Escola Dominical Esboços EBD  

Pastor Adilson Guilhermel

Home     Agenda     Lições    Sermões     Contato

4º Trimestre de 2016 - Lições Bíblicas Adultos
"O DEUS DE TODA PROVISÃO" 
 Esperança e sabedoria divina para a Igreja 
em meio às crises

Lição 10 - 4 de Dezembro de 2016.
ADORANDO A DEUS EM MEIO A CALAMIDADE
Texto Áureo: "Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade é para sempre." (Sl 136.1)
Leitura Bíblica em Classe: 2 Crônicas 20.1-12

Introdução: Verdade é que o povo de Deus em sua maioria, só O busca mais fervorosamente quando a situação se complica na sua vida. Quando tudo está bem se esfriam espiritualmente e quando tudo vai mal à hora do desespero se aquecem espiritualmente. Essa é uma das razões porque Deus permite as provações, pois se assim não fosse muitos declinariam da sua fé. São vários os fatores que podem provocar calamidades, a qual tenha de enfrentar. Elas podem vir por desastres naturais, catástrofes, secas, fome, guerras, como também por decisões erradas ou precitadas que nos levam a essas situações. Nesse episódio bíblico a calamidade sobreveio sobre o Reino de Judá motivada por decisões erradas por parte do Rei Josafá, que se aliou com o Rei Acabe, o qual era profano e idólatra e fazia o que era mal aos olhos de Deus. Até então o reino de Judá ia bem sob o comando do Rei Josafá, pois tinha as bênçãos divinas sobre o seu reinado. As nações inimigas temiam o rei Josafá mostrando assim que o seu reino era forte e organizado tanto no lado físico, como no lado espiritual e nessas condições contava com a proteção divina. Tudo ia bem até que Josafá resolveu aceitar uma aliança infortunada com Acabe, o rei de Israel e isso motivou a indignação de Deus, o qual já não abençoava Judá como antes. Aliança do santo com o profano jamais resultarão num final feliz. Com a morte de Acabe a aliança foi desfeita e Josafá que passara a contar com a força conjunta entre os dois reinos passa a ficar inseguro quanto ao seu poderio militar.
1 – DEUS PERMITE QUE O INIMIGO SE LEVANTE PARA VOLTARMOS A ELE
2 Crônicas 20.1 - E sucedeu que, depois disso, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e, com eles, alguns outros dos amonitas vieram à peleja contra Josafá. 2 Crônicas 20.2 - Então, vieram alguns que deram aviso a Josafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi.
Os moabitas e os amonitas que eram descendentes do incesto de Ló com as duas filhas eram os inimigos oportunistas sempre dispostos a atacar os judeus nos momentos em que estavam enfraquecidos. Quando isso acontecia eles juntavam forças com outros povos também inimigos dos judeus com o intuito de invadir as regiões da Judeia e Jerusalém. Nesse tempo que eles se juntaram, Josafá estava enfraquecido no seu poderio militar visto que não tinha mais o reforço do reino de Acabe que os faziam fortes. Esse levante do inimigo tinha a mão de Deus no negócio, visto que era necessário para o Rei Josafá se lembrar que sem o socorro divino ele não venceria essa batalha.
2 – O HOMEM DEVE SABER QUE DEUS É COM OS QUE O BUSCAM SEMPRE
2 Crônicas 20.3 - Então, Josafá temeu e pôs-se a buscar o SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá. 2 Crônicas 20.4 - E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao SENHOR; também de todas as cidades de Judá vieram para buscarem o SENHOR.
Foi necessário essa situação acontecer para que Josafá se conscientizasse dos seus erros ao se aliar com Acabe, como também da sua negligência com a parte espiritual, pois a bíblia diz que maldito é o homem que confia no homem e faz do seu braço a sua força. Compreendendo o que estava acontecendo Josafá temeu ao Senhor entendendo que sua única saída era começar a buscar o Senhor e reatar a sua comunhão com Ele que estava seriamente prejudicada. O rei era tido como um pastor do povo sob o seu reinado e quando o rei se afastava de Deus o povo também o fazia. Diante desse quadro de declínio espiritual se fez necessário uma convocação santa para que todo o povo buscasse ao Senhor e fosse promovido um grande avivamento espiritual.
3 - NÃO É SÓ NA HORA DO PERIGO QUE SE BUSCA A PRESENÇA DE DEUS
2 Crônicas 20.5 - E pôs-se Josafá em pé na congregação de Judá e de Jerusalém, na Casa do SENHOR, diante do pátio novo. 2 Crônicas 20.6 - E disse: Ah! SENHOR, Deus de nossos pais, porventura, não és tu Deus nos céus? Pois tu és dominador sobre todos os reinos das gentes, e na tua mão há força e poder, e não há quem te possa resistir.
