Escola Dominical - Esboços EBD
Home       Agenda       EBD       Sermões       Contato
Lições Bíblicas Professor, 3° Trimestre de 2019, Adultos – CPAD
Título: Tempo, Bens e Talentos
Subtítulo: Sendo Mordomo fiel e prudente com as coisas que Deus nos tem dado.
 

Lição 9 - A Mordomia do Trabalho
Texto Áureo:
''Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também." (2 Ts 3.10)
Leitura Bíblica em Classe:
2 Tessalonicenses 3.6-13 

Introdução: A questão dos crentes ociosos e desocupados da cidade de tessalônica estava relacionada com a perspectiva da volta de Cristo por aqueles tempos. Assim os crentes que tinham inclinação para a preguiça tirando proveito dos ensinos apostólico quanto à volta de Cristo para breve, se muniam de argumentos para a falta de vontade de trabalhar. O problema é que usando isso como desculpa para não trabalhar viviam a expensas da igreja ocupando o tempo com uma vida mergulhada na preguiça profunda. Paulo escreveu essa carta com textos de repreensão severa, pois esses crentes preguiçosos, também estavam influenciando outros e o problema estava crescendo perigosamente e precisavam de disciplina, pois estavam perturbando a todos os irmãos.
1. O crente não pode servir de carga, tanto para a igreja como na família.

Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu. Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. 2 Tessalonicenses 3:6-8

Jesus é um exemplo no que se refere ao trabalho, pois em momento algum Ele se acomodou na sua missão como Salvador da humanidade e apegou-se a sua tarefa até ela ser concluída. Os crentes da cidade de tessalônica eram consistentes na fé praticante, mas nem todos procediam nessa visão, pois alguns estavam levando uma conduta desordenada no sentido de trabalhar pelo seu sustento diário. Esses estavam fazendo o oposto ao que os missionários faziam, pois esses além de estarem fazendo a obra de Deus, não viviam da obra, antes trabalhavam pelo seu próprio sustento, de dia e de noite, a fim de não ser um peso a nenhum deles. (Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus. 1 Tessalonicenses 2:9).

2. A preguiça e ociosidade não podem estar presentes na vida do crente.

2 Tessalonicenses 3.9 - não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes.

Embora como missionários que trabalhavam exaustivamente em prol do reino de Deus, mesmo tendo direito a receber recursos da igreja, eles não exigiam isso, muito pelo contrário, eles trabalhavam para o seu próprio sustento. Isso evitava qualquer tipo de murmuração em referencia a ofertarem recursos para os missionários. Desse modo, Paulo tinha autoridade para exortar os desocupados a não alegarem qualquer desculpa para viverem na ociosidade procurando serem sustentados pela igreja. Com todo direito que Paulo tinha nos seus direitos de ser remunerado como apóstolo, ele se dispôs a abrir mão do uso desses direitos. (Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. 1 Timóteo 5:18).

3. O pão de cada dia deve vir do suor do próprio rosto, não do rosto alheio.

2 Tessalonicenses 3.10 - Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.

É que haja uma sensibilidade com pessoas que padecem dificuldades financeiras e devemos na medida do possível suprir essas necessidades, pois é angustiante ver pessoas nessa situação. Porém no caso de alguns crentes de tessalonica a situação de dificuldades que passavam, era que realmente não queriam trabalhar e insistiam no sentido de que a igreja deveria sustentá-lo, pois não queriam viver para a obra, mas sim viver da obra, sem qualquer preocupação de arrumar um trabalho para o seu sustento. (Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. Salmos 128:2). 

5. Quem insiste na ociosidade acabará em direção ao caminho da pobreza.

2 Tessalonicenses 3.11 - Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes, fazendo coisas vãs.

A preguiça havia contaminado alguns irmãos de tessalônica contrastando com o homem reto o que subentende algum tipo de pecado, na vida do preguiçoso. A pobreza tem muitas causas, e em alguns casos ela acontece por classes de pessoas que não tem o desejo de trabalhar, como também nenhuma inspiração para tal. Até uma criatura inferior como a formiga é colocada por Deus como exemplo de um pequeno inseto que trabalha constantemente. É certo que ninguém vê em lugar algum uma formiga parada, muito pelo contrário, ela está sempre em movimento. (Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio. Provérbios 6:6).

6. É honroso para o cristão não medir esforços para ter o sustento diário.

2 Tessalonicenses 3.12 - esses tais, porém, mandamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.

Havia certo desânimo por parte dos crentes fiéis, quanto à conduta negligente de alguns irmãos que se recusavam a trabalhar. Essa situação poderia fazer com que alguns irmãos também entrassem pelo mesmo caminho dos que não se esforçavam em ter uma ocupação. O péssimo exemplo de alguns nesse sentido pode exercer influência sobre os outros, como também prejudicar o serviço da congregação. Na realidade esses que assim procedem acabam sendo usados pelo inimigo, pois ele gosta de agir em mentes desocupadas.  (O que lavra a sua terra se fartará de pão; mas o que segue os ociosos é falto de juízo. Provérbios 12:11).

7. Quem não ocupa sua mente em fazer o bem é certo que não fará o mau.

2 Tessalonicenses 3.13 - E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.

O crente não pode se deixar levar por aqueles que negligenciam com os seus deveres, ou tentem lhe impedir de fazer os seus. O que Deus quer dos seus filhos é que sejam perseverantes na sua labuta. O crente nunca deve parar, nem cansar do seu trabalho, pois o nosso repouso não é aqui nesse plano terreno. É necessário que sejamos firmes e inabaláveis, sempre abundantes na obra do Senhor sabendo que o nosso trabalho não é vão. O crente embora se depare com irmãos ociosos, não deve refrear a sua liberalidade, tendo o cuidado que os beneficiários da sua liberalidade o façam se fechar nas suas ações bondosas para com o próximo.  (E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Gálatas 6:9).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel
 
Quer Contribuir? Clique no botão acima.
SEMBLÉIA DE DEUS - Ministério Redenção -  Rua Frei Gaspar n° 3255 - Cidade Náutica São Vicente - São Paulo 
 Cultos: quarta, sexta e domingo a partir das 19h30. - Escola Dominical às 9h30
Sejam Bem-vindos. 
 
Contato com o Pastor Adilson