Escola Dominical Esboços EBD  

Pastor Adilson Guilhermel

Home     Agenda     Lições    Sermões     Contato

4º Trimestre de 2016 - Lições Bíblicas Adultos
"O DEUS DE TODA PROVISÃO" 
 Esperança e sabedoria divina para a Igreja 
em meio às crises

Lição 13 - 25 de Dezembro de 2016
A FIDELIDADE DE DEUS
Texto Áureo: "Posso todas as coisas naquele que me fortalece." (Fp 4.13)
Leitura Bíblica em Classe: Filipenses 4.10-20
Introdução: Em algumas ocasiões, principalmente nas mais aflitivas podemos estar perto fisicamente dos irmãos, mas longe espiritualmente, como também podemos estar longe fisicamente, mas perto espiritualmente. Isso envolve aqueles que não têm comunhão e os que têm comunhão. Aprisionado em Roma, o apóstolo Paulo pelos anos 62 d.C. passava por essa situação onde os cristãos de perto fisicamente estavam longe espiritualmente e o ignoravam e os cristãos de longe fisicamente estavam mais perto espiritualmente, como também lhe prestavam ajuda. Os cristãos de perto fisicamente eram os de Roma, onde o apóstolo estava encarcerado, mas, ou por medo de serem perseguidos por ajudar Paulo, ou por pura insensibilidade, não lhe prestavam ajuda. Os de longe fisicamente eram os cristãos da Igreja de Filipos que sensibilizados com os sofrimentos e as necessidades materiais do apóstolo, não mediram esforços e lhe enviar um emissário com ajuda financeira para as suas despesas. Mesmo a quilômetros de distância em Filipos, Paulo sentia a comunhão espiritual dos filipenses, a qual era verdadeira e isso para ele era algo extremamente prazeroso. Uma das fontes da alegria cristã é estar juntos na comunhão em Jesus Cristo. O que caracterizava esta comunhão para ser autenticamente verdadeira era a lembrança constante que tinham do apóstolo, como a sua presença nos seus corações e nas suas orações.
RAZÕES PELA QUAL DEVEMOS CONFIAR NA FIDELIDADE DE DEUS?
1 - Ele é fiel na sua providência e nos ajuda em qualquer circunstância
Filipenses 4.10 - Ora, muito me regozijei no Senhor por, finalmente, reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade.
Os filipenses são lembrados por Paulo pelas suas ajudas generosas em outros tempos quando ministrava nas cidades de Macedônia, Tessalônica e Bereia. Confiante nessa generosidade dos filipenses para com ele tinha certeza de que mesmo a uma grande distância onde se encontrava poderia contar com a ajuda desses irmãos. A razão da dificuldade para enviar ajuda a Paulo era a grande distância que os separava, mas isso não os impediu de enviar um emissário chamado Epafrodito no tempo oportuno, para ir ao encontro do apóstolo em Roma, tanto para conforta-lo como para entregar as ofertas enviadas pelos filipenses. Paulo se alegrou profundamente com esse gesto amoroso dos filipenses, pois confiando na providência divina ele sabia que ela viria no momento certo. Não existe distancia que possa impedir de praticarmos boas obras.
2 - Ele é fiel no seu poder infalível e nos contenta no pouco que temos
Filipenses 4.11 - Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.
Quem vive para a obra e não da obra, tem estrutura para estar contente em qualquer circunstância em que se encontra. Essa era uma grande virtude do apóstolo, pois em toda sua caminhada sofrendo tudo que sofreu em momento algum ele expressa qualquer murmúrio sobre as suas aflições. Estando em Roma como prisioneiro numa pequena casa, sob a vigilância da guarda pretoriana, Paulo resistiu a tudo que pudesse afetar o seu contentamento, porque ele estava preparado para subsistir com o pouco que tinha. As privações físicas não foram suficientes para afetar a sua espiritualidade. O importante é perseverarmos em nossa missão aqui na terra sem esmorecer deixando Deus no controle de tudo que envolve as nossas vidas. As nossas alegrias, as nossas forças, as nossas motivações vem de Deus que nos socorre em meio de qualquer problema.
3 - Ele é fiel para nos dar equilíbrio tanto na pobreza como na fartura
Filipenses 4.12 - Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade.
É admirável o equilíbrio do apóstolo nas várias fases que enfrentava em sua caminhada. Ele não tinha uma vida de altos e baixos, pois era um homem determinado em seu ministério evangelizador mantendo um equilíbrio tanto tendo como não tendo as coisas que lhe supriam. Isso significa que ele aprendeu com as tribulações da vida a ter experiência adquirindo muita maturidade espiritual o que lhe permitia suportar uma vida acima das suas circunstâncias, sem deixar-se afetar por nenhuma das condições que enfrentou. A nossa vida espiritual não pode ser prejudicada tanto em tempos de escassez, como em tempos de fartura. As coisas terrenas dessa vida não podem interromper as nossas necessidades espirituais.
4 - Ele é fiel em nos fortalecer para superarmos quaisquer provações
Filipenses 4.13 - Posso todas as coisas naquele que me fortalece.
Essa força sobrenatural que o apóstolo da ênfase, se deve em sua união permanente com Cristo, o qual era a fonte do seu poder. Paulo tinha uma fé absoluta na fidelidade divina e isso era o suficiente para também fazer as obras que Cristo fez, e maiores ainda, conforme a promessa feita pelo próprio Senhor. A cada situação adversa devemos lançar mão do poder de Cristo para lidarmos com as nossas responsabilidades ao longo e cada dia fortalecidos pelo poder do Senhor. Com tanto sofrimento físico pelo qual Paulo enfrentou, ele só conseguiu superar todas as dores e sofrimentos físicos mais dolorosos, por causa da força espiritual interior que Cristo lhe concedia.
5 - Ele é´fiel para enviar irmãos que se associem em nossas aflições
Filipenses 4.14 - Todavia, fizestes bem em tomar parte na minha aflição.

