Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições Bíblicas 1° Trimestre 2018 CPAD - A Supremacia de Cristo

Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia -   1º Trimestre 2018
Trimestre: 1° de 2018 – 11 de Fevereiro de 2018
Texto Áureo: "
Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que, pela fé e paciência, herdam as promessas." (Hb 6.12)
Leitura Bíblica em Classe:
Hebreus 6.1-15 

Introdução: O texto em pauta entre outras coisas enfoca os perigos da apostasia, que significa a negação da fé, ou seja, daquilo que crê.  Como predisse a Bíblia, nesses últimos tempos da igreja na terra haverá um abandono da fé por parte de muitos crentes. “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (1 Timóteo 4.1). É explícito que estamos vivendo em tempos de grande apostasia no meio evangélico, pois muitos crentes têm rejeitado a Palavra de Deus, se voltando a outros ensinos que parecem verdadeiros para os leigos, mas não são. A doutrina do homem não existe na bíblia e se consiste em doutrinas de demônios e doutrinas de demônios não fazem parte da igreja de Cristo e sim a de satanás. É preciso entender que satanás é um imitador; e tem os próprios falsos ministros com doutrinas intencionais e falsos milagres para enganar os cristãos e fazê-los desviar do caminho da verdade. Algo que não pode deixar alguém surpreso é que Satanás usa crente dentro da igreja para realizar sua obra. Usou Pedro para tentar Jesus, usou Ananias e Safira para mentir ao apóstolo e muitos falsos mestres que agiam dentro da igreja. Nas seitas estão os apóstatas, mas muitos deles estão nas igrejas e nos púlpitos ensinando doutrinas falsas desviando o povo da verdade.
1. A falta de maturidade espiritual abre a possibilidade da apostasia.

Hebreus 6.1 POR isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, 2 E da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. 3 E isto faremos, se Deus o permitir.

Em relação aos crentes judeus o autor faz uma advertência quanto a propensão deles de voltar par o judaísmo a fim de evitar as perseguições que se insurgiram contra a igreja de Cristo. Caso assim procedessem estariam abandonando o que foi tornado perfeito por aquilo que se tornou imperfeito, que no caso era a prática dos cerimoniais da lei. Sair do judaísmo e vir para Cristo e voltar ao judaísmo é apostasia, Sair do catolicismo e vir para Cristo e voltar para o catolicismo é apostasia, Sair do espiritismo e vir para Cristo e voltar para o espiritismo é apostasia e assim se sucederá com qualquer outro tipo de seita. Voltar às antigas práticas de antes da fé cristã é apostasia, ou seja, negar a fé em Cristo. Os primeiros fundamentos da nossa fé cristã não se podem negar a sua importância, mas, não podemos ficar presos somente a eles, pois é necessário avançar no seu doutrinamento. É natural que uma criança pense, fale e tenha atitudes de criança, assim como um adulto pense, fale e tenha atitudes de adulto, se assim não for alguma coisa esta errada. O entendimento de um crente neófito é como o de uma criança, porém deve haver um processo de amadurecimento para que se torne adulto na fé. (1 Coríntios 13:11 Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino).  

2. Não há possibilidade de restauração para quem comete apostasia.

Hebreus 6.4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, 5 E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, 6 E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.

Identificar alguém que apostatou ou não apostatou, é uma prerrogativa divina, pois só Deus reúne condições para tal. Os crentes judeus chegaram a conhecer a verdadeira luz de Deus, em Cristo, mas começavam a inclinar-se por retornar à religião judaica, a qual as luzes já haviam se apagado. Algo que pode identificar alguém se apostatou, ou não, é se o indivíduo após tiver se afastado da comunhão cristã decide retornar para a fé cristã. Ocorrendo isso será uma prova de que não houve a verdadeira apostasia, embora nós não possamos ter certeza disso, nesse caso só Deus sabe. Porém aquele que verdadeiramente se tornar um apostata negando a fé em Cristo terá rejeitado a esperança, e não mais retornará a esperança que foi rejeitada. Agora não estranhe que no meio cristão tem apostatas, principalmente líderes que não pregam a sã doutrina exigida pelo verdadeiro evangelho. (E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 Pedro 2:1).

