Escola Dominical - Esboços da EBD

EBD Comentários - Lições Biblicas da CPAD

Pastor Adilson Guilhermel

 Home    Agenda     Lições EBD    Sermões    Contato
Lições Bíblicas 1° Trimestre 2018 CPAD - A Supremacia de Cristo

 

Lição 3 - A Superioridade de Jesus em Relação a Moisés.

Lições Bíblicas: CPAD - Trimestre: 1° de 2018 – 21 de Janeiro de 2018

Texto Áureo - "Porque ele é tido por digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou." (Hb 3.3)

Leitura Bíblica em Classe - Hebreus 3.1-19

Introdução: Alguns dos judeus cristãos, mesmo tendo supostamente se convertido ao Senhor, não o consideravam superior a Moisés. A linha de pensamento desses judeus entendia que Jesus era apenas um profeta, assim como pensavam sobre Moisés. Porém achavam que Moisés era superior a Cristo no ministério profético em razão das operações de maravilhas que Deus realizou através dele, tanto no Egito, como na peregrinação pelo deserto. Moisés foi um líder de grande importância na condução do povo hebreu, desde o Egito, até a porta de entrada de Canaã. Ele não foi consagrado a legislador, nem a sacerdote, porém exerceu ofícios variados na liderança do povo hebreu. Moisés não é depreciado em relação a Cristo, mas entre eles existe uma grande diferença bem maior daquilo que os hebreus podiam imaginar. Moisés foi chamado para conduzir o povo e Cristo foi enviado para salvar o povo. Cristo após consumar o seu sacrifício na Cruz e ressuscitando ao terceiro dia tornou-se o apóstolo e sumo sacerdote da nossa fé, sendo que nenhum outro em todo mundo, nem Moisés pode ter esse ofício.

1. Igreja, os hebreus herdaram a Canaã terrena, nós herdamos a celestial.

Hebreus 3.1 POR isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão, Hebreus 3.2 Sendo fiel ao que o constituiu, como também o foi Moisés em toda a sua casa.

A nossa vocação celestial está em priorizar estar em condição de herdar a salvação, como também participar da glória futura em Cristo. Portanto devemos estar apegado a Cristo em todo o tempo e jamais a anjos, Moisés ou à lei, pois quem assim o faz está desviando o curso da sua fé e abrindo um caminho para a apostasia. Tem muitos nesses dias usando imitações dos utensílios do templo nos seus cultos, como também estolas sacerdotais, os quais na realidade não estão vestidos, mas fantasiados.

2. Igreja, os hebreus tinham um tabernáculo, mas nós somos o tabernáculo.

Hebreus 3.3 Porque ele é tido por digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou. Hebreus 3.4 Porque toda a casa é edificada por alguém, mas o que edificou todas as coisas é Deus.

Moisés sem nenhum desmerecimento foi apenas um servo usado por Deus em vários ofícios e, entre esses, o de edificar o Tabernáculo no deserto segundo as especificações entregues a ele no monte Sinai. Na realidade a participação dele foi a confecção do Tabernáculo, mas o projeto foi totalmente de Deus. Esse Tabernáculo que perdurou até a construção do Templo em Jerusalém por Salomão era o lugar de adoração do povo hebreu e onde Deus manifestava a Sua presença. Era então a glória da primeira casa continuou, até Cristo edificar a Sua igreja, a qual é composta de cada indivíduo que O professa como Senhor e Salvador. Nesse caso cada crente é um tabernáculo vivo (Sabendo que brevemente hei de deixar este meu tabernáculo, como também nosso Senhor Jesus Cristo já mo tem revelado. 2 Pedro 1:14).   

3. Igreja, os hebreus foram conduzidos por um servo, mas nós pelo Filho.

Hebreus 3.5 E, na verdade, Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo, para testemunho das coisas que se haviam de anunciar;  Hebreus 3.6 Mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim.

O tabernáculo edificado por Moisés com toda a sua estrutura e utensílios apontava para Cristo, através se vários símbolos e cerimônia ali realizados. Somos também templo do Espírito: Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?  I Coríntios 6:19). Deus não habita mais no templo construído pela mão do homem, mas habita em nós que somos o templo do Seu Espírito edificado por Cristo. A glória da segunda casa será maior que a primeira, significa que sendo templo de Deus, somos a glória da segunda casa.

