Propaganda

LIÇÃO 05: CONTRA OS FALSOS PROFETAS

LIÇÃO 05: CONTRA OS FALSOS PROFETAS 

Texto Áureo:‘E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.” (2 Pe 2.1)

Leitura Bíblica em Classe: Ezequiel 13.1-10

Introdução: Quanto aos falsos mestres, ou profetas, se incluem todas as eras, tanto na antiga aliança, como na nova aliança. Isso foi uma realidade e continua sendo em nossos dias, para que, quando virmos falsos profetas se erguendo contra a verdade de Deus, eles devem ser desacreditados, pois a palavra de Deus é imutável. Daí a necessidade de todo cristão se aplicar no estudo da palavra, pois quem conhece a verdade não vai se deixar persuadir com palavras da sabedoria humana. Assim como Deus tem os seus verdadeiros profetas, também Satanás tem arrebanhado para si falsos profetas que militam sob a sua bandeira. Como isso é uma realidade, cabe aos cristãos serem vigilantes de modo a não se deixar levar pelas suas fraudes ocultas, porque por mais que elas sejam convincentes, não serão suficientes para enganar os que cuidadosamente vigiam. Como filhos de Deus devemos considerar todo tipo de heresia, que são ensinos escolhidos por eles mesmos, que não emanam de Deus, como infames e odiosas; porquanto estamos vinculados com a simples verdade. Deus nos quer como um povo separado de todas as contaminações do mundo, com nossa devoção voltada à santidade que é essencial. A doutrina do Evangelho deve ser completa e integral em nosso meio e isso é algo que devemos mentalizar e, isso é o que Satanás com os seus falsos profetas introduzidos no meio cristão procura deturpar. Os que se deixam levar pelas falsas doutrinas acabarão trazendo sobre si a vingança que Deus trará após a descida repentina de Cristo para levar o seu povo a salvo. 

1. O FALSO USA PROFECIA DA MENTE SEM NADA HAVER COM O ESPÍRITO

Ezequiel 13.1 – E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Ezequiel 13.2 – Filho do homem, profetiza contra os profetas de Israel que são profetizadores e diz aos que só profetizam o que vê o seu coração: Ouvi a palavra do SENHOR. Ezequiel 13.3 – Assim diz o Senhor JEOVÁ: Ai. dos profetas loucos, que seguem o seu próprio espírito e coisas que não viram! Ezequiel 13.4 – Os teus profetas, ó Israel, são como raposas nos desertos. Ezequiel 13.5 – Não subistes às brechas, nem reparastes a fenda da casa de Israel, para estardes na peleja no dia do SENHOR.

Ezequiel denuncia sobre as falsas esperanças do povo em Jerusalém iludidos com o que pregavam os falsos profetas. Ezequiel já exilado em Babilônia estando em Quebar envia uma carta aos desterrados, contra os falsos profetas que atuaram contra os verdadeiros profetas em Jerusalém, sendo o mais proeminente, o profeta Jeremias. Jeremias teve um ministério sofrível justamente pela atuação desses falsos profetas que iludiam o povo com falsas esperanças jogando esse mesmo povo contra o profeta do Senhor. A profecia falsa é como um veneno de efeito retardado e, ela foi forte em Jerusalém, como também se estendeu até o povo exilado em Babilônia. Entre as suas táticas era profetizar o que o povo desejava; pois o povo queria ser enganado, como muitos em nossos dias tem a mesma mentalidade. Como diz o Senhor pela boca do profeta Oséias: o meu povo perece por falta de conhecimento, assim aconteceu com os judeus em Jerusalém, que ao invés de ouvir o profeta de Deus que tinha duras mensagens, preferiram as mensagens enganosas dos falsos profetas. O povo queria ser enganado, então era enganado. O povo se tornou indesculpável, pois tendo profetas verdadeiros, os quais não falam o que pensam, pois são movidos pelo Espírito Santo, o povo em si, não lhes deram ouvidos. Falsos profetas são como raposas do deserto, as quais são vorazes e ardilosas para conseguir o que comer, o que se compara aos falsos profetas com suas mentes desenfreadas, ávidos por lucros obtidos através de enganos. Como eles não aconselhavam o povo a se arrepender, as rupturas nos muros não eram fechadas e isso facilitava a entrada dos inimigos, porém os verdadeiros têm o compromisso de aconselhar o povo a se arrepender, pois estes são os restauradores de rupturas. Assim, violando a lei dando crédito aos falsos profetas o povo não repararam as suas rupturas com as advertências dos verdadeiros profetas, isso nos faz lembrar que o inimigo só entra pelas brechas. 

