EBD Esboços

Home         Agenda         EBD         Sermões         Contato
 

 

Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
TEXTO ÁUREO:
“Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime do que os céus.” (Hb 7.26)
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:
Êxodo 28.1; Levítico 8.22; Hebreus 7.23-28; 1 Pedro 2.9 

Introdução: Os dois sacerdócios podem ser comparados entre o da antiga aliança e o da nova aliança, onde um era provisório e o outro efetivo. O provisório tinha o propósito divino de conduzir o povo de Israel até a cruz, desde que foi legislado as leis cerimoniais quando ainda no deserto até a sua extinção. Essa extinção que tornou essas leis cerimoniais obsoletas deu-se na cruz onde o sacrifício perfeito foi consumado. O efetivo iniciou-se após Jesus realizar o sacrifício perfeito através de si mesmo tomando por todos os méritos a posição de Sumo Sacerdote da Nova Aliança que perdurará em todo o período da dispensação da graça divina e se prolongará por toda a eternidade. Dentro da linhagem do sacerdócio arônico, nenhum deles tinha condições totalmente perfeitas e completas para suprir as necessidades do povo no sentido espiritual. Somente Cristo como o Sumo Sacerdote tem condições de suprir perfeitamente todas as nossas necessidades num sentido completo. Os Sumo Sacerdotes da antiga aliança por mais que procurassem viver em santidade, na realidade eram imperfeitos, tanto que precisavam oferecer sacrifícios por si próprios para poderem oficializar os rituais cerimoniais. Mas, no caso de Cristo, Ele é perfeito por dentro e por fora totalmente inculpável e sem mácula, que com apenas um sacrifício consumado na Cruz resolveu a questão do pecado de uma vez por todas. Assim, Jesus é o nosso Sumo Sacerdote que está à destra do Deus Pai, nos dando graça e da sua misericórdia que precisamos em qualquer falta que venhamos a cometer.
1. O sacerdócio levítico dependia de escolha divina, o de Cristo não dependeu.

Êxodo 28.1 - Depois, tu farás chegar a ti teu irmão Arão e seus filhos com ele, do meio dos filhos de Israel, para me administrarem o ofício sacerdotal, a saber: Arão e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Levítico 8.22 - Depois, fez chegar o outro carneiro, o carneiro da consagração; e Arão e seus filhos puseram as mãos sobre a cabeça do carneiro;

A diferença entre os dois sacerdócios entre o levítico e o de Cristo é que o levítico não era conquistado pelo homem, pois sendo provisório dependia totalmente de uma escolha divina. Já o sacerdócio de Cristo dependia de ser conquistado e, isso Ele o fez ao finalizar a sua vitória na Cruz. Os critérios divinos na escolha daqueles que irão serví-lo em funções específicas e de grande responsabilidade, não são feitas por direito a posição, como também por merecimento. A escolha é uma prerrogativa pessoal de Deus e não do homem que não tem esse direito e jamais o terá. Os escolhidos por Deus nesse caso são os da família de Arão, os quais foram incumbidos de servir como sacerdotes no tabernáculo e representar o povo diante de Deus. Também seria os representantes de Deus diante do povo, com a responsabilidade de ensiná-los nos preceitos da lei e doutriná-los a obedece-la na sua íntegra. O Sacerdócio de Cristo é completo, ao contrário do levítico que era incompleto. Agora o único representante divino neste mundo como Sumo Sacerdote é Cristo que a destra do Pai enviou o Espírito Santo para nos ensinar nos preceitos da sua palavra e nos conscientizar que obedecer é melhor do que sacrificar. (Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 6:20).