3. Quem abusa da graça de Cristo irá sair da bênção para a maldição.

Hebreus 6.7 Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; 8 Mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada. 9 Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos.

O progresso espiritual é necessário para o cristão produzir frutos para a glória de Deus. Alguns cristãos produzem muitos frutos, outros, uma produção média, outros uma pequena produção, sendo que isso já é suficiente para estar na bênção de Deus. Esses frutos tem haver com o esforço e trabalho para o Senhor e haja resultados convincentes, pois todo trabalho não é vão no Senhor. Quem cresce diariamente na graça e conhecimento do Senhor tem todas as condições de realizar coisas produtivas e isso exige esforço e determinação. Já aquele que está na condição de apóstata e ministrando coisas contrárias a verdadeira fé, só produz mau fruto, os quais são ilustrados como espinhos e abrolhos, que só servem para ser queimada. Existe o perigo eminente da não aceitação da verdadeira revelação e alguns endurecem o coração quanto a isso, mas não podemos determinar quem na igreja é realmente salvo e quem não é, e que não devemos ser os julgadores, pois essa é uma prerrogativa exclusivamente divina. (Não julgueis, para que não sejais julgados. Mateus 7:10).

4. A fé estéril dentro do contexto da salvação leva o crente a perdição.

Hebreus 6.10 Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis. 11 Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança; 12 Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas.

Deus sabe quem são realmente dele e sabe identificar profundamente quem são os seus fiéis que se empenham arduamente em fazer com zelo a sua obra. Quem se comporta dessa maneira tem a certeza que o seu nome está registrado no livro da vida e que continuamos sendo salvos, assim como as nossas recompensas não serão esquecidas. A conclusão da nossa salvação nessa terra seja por óbito, ou pelo arrebatamento depende de uma contínua obra de fé desviando de toda a aparência do mal. Se andarmos neste mundo e nos satisfazermos em suas corrupções, dificilmente alguém terá a certeza da conclusão vitoriosa da sua salvação. O apostata verdadeiro já está com a sua salvação perdida, mas não somente o apóstata, pois se em caso do óbito ou arrebatamento, o crente está em pecado doloso e não se arrependeu se consertando com Deus e o corpo de Cristo, certamente não irá para a glória. Fomos salvos, estamos sendo salvos e seremos salvos se guardarmos a nossa fidelidade total para com Deus. Não caia nessa conversa maligna, que uma vez salvo, salvo para sempre. O diabo quer que você pense assim, mas Deus através da sua palavra mostra que não é assim.

5. Toda esperança deve estar firmada em Deus que tem o poder maior.

Hebreus 6.13 Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo, 14 Dizendo: Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei. 15 E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa.

As promessas de Deus são condicionais, significa que nem todos as alcançarão, pois elas são garantidas a todos os que creem firmemente nelas procurando andar em obediência aos preceitos divinos, e se dedicando diligentemente o desenvolvimento da sua vida espiritual. O grande perigo para quem segue a fé cristã é os enganadores que surgem cada vez mais no meio evangélico. Muitos manipulados por falsos pastores acabam se deixando levar por doutrinas e idéias totalmente contrárias ao que Jesus ensinou. Os falsos pastores nada ensinam sobre a sã doutrina e com suas mentes cauterizadas e mergulhadas na apostasia, acabam enganando e sendo enganados, pois pregam heresias de perdição, tanto para que os ouçam, como para eles próprios. (Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. Hebreus 10:36).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

ASSEMBLÉIA DE DEUS - Ministério Redenção -  Rua Frei Gaspar n° 3255 - Cidade Náutica  São Vicente - São Paulo
 Cultos: quarta, sexta e domingo a partir das 19h30. - Escola Dominical às 9h30
Seja Bem-vindo.
Caso sinta de enviar uma oferta para essa obra deposite nessa conta: Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta 0942-7 
Contato com o Pastor  Adilson