2. O FALSO DIZ ASSIM DIZ O SENHOR, SEM QUE O SENHOR O TENHA DITO.

Ezequiel 13.6 – Veem vaidade e adivinhação mentirosa os que dizem: O SENHOR disse; quando o Senhor os não enviou; e fazem que se espere o cumprimento da palavra. Ezequiel 13.7 – Não vedes visão de vaidade e não falais adivinhação mentirosa, quando dizeis: O SENHOR diz, sendo que eu tal não falei? Ezequiel 13.8 – .Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Como falais vaidade e vedes a mentira, portanto, eis que eu sou contra vós, diz o Senhor JEOVÁ.

É fácil para os falsos profetas enganar o povo dizendo o Senhor manda falar, ou o Senhor está me revelando e outros jargões já conhecidos, mas não é fácil pregar a mensagem com exortações, admoestações e confrontando o povo que está em direção contrária para trazê-los para o caminho certo. A chamada divina para o ministério profético não pode ser usurpada por quem não foi credenciado nem recebidos dons necessários para este ofício. Muitos querem ser o que não podem e com arrogância, inventam mensagens sem recebê-las do Senhor, não sabendo que estão trazendo juízo para si próprio. O dia do juízo estava chegando e apesar das advertências, para que se arrependesse dado pelos profetas do Senhor, o povo continuava dando ouvidos aos falsos. O que Deus esperava deles é que se arrependessem buscando orando pedindo o seu perdão, o que poderia deter a sua vingança, mas como eram de dura cerviz não se conscientizaram em se arrepender. Como muitos até nos dias de hoje, que na sua espraiada ignorância estão esperando que aconteça, porém assim como foi com eles, também será com a igreja, mas aí, será tarde demais. Deus disse que viria contra eles, para os castigar pela profanação ao seu nome, assim como ele virá para a igreja inclinada e iludida pelos falsos profetas, que atenta mais para a mentira do que para a verdade. 

3. O FALSO IRÁ A JUÍZO POR NÃO ESTAR REGISTRADO NO LIVRO DA VIDA. 

Ezequiel 13.9 – E a minha mão será contra os profetas que vêem vaidade e que adivinham mentira; na congregação do meu povo, não estarão, nem nos registros da casa de Israel se escreverão, nem entrarão na terra de Israel; e sabereis que eu sou o Senhor JEOVÁ. Ezequiel 13.10 – Visto que, sim, visto que andam enganando o meu povo, dizendo: Paz, não havendo paz; e um edifica a parede de lodo, e outros a rebocam de cal não adubada.

 Os falsos profetas também foram comparados por Ezequiel com trabalhadores que não conseguem construir algo duradouro. Havia uma parede espiritual que sempre protegeu os judeus através dos séculos, mas por rejeitarem as advertências e orientações dos profetas ela se transformou em ruínas e, apesar dos esforços dos profetas em reconstruí-las nada conseguiram pela dureza de coração do povo. Toda essa dureza de coração do povo era consequência de darem ouvidos aos falsos profetas que nutriam neles uma esperança enganosa, mas que acreditavam. Era como trabalhadores que maquiavam uma parede usando cal, para dar uma aparência de forte, mas na realidade não tinham qualquer consistência para resistir a destruição que estava por vir. Na condição que estavam acreditando nos falsos profetas e suas mensagens enganosas, não resistiriam a ira de Deus que estava por vir. A maior qualificação para identificar um profeta verdadeiro é que tenha chamada divina e capacidade doutrinária, com ousadia para falar às pessoas aquilo que precisam ouvir, ao contrário dos falsos profetas que dizem o que o povo quer ouvir. Quem é verdadeiro profeta de Deus tem a doutrina para construir alicerces sólidos nesse grande edifício espiritual, que é a igreja do Senhor. O falso profeta não constrói nada sólido, pois é mercenário e, o que faz não tem qualquer consistência. Quanto aos que estavam no exílio, Deus disse que não voltaria a Jerusalém ao final dos setenta anos e seriam deixados lá até a sua morte. Aquele que usa de engano não ficará, não irão para o céu, pois serão tidos como refugos e irão para o juízo final.

Pastor Adilson Guilhermel


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com o Pastor