Escola Dominical - Esboços da EBD
Pastor Adilson Guilhermel

Home
    Agenda     Lições Bíblicas     Esboços de Sermões   Contato

Batalha Espiritual - A Realidade não Pode Ser Subestimada
Lição 1
- 6 de Janeiro de 2019
Texto Áureo
: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.” (Mt 26.41)
Leitura Bíblica em Classe
: 1 Pedro 5.5-9

Introdução: A partir do momento que nos convertemos a Cristo, já entramos numa batalha espiritual, daí, a necessidade de um discipulado que prepare o novo convertido a saber enfrentar situações adversas e poder continuar firme na fé. Existem tentações interiores, como também as exteriores e essas tentações não provem de Deus, pois Ele a ninguém tenta. Quem realmente envia tentações ao crente é Satanás e se não tivermos cuidado, as tentações exteriores podem se tornar tentações interiores. Ao vivenciarmos circunstâncias difíceis temos que ficar atentos, pois é nesses momentos que o inimigo se aproveita para minar a nossa fragilidade e muitas vezes oferecendo oportunidades enganosas de com escapar das dificuldades, sendo que essas oportunidades são armadilhas perigosas, a qual ele prepara com sutileza. Tem muitos que querem transferir a culpa para Deus pelas suas tentações, mas o Senhor jamais nos tenta. Deus permite que sejamos tentados e quando somos tentados devemos nos comportar de uma maneira que as tentações venham trabalhar em nosso favor, não permitindo que Satanás venha usá-las para nos destruir, pois Deus as permite para a nossa maturidade e edificação. Não podemos confundir provação com tentação. A provação vem de Deus para nos edificar espiritualmente e as tentações vêm do Diabo para roubar, matar e destruir.  Nesse conceito de Batalha Espiritual, uma vez que possuímos uma nova natureza devemos adquirir novos anseios se apetites que não nos levem a pecar. Mas é preciso entender que a partir da nossa conversão passamos a nos defrontar com três inimigos, que devem ser combatidos constantemente, os quais são: o mundo, a carne e o Diabo, o qual ele opera usando vários artifícios para levar o cristão a pecar. Um crente que tem falta de humildade e insiste em ser assim dominado pela soberba, certamente entrará em conflitos sérios com Deus, pois Ele resiste a esse tipo de indivíduo, ao ponto de ficar na condição de desgraçado, que significa desprovido da graça. Isso é algo muito sério porque quando alguém está desprovido da graça passa a dar lugar para que Satanás venha agir na sua vida, o qual diante disso encontrará abertura para isso, pois o pecado é uma porta aberta para o maligno. (Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. 1 João 5:19).
I – A BATALHA ESPIRITUAL
1. Conceito de Batalha Espiritual à luz das Escrituras que são inerrantes.

(Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. 1 João 5:19).
Nesse conceito de Batalha Espiritual, uma vez que possuímos uma nova natureza devemos adquirir novos anseios e apetites que não nos levem a pecar. Mas é preciso entender que a partir da nossa conversão passamos a nos defrontar com três inimigos, que devem ser combatidos constantemente, os quais são: o mundo, a carne e o Diabo, o qual ele opera usando vários artifícios para levar o cristão a  pecar.

2. A Batalha Espiritual é uma realidade bíblica que não pode ser ignorada.
1 Pedro 5.8 - Sede sóbrios e vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
A vida do cristão autêntico se resume a um campo de batalha contra um inimigo que como serpente; engana, como leão; devora como Satanás é adversário e como Diabo é acusador; e para vencê-lo é preciso estar instruídos acerca dos seus ardis. Não podemos subestimá-lo porque ele é perigoso, pois tem grande inteligência e possui sob o seu comando, a terceira parte dos anjos que se rebelaram contra Deus juntamente com ele, os quais são identificados como anjos caídos ou demônios. Em nossa caminhada cristã devemos ter sobriedade e a mente controlada pelo Espírito de Deus para evitarmos cair em suas armadilhas.
3. É perigoso alguém confundir Batalha Existencial com Batalha Espiritual.

Nessa questão de Batalha Espiritual, não podemos incluir que tudo que acontece de ruim em nossa vida é culpa do Diabo. Tem pessoas que desenvolvem um comportamento quase obsessivo culpando o Diabo por situações corriqueiras do dia a dia como se tudo fosse culpa dele, na realidade quem age assim pensando que vai atingi-lo, na verdade está fazendo a sua vontade. Podemos citar alguns exemplos de pessoas que tem esse costume em sua ignorância: traição; frustração; relacionamento em crise; enfermidade; problemas financeiros e outras coisas mais, e ao invés de procurar cuidar para se livrar dessas situações, sempre diz que é coisa do Diabo e nem tudo é obra dele. É preciso entender que ele vai usar essas acusações contra seus próprios acusadores.
II – PRINCIPAIS CRENÇAS DA PSEUDOBATALHA ESPIRITUAL
1. O mapeamento espiritual feito pelo Diabo é realidade e não uma fantasia.

Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia. Daniel 10:13 - E rogava-lhe muito que os não enviasse para fora daquela província. Marcos 5:10
Satanás por vontade permissiva de Deus, ainda é o deus desse século. Vontade permissiva, porque ele já perdeu esse reino o qual tomou de Adão e Cristo reconquistou após a sua missão vitoriosa na Cruz.  Daniel revela que os anjos e Satanás lutam contra os anjos de Deus pelo controle das nações e, essa é uma batalha espiritual em andamento nesse reino espiritual. O cristão não deve estar guerreando entre si, mas sim contra os poderes espirituais. Quem procede assim está perdendo a guerra contra o inimigo. Assim Satanás continua governando o mundo de uma maneira inteligente distribuindo os seus comandados de acordo com a hierarquia satânica, as quais são constituídas de: principados; potestades; dominadores e forças espirituais do mal, nas regiões celestiais. Esses são os nossos inimigos, as quais devemos pelejar. Eles se constituem de governantes, autoridades e poderes cósmicos do mundo espiritual como verdadeiros exércitos de espíritos malignos que nos desafiam nessa batalha espiritual. Os demônios do gadareno rogaram a Jesus que não os mandasse para fora daquela região, isso porque eles temiam uma retaliação do seu chefe, o próprio Satanás.
2. O cristão não se inclui em maldição hereditária, pois Cristo as cancelou.

Deuteronômio 5.9  Não te encurvarás a elas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até à terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.
A questão da maldição hereditária não se aplica aos crentes em Cristo, pois Ele na Cruz se fez maldito por nós levando sobre si todas as nossas maldições. A maldição hereditária registrada nesse texto bíblico é uma advertência aos israelitas quanto a quebra do pacto com Deus, pois a quebra desse pacto colocaria o infrator no estado de maldição podendo com isso passar para os filhos que passariam a herdar dos pais as consequências da quebra do pacto. (Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão: Deuteronômio 28:15). O pecador em si, já está sob maldição, porque a bíblia coloca em condenação àquele que não crê; diz que o pecador é réu de juízo; que o mundo jaz no maligno, e nessas condições o estado do indivíduo é de maldição. A única condição para sair desse estado é a conversão a Cristo, pois somente Ele pode tirar o indivíduo desse estado.
3. A única possibilidade de o crente ficar possesso é dar lugar ao demônio.
1 Samuel 16.14  E o Espírito do Senhor se retirou de Saul, e atormentava-o um espírito mau da parte do Senhor.
Se os demônios tivessem liberdade de possui o corpo de qualquer indivíduo, ou seja, tanto crente, como incrédulo, certamente a humanidade estaria totalmente a mercê deles e tudo estaria fora de controle. No caso de Saul, que especificamente o Espírito Santo o conduzia, mas após a sua desintegração progressiva, com uma sequencia de fracassos chegou ao seu ápice. Isso aconteceu quando ofereceu um sacrifício sem ter autoridade espiritual para isso e perdeu a presença do Espírito Santo. Nessa condição por permissão de Deus passou a ser atormentado por um espírito maligno, porém não significava que estava endemoninhado. Ser usado pelo inimigo, não pode ser confundido com possessão, ou estar endemoninhado. No caso de Judas, ele foi usado por Satanás para trair Jesus, mas não estava endemoninhado, como foi também com Ananias e Safira, os quais foram usados pelo inimigo para mentirem na questão da oferta aos apóstolos.
III – É BOM IRMOS A BÍBLIA PARA CORRIGIR ERROS TEOLÓGICOS
1. Sobre o mapeamento espiritual é uma realidade que não devemos ignorar.

Temos que discordar do comentarista da lição bíblica, pois os textos são explícitos quanto a hierarquia satânica nas suas posições territoriais em todo o mundo.
2. Sobre a maldição hereditária devemos compreender da seguinte forma.
No Antigo Testamento ela vinha sobre o israelita que não cumprisse o pacto estabelecido por Deus. Em o Novo Testamento só não está no estado de maldição, quem tem Cristo na sua vida.
3. Sobre a possibilidade de o cristão ser possesso, ou seja, endemoninhado.
A única possibilidade de alguém ficar endemoninhado, e isso servem tanto para o crente, como para o incrédulo, é se envolver com entidades malignas. Os demônios não tem poder de possuir quem quer que seja; a não ser que se de lugar para eles.
4. O homem segundo a Bíblia é constituído de corpo, alma e espírito.
O homem é um ser tricotomo, ou seja, possui; corpo; alma e espirito. O corpo biológico gerado na concepção humana e o espírito gerado por Deus no momento da concepção, sendo ambos dotados de uma alma, a qual é o pêndulo entre o corpo e o espírito. Parece que o comentarista da lição, novamente tenta conflitar teologicamente algo que não procede. Ele diz no seu comentário que o homem não é um espírito, como também diz que o homem é uma combinação do pó da terra com o sopro de Deus. Talvez ele não entenda que todos nós somos um espírito que foi gerado por Deus no momento da nossa concepção. E, esse espírito gerado por Deus já está presente no corpo que está sendo gerado e, só sairá desse corpo, se vier a óbito. Portanto nós somos um espírito e, esse espírito incorruptível que foi gerado num corpo corruptível pela natureza adâmica, só será liberto e salvo, através da conversão a Cristo. 


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel
 
Assembléia de Deus Redenção - Rua Frei Gaspar, 1652  Parque São Vicente - São Vicente - São Paulo - Brasil
Se quiser ofertar, é só clicar no botão abaixo
As contribuições custeiam o envio de emails em massa para todo o mundo
Contato com o Pastor
Escola Dominical - Esbocos da EBD