Escola Dominical - Esboços da EBD//A Carta aos Hebreus e a Excelência de Cristo
 
Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato
 

Escola Dominical - Esboços da EBD
 
Lições Bíblicas 1° Trimestre 2018 CPAD - A Supremacia de Cristo

Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem Levítica
Trimestre
: 1° de 2018 – 4 de Fevereiro de 2018
Texto Áureo:
"Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão." (Hb 4.14)
Leitura Bíblica em  Classe
: Hebreus 4.14-16; 5.1-14: 

Introdução: Jesus disse: ninguém vem ao Pai se não for por mim, isso significa que a porta de acesso ao Deus Pai é o Seu Filho, que agora atua como Sumo Sacerdote a Sua destra. Jesus como Sumo Sacerdote incorpora em si mesmo toda tipologia do ofício sacerdotal na antiga aliança. Como Sumo Sacerdote, o nosso Senhor Jesus Cristo foi aperfeiçoado em seu ofício, em virtude de que Ele experimentou os nossos sofrimentos e com isso, sabe compreender a cada um de nós, para aplicar a sua misericórdia em nossas necessidades. Ao contrário do sumo sacerdote da antiga aliança, que para entrar no Santo dos Santos tinha que atravessar o pátio e o véu, no tabernáculo, o nosso Sumo Sacerdote penetrou nos céus e está assentado a destra do Deus Pai, com o ofício de interceder por todos que chegam a Ele.
1. Jesus teve experiência terrena para ministrar no céu graça e misericórdia.

Hebreus 4.14 Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Hebreus 4.15 Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Hebreus 4.16 Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

As leis cerimoniais da antiga aliança tiveram o seu cumprimento na Cruz, onde o sacrifício perfeito foi oferecido para uma expiação que tirava o pecado do indivíduo e não somente cobria. Os hebreus foram falhos e negligentes no cumprimento das leis cerimoniais, como também tinham o sumo sacerdote como uma figura decorativa, sendo que os comportamentos desses hebreus provocaram a ira de divina, pois o sumo sacerdote era um representante de Deus na terra. A partir da Cruz os hebreus não teriam mais a figura desse sumo sacerdote, mas não deveriam se entristecer por isso, mas se alegrarem pelo Seu Sumo Sacerdote, Jesus Cristo e rapidamente refugiar-se nele. O sumo sacerdote da antiga aliança obedecia a uma linha sucessória após a morte, mas Jesus Sumo Sacerdote da nova aliança é eterno e exerce o seu ofício no céu, a destra do Deus Pai. Assim podemos chegar a Ele com a certeza de que se compadece das nossas fraquezas, porque nos entende em nossas fraquezas, porque, como nós, em tudo foi tentado e sabe por experiência própria o que significa ser tentado.

2. O Pastor deve ser para suas ovelhas um sacerdote intercessor e instrutor.

Hebreus 5.1 PORQUE todo o sumo sacerdote, tomado dentre os homens, é constituído a favor dos homens nas coisas concernentes a Deus, para que ofereça dons e sacrifícios pelos pecados; Hebreus 5.2 E possa compadecer-se ternamente dos ignorantes e errados; pois também ele mesmo está rodeado de fraqueza. Hebreus 5.3 E por esta causa deve ele, tanto pelo povo, como também por si mesmo, fazer oferta pelos pecados. Hebreus 5.4 E ninguém toma para si esta honra, senão o que é chamado por Deus, como Arão.

Os hebreus foram exortados a se voltarem exclusivamente para o sacerdócio divinamente conferido a Jesus, o qual não era provisório e sim eterno. Se eles não se separassem dos laços araônicos, a sua fé em Cristo seria totalmente inadequada e acabariam voltando para a fé judaica novamente. Jesus não serviu como sacerdote aqui na terra durante a sua missão sacrificial e nem poderia, pois a ordem sacerdotal obedeceu a uma linha sucessória levítica iniciada em Arão. Isso porque Jesus nasceu da descendência de Davi, da tribo de Judá. Jesus foi o próprio sacrifício e o oficiante do Seu próprio sacrifício, a fim de que pudesse ser Sumo Sacerdote no céu.  

3. Jesus foi nomeado pelo Pai para Sumo Sacerdote e não se autonomeou.

Hebreus 5.5 Assim também Cristo não se glorificou a si mesmo, para se fazer sumo sacerdote, mas aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, Hoje te gerei. Hebreus 5.6 Como também diz, noutro lugar: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.

