Escola Dominical - Esboços EBD
Home       Agenda       EBD       Sermões       Contato
Lições Bíblicas Professor, 3° Trimestre de 2019, Adultos – CPAD
Título: Tempo, Bens e Talentos
Subtítulo: Sendo Mordomo fiel e prudente com as coisas que Deus nos tem dado.
 
A mordomia da Alma e do Espírito
Lição 3 – 21/07/2019
Texto Áureo: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." (1 Ts 5.23)
Leitura Bíblica em Classe: Galatas 5.16-22,25

Introdução: A santificação no seu sentido prático envolve lidarmos diuturnamente com a questão do pecado vigiando sempre para evitá-lo a qualquer custo para não contaminar a nossa alma. Quando a alma é contaminada pelo pecado, tanto o corpo como o espírito também serão afetados. Por isso devemos evitar a qualquer custo essa contaminação, para que possamos crescer em santidade, a qual é essencial para o nosso aperfeiçoamento espiritual que deve se desenvolver para que nos tornemos a semelhança de Cristo. É preciso que todo cristão que almeje ir para o céu entenda que a salvação não é um ato e, sim um processo que exige uma disciplina espiritual contínua, pois no céu não entra pecado.
1. É andando no Espírito que o desejo carnal é refreado e não consumado.
Galatas 5.16 - Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne. Galatas 5.17 - Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro; para que não façais o que quereis.
É somente através do Espírito que somos capacitados a vencer a carne, porque o Espírito e a carne operam em direções diferentes, significando que isso gera conflitos e, essa é uma luta contínua. Se o Espírito Santo tem a liberdade de controlar o nosso corpo, então andamos no Espírito; mas se não vigiarmos e nos voltarmos às tendências carnais, os desejos irão se acender através da concupiscência da carne. Enquanto não formos para as dimensões celestiais temos que seguir o curso da nossa vida sabendo que não estamos libertos totalmente dos impulsos da nossa natureza corruptível daí, a necessidade de evitarmos os desejos da nossa carne, não deixando que ela nos domine. O único meio de evitar cair nesse laço é andando no Espírito em sintonia com as coisas espirituais, pois é isso que enfraquece todas as tendências carnais. (Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Romanos 7:19,20).
2. Quem é guiado pelo Espírito deve seguir a lei escrita no seu coração.
Galatas 5.18 - Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
Os gálatas estavam sendo corrompidos com a doutrina imposta pelos da circuncisão que insistiam em mesclar o legalismo com o cristianismo e, o apóstolo Paulo precisou combater isso com muita veemência exortando-os com a doutrina correta. A graça divina não aceita esse principio legal, pois o andar espiritual nos libera de qualquer forma de legalismo. O que está em foco nesse legalismo envolve todas as leis cerimoniais, as quais se tornaram obsoletas com o sacrifício perfeito de Cristo. Assim o cristão que voltasse a prática desses cerimoniais estaria subestimando o sacrifício de Cristo. (Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde. Gálatas 2:21).
3. São as obras da carne que levam o cristão para a condenação eterna.
Galatas 5.19 - Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, Galatas 5.20 - idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Galatas 5.21 - invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.
O apóstolo Paulo enumera uma lista de obras da carne, que se não corrigidas através de um arrependimento sincero levará o crente para a perdição eterna, pois não herdarão o reino de Deus. Os pecados sensuais envolvem a prostituição; impureza e lascívia. A prostituição é o sexo ilícito entre pessoas casadas; e quando solteiras é chamado de fornicação, que indicam imoralidade constituindo em todas as formas de pecado de natureza sexual. As impurezas envolvem formas de sexuais com variedades que corrompem o indivíduo tornando-o imundo estando também em foco o homossexualismo e outras formas que fogem do que é normal. A lascívia envolve a sensualidade exagerada e pervertida que não condiz com uma vida que deve estar em santificação. Sua ênfase está na ausência de domínio próprio que envolve pessoas que dá livre expansão aos impulsos de sua natureza pecaminosa. Os pecados de natureza supersticiosa significam a inclinação para a idolatria, os quais se proliferaram em determinados segmentos religiosos e, são os que simplesmente colocam qualquer coisa entre Deus e as pessoas. A feitiçaria, sob as mais variadas formas, são praticadas em determinados segmentos pseudo evangélicos com o uso de objetos, águas e condimentos como ponto de fé, os quais enganam os incautos. As inimizades envolvem rixozidades, ódios, os quais são emoções negativas opostas ao amor. Elas geram hostilidades de várias formas. As porfias são atitudes de uma mente hostil, que cria problemas inesperados entre as pessoas, isso se dá entre pessoas que não controlam o seu temperamento. Os ciúmes prejudiciais são os de forma maligna de egoísmo, que deseja mal ao próximo invejando aquilo que ele tem. As iras criam sentimentos de hostilidade contra o próximo e, se não contidas podem resultar em conflitos de alta gravidade. As discórdias são sentimentos que causas divisões e partidarismos, que tem haver com propósitos egoístas, com espírito de facção. As dissenções podem ameaçar a unidade do corpo de Cristo e, são provocadas por aqueles que servem a si mesmo e não ao Senhor. As facções envolvem diferenças de opiniões que podem ser úteis ou destrutivas. São sentimentos ambiciosos que podem provocar divisões no seio da igreja. Quem está incluído nessa lista dessas práticas malignas procure se arrepender enquanto é tempo, pois é certo que perderão a sua salvação e irão para o castigo eterno. No céu não tem lugar para esse tipo de crente.
4. São os frutos do Espírito que levam o cristão para a salvação eterna.