Quando tudo estava bem não se preocuparam em depender do Senhor, mas não hora que a situação se tornou extremamente crítica é que se lembraram disso. Muitos crentes costumam agir dessa maneira quando tudo caminha bem na sua vida. Assim achando que a sua situação é permanentemente boa, já não frequentam tanto os cultos, oram menos ou quase não oram, se apegam aos entretenimentos seculares e deixam Deus em segundo plano, como quem diz: se a coisa apertar eu volto a ser fervoroso. Muitos abusam disso se estribando na misericórdia divina, mas é bom lembrar que de Deus não se zomba e não tem o culpado por inocente.
4 - DEVEMOS SEMPRE SE LEMBRAR DO AGIR DE DEUS EM NOSSA VIDA
2 Crônicas 20.7 - Porventura, ó Deus nosso, não lançaste tu fora os moradores desta terra, de diante do teu povo de Israel, e não a deste à semente de Abraão, teu amigo, para sempre? 2 Crônicas 20.8 - E habitaram nela e edificaram nela um santuário ao teu nome, dizendo:
As promessas de Deus são permanentes e pelo seu poder Ele há de preservá-las para que o inimigo não venha interferir ou tirar proveito em nossos momentos de fraqueza para que venhamos a perdê-las. É preciso entender que Deus sempre opera a favor daqueles que o servem e o buscam. Acontece que as promessas de Deus são condicionais e estão atreladas a nossa obediência e fidelidade a Ele. Se não nos sujeitarmos a Deus para que Ele opere em nós o seu querer e o seu efetuar corremos um sério risco de não alcançarmos as bênçãos que estão nos reservadas.
5 – DEUS QUER QUE SEJAMOS DEPENDENTES DELE EM TODA SITUAÇÃO
2 Crônicas 20.9 - Se algum mal nos sobrevier, espada, juízo, peste ou fome, nós nos apresentaremos diante desta casa e diante de ti; pois teu nome está nesta casa; e clamaremos a ti na nossa angústia, e tu nos ouvirás e livrarás.
O que podemos esperar dos nossos inimigos senão ingratidão e injustiça, isso significa que sob-hipótese alguma podemos fazer qualquer tipo de aliança com esses. Porém os nossos erros quando tornados a lume exige que haja arrependimento e conscientização deles diante de Deus. Nesse momento devemos nos humilhar diante das potentes mãos de Deus para que ao seu tempo certo ele venha nos exaltar. Deus pela sua longanimidade sabe das nossas falhas e fraquezas como também sabe usar de misericórdia para conosco, desde que nos quebrantemos diante da sua presença.
6 – DEUS NÃO PERMITE QUE O INGRATO TRIUNFE CONTRA OS JUSTOS
2 Crônicas 20.10 - Agora, pois, eis que os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, pelos quais não permitiste que passasse Israel, quando vinham da terra do Egito, mas deles se desviaram e não o destruíram, 2 Crônicas 20.11 - eis que nos dão o pago, vindo para lançar-nos fora da herança que nos fizeste herdar.
Para aquele que se humilha diante de Deus e procura andar nos seus preceitos a palavra diz que pelejarão contra ti, mas não prevalecerão contra ti. Quando o inimigo tenta nos atacar, na realidade estão atacando o próprio Deus. Precisamos ter essa certeza de que Deus jamais permitirá que o inimigo triunfe contra nós. Assim temos que sentir todas as razões em crer que Deus agirá ao nosso favor para que possamos ficar em paz e confiantes nos seus feitos. Quando o inimigo tenta nos atacar, na realidade estão atacando o próprio Deus.
7 - SEM DEUS NÃO TEMOS FORÇA PARA ENFRENTAR NOSSOS INIMIGOS
2 Crônicas 20.12 - Ah! Deus nosso, porventura, não os julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti.
Alguns crentes precisam chegar ao limite das suas forças para dar oportunidade de Deus agir na questão conflitante. Há situações que o homem precisa estar reduzido a nada quando oprimido por uma força superior maligna para que se lembre de invocar o nome do Senhor. Quando não há forças para resistir uma situação, somente uma intervenção divina pode nos dar o livramento. É com os nossos olhos postos no Senhor que podemos contar com o socorro de Deus. Elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro; o meu socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Realizo essa obra com poucos recursos e preciso do seu apoio para mantê-la e expandi-la. Ajude-me a alcançar mais pessoas com a verdadeira sã doutrina!
 Gostaria de fazer uma doação? Clique no botão abaixo.

Contato com o Pastor Adilson