As provas de que Paulo era imbuído de um grande amor no seu coração é que ele não vivia só para si como muitos crentes assim o fazem. Paulo colocava os interesses e bem estar dos irmãos totalmente acima dos seus e isso é uma qualidade do verdadeiro amor que a Palavra de Deus nos ensina. Devemos fazer a obra de Deus com humildade de espírito tendo os outros como mais importantes do que nós mesmos, não olhando para os nossos próprios interesses seguindo o exemplo de Cristo na sua obra sacrifical. Paulo fez muito pelas outras igrejas, mas nenhuma outra igreja partilhou com ele para atender as suas necessidades materiais.
6 – Ele é fiel para levantar crentes liberais para a assistência material
Filipenses 4.15 - E bem sabeis também vós, ó filipenses, que, no princípio do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja comunicou comigo com respeito a dar e a receber, senão vós somente.
Somente a igreja de Filipos teve a atitude de liberalidade para atender as necessidades do apóstolo. Paulo sabia que Deus ama aquele que dá ajuda com alegria e, isso o deixava muito feliz, não pelo fato de estar sendo suprido pelos cristãos filipenses em suas necessidades materiais, mas pelo fato de que eles tendo feito isso com muita alegria seriam ricamente abençoados por Deus. Paulo ajudou muito os pobres de Jerusalém na ocasião da perseguição que houve naquela cidade. Isso exigiu da parte do apóstolo um grande esforço para recolher ofertas e vários lugares para atender os cristãos em necessidade. Deus está atento a tudo que fazemos e sabe recompensar no momento certo.
7 – Ele é fiel para suprir em todo tempo quem está a serviço da obra
Filipenses 4.16 - Porque também, uma e outra vez, me mandastes o necessário a Tessalônica.
Por várias ocasiões os cristãos filipenses deram contribuições ao apóstolo, quando este passava por dificuldades financeiras. Os filipenses o ajudaram nos seus momentos de crise para que o seu trabalho pudesse prosseguir com mais desenvoltura. Paulo reconhecia a benevolência desses irmãos, que embora pobres, não se esqueciam dele em seus momentos de necessidade demonstrando assim um espírito fraternal. Embora Paulo fizesse tendas para vender, não era sempre que tinha essa disponibilidade, porém as atitudes amorosas dos crentes filipenses evidenciava que Cristo operava no coração desses irmãos. Eles tinham consciência da necessidade da obra evangelizadora do apóstolo que avançaria muito mais extensão estando o apóstolo liberado para o trabalho do evangelho.
8 – Ele é fiel com quem contribui com a obra para fazê-lo prosperar
Filipenses 4.17 - Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que aumente a vossa conta.