Galatas 5.22 – Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
O fruto do Espírito são virtudes morais que o Espírito Santo opera para implantar no crente. Esse é um trabalho que o Espírito opera pelo sã doutrina, pois com outro tipo de doutrina isso não acontece. Isso porque, o processo de transformação moral está muito além da nossa capacidade de produzir pelos nossos próprios esforços. Essas qualificações morais são essenciais e necessárias para haja uma transformação, para sermos moldados a imagem de Cristo. O amor é destacado como o primeiro fruto, pois sem ele ninguém pode dizer que tem os demais. O amor a fonte de toda espiritualidade, pois consiste em querer para os outros, aquilo que queremos para nós mesmos. É preciso viver na esfera do amor para experimentarmos a alegria e a paz afetadas por circunstâncias exteriores. Assim o amor e a alegria produzem paz, que excede todo entendimento e são qualidades que expressam e identificam a nossa vida com Deus. As qualidades que dizem respeito a outros envolvem a longanimidade que significa ser tardio em irar-se, sempre contendo qualquer tipo de vingança contra outrem e pagando o mal com o bem. A benignidade é a ausência de malignidade, que qualificam uma pessoa com bondosa. A fidelidade envolve a confiabilidade para com Deus e a Sua palavra e também para com o nosso próximo. A fé é a entrega da alma às mãos de Cristo, sendo o passo inicial da nossa conversão e que deve ser exercitada no dia a dia, como também sendo nutrida pela palavra de Deus, porque a fé vem pelo ouvir e o ouvir a palavra de Deus. A mansidão é uma qualidade associada a mente de Cristo que consiste em um espírito de mansidão e gentileza no trato com o próximo. Ela envolve uma genuína falta de maldade e aspereza para com outrem. Jesus deu exemplos a serem imitados, quanto ao seu tratamento com os homens. O domínio próprio é ter autocontrole em diversidade de situações, em dominar os seus próprios desejos, que não afetem a si próprio, como a outrem. Paulo disse que esmurrava o seu próprio corpo e o reduzia à submissão para pregar o evangelho subjugando o próprio eu.
5. A fonte da nossa vida é o Espírito se o nosso andar tiver a Sua direção.
Galatas 5.25 - Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.
Devemos andar no Espírito em perfeita comunhão com Ele, para que haja em continuidade em nossa transformação espiritual. Andando assim é que o crente começa a ter vitória sobre o mal vencendo todos os impulsos da carne. Viver no Espírito nos capacita a superar o poder escravizador do pecado e todo o crente que se conscientiza disso passa a ter uma espiritualidade elevada no poder do Senhor. É sábio andar e seguir o Espírito em nossa vida diária, pois isso impõe uma resistência para que o inimigo esteja sempre fugindo de nós e, não ao nosso derredor. Andando no Espírito não damos lugar a carne, pois ela pode atrair o louvor dos homens, mas não é capaz de produzir fruto que possa glorificar o nome do Senhor. Andando no Espírito passamos a ter um desejo sincero de honrar a Cristo e para isso devemos com toda a obediência nos sujeitar ao Espírito Santo deixando sempre que opere em nossa vida.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel
 
Quer Contribuir? Clique no botão acima.
SEMBLÉIA DE DEUS - Ministério Redenção -  Rua Frei Gaspar n° 3255 - Cidade Náutica São Vicente - São Paulo 
 Cultos: quarta, sexta e domingo a partir das 19h30. - Escola Dominical às 9h30
Sejam Bem-vindos. 
 
Contato com o Pastor Adilson