Inscreva-se no meu canal

LIÇÃO 11 - O PRESBÍTERO, BISPO OU ANCIÃO



O PRESBÍTERO, BISPO OU ANCIÃO

Lição 11 - 13 de Junho de 2021
Texto Áureo: Tito 1.5 Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei:
Leitura Bíblica em Classe: Tito 1.5-7; I Pedro 5.1-4

PRESBÍTERO, BISPO OU ANCIÃO SÃO TERMOS SINÔNIMOS DE UM SÓ OFÍCIO.

Introdução: A questão do ofício de Presbítero, Bispo e Ancião não tem sido entendida por muitos como é notório observar no meio evangélico. Embora haja uma diferenciação na questão do título, não há uma diferenciação na questão do ofício, pois todos exercem uma mesma função no sentido de Igreja. É bom lembrar que não é um ministério de Cristo, pois os ministérios de Cristo são os cinco que envolveram os apóstolos e que envolvem os profetas, evangelistas, pastores e mestres. Nos primórdios da Igreja em decorrência da sua expansão não havia tantos ministros, ou seja, pastores, evangelistas para serem designados a esses novos campos de trabalho. Isso se motivou pelo fato de que não se ordenava ministros do evangelho de qualquer maneira por ser um ministério de Cristo e, a consagração de um ministro, requer uma chamada ministerial vinda de Cristo. Nos dias de hoje é comum se consagrar pessoas não qualificadas para esse ofício, o que é algo que vai contra a palavra de Deus. Agora, voltando aos primórdios da Igreja, entende-se que dado a escassez de ministros houve uma orientação divina aos seus apóstolos, principalmente o apóstolo Paulo, para que seus ministros ordenassem presbíteros, bispos e anciãos para exercerem esse ofício no pastoreio das igrejas que se expandiram rapidamente naquela época. Hoje tem pastores que ordenam vários homens a esses ofícios, apenas para serem figurantes no altar.
1 - ORDENAÇÕES DESSE OFÍCIO SÓ É NECESSÁRIA QUANDO HÁ EXPANSÃO DA OBRA - Tito 1.5 Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei:

* As ordenações para esse ofício só podem ser feitas em extrema necessidade - A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro. 1 Timóteo 5:22

Essas ordenações só eram realizadas naqueles tempos, quando se faziam necessárias como vemos pela orientação do apóstolo Paulo a Tito. O pastor tem essa prerrogativa de escolher e separar obreiros para esse ofício, sempre observando o caráter do candidato. O ministro do evangelho precisa de sabedoria e de orientação espiritual para escolher homens que ocuparão esses ofícios. Nunca se deve agir de modo impulsivo e colocar um desclassificado ou imaturo em um cargo de responsabilidade espiritual. O ministro deve investigar com todo cuidado a vida dos candidatos a esses ofícios, a fim de se certificar de que não há nada mais sério e fora de ordem. Ordenar presbíteros com pecados na vida é o mesmo que ter parte nesses pecados. Se uma ordenação for feita impulsivamente e o resultado disso for desastroso, quem o fez impondo precipitadamente as mãos, será mais culpado que o próprio ordenado ao ofício.

2 - A ALTA RESPONSABILIDADE DESSE OFÍCIO REQUER CONDUTA EXEMPLAR  NA FAMÍLIA - Tito 1.6 Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes.

* Essa ordenação é só para casados com um bom testemunho como chefe de família - (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus? ); 1 Timóteo 3:5

Algo importante que deve ser investigado quando na separação para esse ofício, é o seu comportamento no âmbito familiar. Antes de fazer uma ordenação, o ministro deve apurar sobre a vida do candidato, junto aos seus próprios familiares e com outras pessoas que o conheçam, para saber se está tudo em ordem na sua vida. É importante que o candidato a esse ofício seja casado e se possível que tenha filhos. Se os próprios filhos do indivíduo não lhe obedecem nem o respeitam, dificilmente sua igreja obedecerá e respeitará a sua liderança. A igreja e o lar devem ser uma coisa só para o cristão. Isso envolve administrar ambos com amor, verdade e disciplina. O presbítero não pode ser uma pessoa em casa e outra na igreja. Se isso acontecer e for descoberto, ele irá enfrentar grandes problemas, tanto no âmbito familiar, como na igreja.

3 - NESSE OFÍCIO NÃO HÁ LUGAR PARA HOMENS DE TEMPERAMENTOS DESCONTROLADOS - Tito 1.7 Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância;

* A ordenação para esse ofício exige critério rígido na questão de personalidade - E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis. 1 Timóteo 3:10

Um presbítero não pode possuir patrimônios resultantes de recursos obtidos fraudulosamente da igreja de Cristo. Uma característica importante no presbítero é a sua fidelidade, pois deve usar tudo o que lhe é confiado para o bem e para a glória de seu Senhor, e não para os próprios interesses. Deve saber que tudo que ele tem vem de Deus e deve ser usado nas coisas de Deus. Seu tempo, seus bens, e talentos lhe foram dados como empréstimo pelo Senhor, e ele deve ser fiel aos usar todos esses recursos para honrar a Deus e edificar a Igreja. Essa condição vem demonstrar a importância desse ofício e os critérios rígidos exigidos para uma ordenação ao presbitério. Ninguém pode ser ordenado a esse ofício, sem passar por várias provas, para saber se pode ser aprovado.