2. O sacerdócio levítico era provisório pois eles morriam, o de Cristo é eterno.

Hebreus 7.23 - E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque, pela morte, foram impedidos de permanecer; Hebreus 7.24 - mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. Hebreus 7.25 - Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

A finalização do ministério sacerdotal ocorria somente através da morte indicando que nenhum deles poderia servir indefinidamente. Sempre que ocorria a morte do sacerdote era escolhido outro da mesma linhagem para o sacerdócio continuar mostrando assim as limitações da Antiga Aliança. Jesus Cristo, diferentemente do sacerdócio levítico permanece eternamente, porque alcançou a perpetuidade. Significa que nunca vai ser alterado, pois é imutável, inalterável, inviolável, ou seja, algo que não pode ser mudado. O sacerdócio levítico não fazia intercessão contínua pelo povo, isso só acontecia de uma forma geral, no dia da Expiação, que ocorria apenas uma vez por ano, quando o Sumo Sacerdote adentrava ao Santo dos Santos para realizar o ritual de purificação. Agora, diferentemente do sacerdócio levítico, Cristo faz intercessão contínua por todos os que se chegam a Ele.

3.  O sacerdócio levítico necessitava de purificação, Cristo é sacerdócio puro.

Hebreus 7.26 - Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime do que os céus, Hebreus 7.27 - que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente, por seus próprios pecados e, depois, pelos do povo; porque isso fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. Hebreus 7.28 - Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.

Os sacerdotes levíticos não poderiam oficializar os rituais de sacrifício sem passar por todas as etapas de purificação para que não fossem mortos, pois todos eram pecadores. Jesus para vir a ser o Sumo Sacerdote, era condicional que completasse toda a sua missão salvífica sendo completamente justo e sem pecado. E isso Ele o fez com toda perfeição vencendo todos os obstáculos que surgiram em toda sua caminhada, como também se livrando de todas as armadilhas preparadas pelo Diabo.  Estamos sujeitos a pecar diariamente se não vigiarmos; daí, a necessidade de termos um Sumo Sacerdote que podemos buscar a qualquer momento de socorros espirituais, pois Ele está sempre pronto a nos dar da sua graça e misericórdia que necessitamos para não acumular pecados. Se pecarmos Ele é o nosso advogado junto ao trono de Deus. E, se confessarmos os nossos pecados Ele é fiel e justo para nos perdoar e, o seu sangue nos purifica de todo o pecado.

4. O sacerdócio levítico era um sacerdote, agora todos nós somos sacerdotes.

1 Pedro 2.9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.

Primeiramente Israel foi o povo escolhido para ser uma nação santa (Porque povo santo és ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra. Deuteronômio 7:6) Estariam no mundo, mas não se contaminarem com o mundo. Seriam um povo grandemente abençoado, para testificar ao povo do mundo a grandeza de Deus. Porém não o fizeram e preferiram se contaminar com o mundo perdendo assim esse grande privilégio de estar debaixo das benevolências divina e mais grave ainda, por terem rejeitado Cristo como o Messias enviado por Deus. Ainda terá outra oportunidade de reconhecer Cristo como Jesus o Salvador, mas será em circunstâncias bem adversas no período da grande tribulação, quando a igreja não estiver mais neste plano terreno. Assim como Israel, a igreja é o povo escolhido de Deus e sua propriedade peculiar, um reino de sacerdotes e uma nação santa e como Israel, somos chamados a ser luz para justificarmos a nossa fé para um mundo que está caminhando para a perdição eterna. Privilégios trazem responsabilidade e a responsabilidade de Israel era obedecer aos mandamentos divinos e testificar que só em Deus a salvação acontece. Israel falhou e perdeu esses privilégios, embora haverá outra oportunidade, porém a igreja que tem esse privilégio, não pode seguir os maus exemplos de Israel, pois a dispensação da graça que envolve a igreja se encerrará no momento do arrebatamento e não terá outra oportunidade. O que só um sacerdote poderia fazer uma vez por ano, que era entrar no lugar santíssimo, nós podemos fazer a qualquer momento, pois somos sacerdotes reais do Senhor, graças ao Senhor Jesus que rasgou o véu de separação.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

 
Quer ajudar a propagar esta obra? Clique no botão acima e faça uma doação. />
 

ASSEMBLÉIA DE DEUS - Ministério Redenção -  Rua Frei Gaspar n° 3255 - Cidade Náutica São Vicente - São Paulo 
 Cultos: quarta, sexta e domingo a partir das 19h30. - Escola Dominical às 9h30
Sejam Bem-vindos. 
 
Contato com o Pastor Adilson