4. Igreja, não sejam incrédulos como os hebreus, mas ouça a voz do Senhor.

Hebreus 3.7 Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, Hebreus 3.8 Não endureçais os vossos corações, Como na provocação, no dia da tentação no deserto. Hebreus 3.9 Onde vossos pais me tentaram, me provaram, E viram por quarenta anos as minhas obras. Por isso me indignei contra esta geração, E disse: Estes sempre erram em seu coração, E não conheceram os meus caminhos. Hebreus 3.11 Assim jurei na minha ira Que não entrarão no meu repouso.

O povo hebreu, sempre foi um povo tido como um povo de dura cerviz, pelas suas rebeliões, murmurações e inclinações à idolatria. Antes da lei o pecado não era imputado, mas a partir do momento que a lei foi promulgada e entregue ao povo, o pecado passou a ser imputado, e mesmo, muitos do povo sabendo o que a lei permitia e o que não permitia, eles sempre optavam para o lado do que não era permitido. A antiga aliança imputava o pecado em relação aos hebreus, mas não devemos ignorar que a nova aliança também imputa o pecado e com mais rigor que a anterior. Muitos nesses tempos costumam dizer que agora estamos debaixo da graça, como que tivessem licença para praticar coisas erradas. Esse é um pensamento dotado de grande estupidez, pois Deus (Por isso, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade; Porque o nosso Deus é um fogo consumidor. Hebreus 12:28,29).

5. Igreja, não imite os hebreus que fracassaram, mas sede firme e constante.

Hebreus 3.12 Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Hebreus 3.13 Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; Hebreus 3.14 Porque nos tornamos

participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim.

Os hebreus deram muito trabalho a Moisés, pois eram um povo totalmente instáveis na fé, como também coxeavam em seus pensamentos e atitudes no que se referiam as promessas de Deus. A incredulidade desse povo os levava constantemente às murmurações por qualquer motivo, e isso era algo que deixava Deus indignado e irado. Mesmo com os juízos divinos que vinham sobre eles, não alteravam a sua conduta totalmente aborrecedora. (Quarenta anos estive desgostado com esta geração, e disse: É um povo que erra de coração, e não tem conhecido os meus caminhos. Salmos 95:10). Jesus exortou os seus seguidores quanto a perseverança na fé (Mateus 24:9-13 “Então sereis entregues a tortura, e vos matarão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos hão de se escandalizar, e trair-se uns aos outros, e mutuamente se odiarão. Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos; e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo).

6. Igreja, não caia no erro dos hebreus, mas ouça o que o Espírito diz a Igreja.

Hebreus 3.15 Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação. Hebreus 3.16 Porque, havendo-a alguns ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por meio de Moisés. Hebreus 3.17 Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi porventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? Hebreus 3.18 E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes? Hebreus 3.19 E vemos que não puderam entrar por causa da sua incredulidade.

Os hebreus na antiga aliança constantemente endureciam os seus corações não dando ouvidos ao que a lei moral, cerimonial e cível determinava. A obediência à lei na sua completude era condicional para os manterem na condição de salvos. No período de quarenta anos no deserto o comportamento desse povo provocava por várias vezes a ira de Deus. Mesmo sendo castigados por algum juízo divino, eles ainda assim continuaram provocando o Senhor e por esse motivo todo o povo de vinte anos para cima, com exceção de Josué e Calebe, pereceram no deserto e não entraram no repouso. (Neste deserto cairão os vossos cadáveres, como também todos os que de vós foram contados segundo toda a vossa conta, de vinte anos para cima, os que dentre vós contra mim murmurastes; Não entrareis na terra, pela qual levantei a minha mão que vos faria habitar nela, salvo Calebe, filho de Jefoné, e Josué, filho de Num. Números 14:29,30). A igreja do Senhor não pode cair no mesmo erro dos hebreus, embora muitos crentes são aversos a sã doutrina e a obediência aos preceitos divinos. (Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas 2 Timóteo 4:3,4). Assim como grande parte dos hebreus não entrou na Canaã terrena, também muitos crentes não entrarão na Canaã celestial.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

 
ASSEMBLÉIA DE DEUS - Ministério Redenção -  Rua Frei Gaspar n° 3255 - Cidade Náutica  São Vicente - São Paulo
 Cultos: quarta, sexta e domingo a partir das 19h30. - Escola Dominical às 9h30
Seja Bem-vindo.
Caso sinta de enviar uma oferta para essa obra deposite nessa conta: Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta 0942-7 
Contato com o Pastor  Adilson