorância, sem saber das consequências dessa prática, que é gravíssima aos olhos do Senhor, quando não é cumprido. A advertência aqui para o cristão é para não jurar por ninguém, pois tudo o que usar no seu juramento está relacionado com Deus, que é o criador de todas as coisas e dessa forma devemos nos conscientizar da implicância grave que pode nos acarretar.

1. EVITE USAR O NOME DE DEUS EM VÃO PARA VALIDAÇÃO DE JURAMENTO.
Mateus 5.33 – Outrossim, ouvistes o que foi dito aos antigos: Não perjurarás, mas cumprirás teus juramentos ao Senhor.
Perjurar é quebrar um juramento e não cumprir uma promessa. Quem usa o nome de Deus em juramento e perjurar, não será considerado inocente pelo Senhor, pois fazendo assim está infringindo um mandamento ficando assim em pecado. Fica nesta condição porque infringe o terceiro mandamento que diz para não tomar o nome de Deus em vão, portanto é melhor não colocar o nome de Deus em juramento, pois se trata de algo muito sério e grave se o indivíduo deixar de cumprir o que jurou. O perjúrio é um pecado que por ignorância, muitos acabam cometendo sem dar conta da sua gravidade. O cristão precisa saber que ao fazer um juramento a outro irmão, tem mais alguém que testemunhou, que é o próprio Deus, que é a testemunha do ato, daí, o não cumprimento de um juramento incorrerá em juízo pelo perjúrio. Portanto se quebrarmos um juramento que é ratificado pelo Senhor, não mentimos somente ao irmão, mas também a Deus e o mentiroso fica na condição de filho do Diabo, pois o Diabo é o pai da mentira. É bom lembrar que o Diabo sabe das consequências danosas para quem faz um falso juramento ou mesmo não sendo falso, ele vai agir de uma forma para que o juramento seja rompido. É recomendável que de maneira alguma alguém venha jurar em falso, como também os juramentos intempestivos e desnecessários. Não que o juramento seja pecado, desde que seja cumprido. Em tribunal cível a testemunha precisa prestar juramento perante o juiz e se ela cometer perjúrio será enquadrada na forma da lei, assim é para o cristão que jura por Deus, pois se cometer perjúrio também sofrerá as consequências disso.
2. NÃO HÁ NADA QUE JUREMOS QUE NÃO ESTEJA RELACIONADO COM DEUS.
Mateus 5.34 – Eu, porém, vos digo que, de maneira nenhuma, jureis nem pelo céu, porque é o trono d e Deus, Mateus 5.35 – nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés, nem por Jerusalém , porque é a cidade do grande Rei, Mateus 5.36 – nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto.
Cristo determina com rigor a questão do juramento entre cristãos não deve ser praticado de maneira alguma, a não ser quando estivermos obrigados a isto, no que envolve a justiça cívil num tribunal. No caso de uma intimação judicial e perante o juízo é obrigatório o juramento, mas não devemos nos ater a isso, em caso entre cristãos. Devemos nos conscientizar da seriedade do que foi determinado por Cristo em relação a juramentos superficiais e irreverentes em conversações comuns, como era uma prática entre os judeus. Alguns para evitar jurar usando o nome de Deus, se limitavam a jurar pelo céu, pela terra, só ignoravam que todas as coisas no céu e na terra estão relacionadas com Deus, o qual é a origem de todos os seres, e portanto é igualmente grave jurar usando dessa estratégia pensando que não haveria implicações, no caso de falhar na sua promessa feita sob juramento. O céu e tudo que nele há pertence ao Senhor, e a terra e tudo que nela há também pertence ao Senhor, portanto do juramento envolvendo coisas materiais ou físicas estão relacionadas com Deus, pois Ele é o Criador de tudo. Toda mentira é contra Deus e, portanto, cada juramento falso desonra o nome de Deus. O destino de todos os mentirosos é o lago de fogo.
3. NA LEI SE JURAVA, NA GRAÇA A NOSSA PALAVRA É SIM, SIM E NÃO, NÃO.
Mateus 5.37 – Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna.
É preciso que todo cristão entenda para o seu bem, que o padrão imutável, como também absoluto de Deus é que sejamos verdadeiros e sinceros em tudo, se quisermos estar em comunhão com Ele. Na carta de Tiago ele diz: não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, ou com qualquer outro juramento, mas deixe o seu sim, sim, e o vosso não, não, de modo que que você não venha a cair em juízo. Jurar era uma prática comum entre os judeus e, em decorrência disso, muitos caiam no pecado de injúria, o que era extremamente perigoso para eles, pois se tratava de um pecado que os levava a ser réus de juízo. Embora eles tinham sempre o cuidado de não colocar o nome de Deus em seus juramentos, a fim de não cair em perjúrio, então juravam pelo céu, pela terra, por Jerusalém ou até pela própria cabeça. Porém Jesus ensinou ser impossível evitar envolver Deus nesses juramentos, pois Ele está presente em tudo e desta forma se falharem no seu juramento, eles incorrem em pecado, e pecado com consequências gravíssimas. O verdadeiro cristão portador de um caráter íntegro, não precisa fazer qualquer tipo de juramento e, nem deve, pois basta somente dizer sim ou não para as pessoas acreditarem nele, pois qualquer outra coisa é de procedência maligna.  

Elaborado exclusivamente pelo texto bíblico da lição.
Pastor Adilson Guilhermel