O Senhor Deus registra em seus memoriais tudo que fazemos de bom para a sua obra e sempre recompensará os seus contribuidores. Na realidade tomando como exemplo a generosidade dos crentes filipenses podemos estar certos que contribuir para a obra de Deus é na realidade um excelente investimento, porque o Senhor que opera na lei da semeadura e da colheita sabe recompensar bem os seus contribuidores. Precisamos entender que a recompensa de Deus não enfoca somente a parte temporal, pois elas se estendem para a eternidade. O que Paulo falava aos filipenses não era intencional para obter mais donativos, mas que eles sempre se mostrassem generosos com os demais cristãos necessitados. Isso porque, a generosidade é um fruto que será lançado nas suas contas quando se apresentassem no tribunal de Cristo, onde as nossas obras serão julgadas.
9 – Ele é fiel com quem serve ao irmão, pois é um sacrifício ao Senhor
Filipenses 4.18 - Mas bastante tenho recebido e tenho abundância; cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus.
As contribuições financeiras também estão registradas como um sacrifício para o Senhor e são necessárias para o sustento da obra estabelecida para cuidar e ganhar almas para o reino de Deus. Quando entregamos nossas contribuições na condição de sacrifício somos como sacerdotes oferecendo algo que é de cheiro suave ao Senhor. Apesar de ser uma dádiva dos filipenses, Paulo não se esquecia da presença do Senhor em todas as coisas que lhe aconteciam. Deus supre somente aqueles que contribuem com liberalidade, sendo que os gananciosos não estão engajados nessa bênção.
10 – Ele é fiel para recompensar os contribuintes da obra em qualquer lugar
Filipenses 4.19 - O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.
Quando a obra que fazemos para Deus visa tudo para a glória dele, nunca deixaremos de receber a sua provisão. Ilustrando as ofertas dos filipenses como um empréstimo a Deus, as quais resultaram em juros, Paulo não teria condições de pagá-los, mas o Deus a quem ele serve e que recebe o sacrifício, derramaria bênçãos sem medida sobre a vida deles, tanto nas necessidades materiais, como nas espirituais. Assim como naqueles tempos nem todos os crentes das outras igrejas eram contribuintes, nos dias de hoje não é diferente. Quantos pastores de obras sérias sofrem com esses crentes avarentos, que fecham os olhos para as necessidades da obra.
11 – Ele é fiel com quem vive na sua vontade e o serve visando Sua Glória
Filipenses 4.20 - Ora, a nosso Deus e Pai seja dada glória para todo o sempre. Amém!
Todo o nosso trabalho não é vão no Senhor quando tudo que fazemos é para a glória do seu nome. O nosso esforço, perseverança, trabalho, contribuições financeiras, sacrifícios e muito mais, são coisas que glorificam o nome do Senhor. Isso provoca um contentamento motivador para prosseguirmos mesmo com poucos recursos, pois sabemos que a sua providência estará presente nos momentos de necessidade. Quando lidamos com crentes que são conscientes da necessidade da obra a nossa preocupação nesse sentido diminui, mas nem sempre é assim, pois há sempre os insensíveis, que infelizmente fecham os olhos para isso.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Realizo essa obra com poucos recursos e preciso do seu apoio para mantê-la e expandi-la. Ajude-me a alcançar mais pessoas com a verdadeira sã doutrina!
 Gostaria de fazer uma doação? Clique no botão abaixo.

Contato com o Pastor Adilson