4 - ESTE É UM OFÍCIO PARA QUEM É QUALIFICADO A DOUTRINAR, CUIDAR E GUIAR A IGREJA - I Pedro 5.1 AOS presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar:

* Quem não tem preparo teológico para esse ofício não pode ser ordenado - Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. 1 Timóteo 3:6

O próprio apóstolo Pedro humildemente se colocava na posição de um presbítero como um exemplo significativo para todos os pretensos candidatos ao ofício e aos que já haviam sido ordenados. A precipitação numa consagração envolvendo um neófito, ou seja, alguém sem preparação teológica pode trazer grandes prejuízos para o próprio consagrado, como também para o que o consagrou. Mesmo alguém que tenha algum preparo teológico não lhe dá direito a exercer essa função, se não for idôneo e experiente para tal. Precisamos saber que todo cristão que milite na boa milícia, tem embates constantes com o maligno e principalmente os que exercem ofícios para a igreja do Senhor, os quais são os mais atacados. Daí a necessidade de haver uma boa qualificação de alguém para esse ofício em todos os sentidos a esse tipo de ordenação.

5 - É REPREENSÍVEL NESSE OFÍCIO ALGUÉM FAZER DO REBANHO DE DEUS OBJETO DE LUCROS - I Pedro 5.2 Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto;

* É preciso cuidado para não ordenar nesse ofício um mercenário para cuidar das ovelhas - Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. João 10:13

As congregações nos primórdios da igreja eram organizadas sob a liderança de presbíteros que eram nomeados para esse cargo. O apóstolo Pedro se preocupava com a excelência da liderança das igrejas que se expandiram naqueles tempos. Havia qualidades pessoais para que fosse distinguido um obreiro fiel de um infiel. Um dirigente local de uma igreja deveria demonstrar que caminhava com Deus e que mostrasse crescimento em sua vida espiritual. Um erro muito grande de um Pastor é a pressa em estar abrindo congregações em vários lugares sem ter pessoas qualificadas para estar à frente delas. Essa intenção de abrir novas frentes de trabalho até podem ser boas, isso se tivesse obreiros capacitados para estar dirigindo estas congregações. Acontece que obreiros bons e qualificados não estão sobrando por aí, e isso tem sido um grande mal para os pastores que se precipitam em abrir novos trabalhos, pois nessa pressa acabam ordenando pessoas desqualificadas para o ofício, trazendo sérios problemas para o ministério, e as almas a qual foi designado a cuidar. 

6 - A IGREJA É UMA POSSESSÃO DIVINA E ESSE OFÍCIO NÃO É PARA OS DE ÍNDOLE TIRÂNICA - I Pedro 5.3 Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho.

* Nesse ofício é preciso cuidar sem tiranias da herança que Deus confia ao homem – Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, Tito 2:7

As congregações nos primórdios da igreja eram organizadas sob a liderança de presbíteros que eram nomeados para esse cargo. O apóstolo Pedro se preocupava com a excelência da liderança das igrejas que se expandiram naqueles tempos. Havia qualidades pessoais para que fosse distinguido um obreiro fiel de um infiel. Um dirigente local de uma igreja deveria demonstrar que caminhava com Deus e que mostrasse crescimento em sua vida espiritual. O presbítero deve viver de tal modo que mostre um bom trabalho em prol da vida das ovelhas. Isso envolve boas obras, sã doutrina, seriedade nas atitudes e pregações irrepreensíveis que ninguém possa condenar. A sua prédica não pode dar motivos para acusações e isso pode acontecer se a sua prédica focaliza a exploração financeira do povo. Um bom presbítero não pode ser hipócrita nas suas palavras ou na sua conduta, pois ele deve dar o melhor exemplo possível diante de todos.

7 - QUEM TEM ESSE OFÍCIO NÃO PODE VISAR COMPENSAÇÕES TERRENAS E SIM AS CELESTIAIS - I Pedro 5.4 E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória.

* Nesse ofício há uma promessa de recompensa eterna se tiverem zelo com a igreja - Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. 2 Coríntios 11:2

Se quem exerce esse ofício ministrar para agradar a si mesmo ou ao povo, terá um ministério difícil e cheio de decepções e sendo assim, o resultado final poderá ser desastroso para quem está à frente de um trabalho. Os olhos do Senhor estão sobre nós a todo instante, e Ele nos avalia constantemente no sentido de sermos recompensados ou não, isto porque, somente Ele pode avaliar a conduta de um obreiro e lhe dar a devida recompensa. A recompensa de um obreiro fiel é uma coroa de glória, uma recompensa perfeita para uma herança incorruptível. Hoje um obreiro pode trabalhar visando vários tipos de recompensa. Alguns se empenham para construir grandes patrimônios pessoais, enquanto outros se esforçam para serem reconhecidos pelos homens, outros visando promoções no ministério e se digladiam por causa disso. Tudo isso é sacrifício de tolo, pois devemos nos esforçar para obter o que é mais precioso e que envolve a nossa eternidade, ou seja, uma coroa de glória. Essa coroa deveremos depositar aos pés do Senhor reconhecendo que tudo o que fizemos foi por sua graça e poder.

Pastor Adilson Guilhermel


CORRESPONDENTE