Jesus foi preparado em seu ministério aqui na terra nos dias da sua carne para exercer o ofício de Sumo Sacerdote no céu, totalmente experimentado nas tentações desse mundo. Arão foi nomeado pelo próprio Deus para o ofício sacerdotal e todos aqueles que desafiaram o chamado de Arão ou se autonomearam a esse oficio foram mortos por Deus. Um pastor, para ser pastor tem que ter um chamado de Cristo para ministrar sobre o povo, pois ele tem a responsabilidade de exercer o ofício sacerdotal e ninguém pode autonomear-se para esse ofício como muitos tem feito. O próprio Cristo não se autonomeou para o ofício de Sumo Sacerdote, porque a sua nomeação era uma prerrogativa do Deus Pai. Assim Cristo não chamou a si mesmo para o ofício de Sumo Sacerdote; o Pai o chamou, para uma ordem sacerdotal superior ao sacerdócio terreno.

4. Cristo não ofereceu sacrifício por si mesmo, mas sim por todo pecador.

Hebreus 5.7 O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia. Hebreus 5.8 Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. Hebreus 5.9 E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem;

Jesus foi preparado para o ministério de Sumo Sacerdote em todo o tempo que exerceu o seu ministério terreno, ou seja, nos dias em que estava na terra em um corpo humano. Cristo pode experimentar todas as fragilidades da natureza humana, desde a sua infância, até o término da sua obra sacrificial. Como Deus não precisava aprender coisa alguma, mas ele veio como filho em carne humana, tendo que passar por tudo aquilo que o povo passava se aperfeiçoando assim para o ofício de Sumo Sacerdote. A perfeição de Cristo foi consumada quando em extrema aflição no jardim do Getsemani quando disse: Não se faça a minha vontade, mas a tua. Isso foi o ápice da sua consagração, onde se dispôs a ir até o fim da sua missão sacrificial com toda determinação.

5. O sacerdócio de Cristo é de uma ordem superior e transcende ao de Arão.

Hebreus 5.10 Chamado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 5.11 Do qual muito temos que dizer, de difícil interpretação; porquanto vos fizestes negligentes para ouvir.

A consagração de Cristo para o ofício de Sumo Sacerdote se concretizou se tornando uma realidade, porque ocorreu em perfeito cumprimento com as Escrituras e de acordo com os propósitos do Deus Pai. Melquisedeque, foi o tipo perfeito de sumo sacerdote e Cristo foi o antítipo, ou seja, a realização do tipo, se tornando assim da ordem sacerdotal segundo Melquisedeque. A compreensão da palavra de Deus, sempre foi uma tarefa árdua para aqueles que a ministram, pois grande parte do povo é negligente para ouvir, isso tanto naqueles tempos da antiga aliança, como também em nossos tempos.

6. Só os crentes imaturos não enxergam a importância desse sacerdócio.

Hebreus 5.12 Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento. Hebreus 5.13 Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Hebreus 5.14 Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.

Todo cristão tem o dever de se esmerar na busca do conhecimento espiritual contido na palavra de Deus, pois é importante para o crescimento do reino o compartilhamento das verdades espirituais e quem pratica isso mostra que tem maturidade. Nem todo o cristão tem o dom do ensino, mas mesmo os que não têm esse dom precisam ter pelo menos um conhecimento básico da palavra de Deus. Tem crentes antigos que já ouviram uma infinidade de doutrinas, mas não desenvolveram o conhecimento necessário para compartilhar com alguém. Os cristãos judeus eram resistentes aos ensinamentos sobre o ministério de Cristo como nosso Sumo Sacerdote no céu, preferindo ficar apenas nos princípios básicos dos oráculos de Deus, não querendo aceitar essa nova realidade. Temos muito que aprender sobre as Escrituras Sagradas para apreender mais e mais sobre o Senhor, pois Ele mesmo disse para examinarmos as Escrituras, pois elas testificam dele. Quando buscamos o conhecimento da palavra desenvolvemos a espiritualidade necessária, bem como, discernimento espiritual. Quando nos alimentamos da palavra de Deus e aplicamos em nossa vida, os nossos sentidos espirituais são exercitados e cada vez mais apurados. Quem não se esforça na busca do conhecimento, a sua vida é um retrocesso e a sua caminhada é uma andança sem rumo.


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

 
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então use uma das contas abaixo e envie uma oferta
Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta Corrente 942-7 Banco Itaú - Agência 9184 - Conta corrente 05524-3

Fale com o pastor: [email protected]
l