Escola Dominical - Esboços e Comentários da EBD
Home         Agenda         EBD         Sermões         Contato
 
Tabernáculo - Um lugar da Habitação de Deus
Lição 1 - 7 de Abril de 2019
TEXTO ÁUREO: “E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.” (Êx 25.8).
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Êxodo 25.1-9

Introdução: Todos os planos de Deus têm um propósito, sejam eles para um período contemporâneo ou futuro. Nesse caso a construção do tabernáculo tinha uma visão tanto contemporânea, como futurística, sempre tipificando a Cristo nas peças e materiais que foram utilizados. Foram usados quatorze tipos de materiais: ouro, prata, cobre madeira de acácia, estofo azul, púrpura, carmesim, linho fino, pelo de cabras e carneiro, animais marinhos, azeite, pedras preciosas e especiarias, sendo que tudo isso tinha um significado dentro dos propósitos divinos. Toda a construção tinha que estar de conforme como Deus ordenou, sendo que o homem não poderia acrescentar qualquer detalhe por sua conta nessa construção, para que pudesse haver a aprovação divina, pois se fizessem algo contrário não seria aceito.

TABERNÁCULO, UMA MORADA MÓVEL E TRANSITÓRIA PARA DEUS

1. Deus não obriga ninguém a ofertar, Ele só aceita se feito com voluntariedade
Êxodo 25.1 - Então, falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Êxodo 25.2 - Fala aos filhos de Israel que me tragam uma oferta alçada; de todo homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada.
Deus ao tirar o povo do Egito, os fez caminhar por quarenta anos no deserto por causa da rebelião na questão dos espias, porém não os abandonou, muito pelo contrário, Ele quis fazer uma morada no meio deles, para estar junto e não ausente. Essa morada chamada tabernáculo deveria ser construída com materiais que o povo possuía materiais esses trazidos do Egito pela providência divina. Os materiais solicitados pertenciam a Deus, mas, no entanto, não os obrigou a trazer a força, pois tudo tinha que ser entregue com voluntariedade, isso porque, o Senhor não aceita nada por obrigação. 2 Coríntios 9.7 Deus ama aquele que dá com alegria.
2. Deus nos dá o melhor e, portanto, merece o melhor daquilo que nos abençoa.
Êxodo 25.3 - E esta é a oferta alçada que tomareis deles: ouro, e prata, e cobre,
A oferta alçada deve ser dada com voluntariedade e, ela tem objetivos específicos, como nesse caso, a construção do tabernáculo. Na lista de utensílios que Deus relacionou para essa construção, não havia metais que enferrujassem, tal como o ferro, pois todo esse material tipificaria coisas eternas. Significa que tudo tinha uma tipificação com Jesus Cristo e, portanto apontava para coisas eternas. Todos os israelitas que fizessem as suas doações seriam abençoados, mesmo os mais pobres que não possuíam ouro, ou prata. Nesse caso, poderiam dar o cobre, pois cada dádiva teria a sua utilidade, e cada indivíduo seria abençoado pelo seu coração voluntário. O ouro com tipo tipifica a sua realeza; prata a redenção; cobre a justiça.
3. Deus quis o Tabernáculo com os materiais figurando e simbolizando o Cristo.
Êxodo 25.4 - e pano azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e pelos de cabras, Êxodo 25.5 - e peles de carneiros tintas de vermelho, e peles de texugos, e madeira de cetim,
Com sentidos simbólicos o pano azul; a cor celeste; simbolizava a espiritualidade; a púrpura simbolizava a realeza; o carmesim; simbolizava os sacrifícios; e, tudo apontando exclusivamente para Cristo, tanto na condição celestial, como na condição terrena. O linho fino era destinado às vestimentas dos sacerdotes, na cor branca, significando a pureza e santidade. Os pêlos de cabra eram usados para encobrir o tabernáculo. Peles de carneiros eram tingidas de vermelho e usadas também na cobertura do tabernáculo. Peles de animais marinhos eram usadas para cobrir a arca da aliança, quando o tabernáculo era levado para outro lugar. Madeira de acácia era usada nas estruturas do tabernáculo, como também na confecção da arca da aliança.
4. Deus não quer a luz exterior e sim a interior abastecida com coisas sagradas.
Êxodo 25.6 - e azeite para a luz, e especiarias para o óleo da unção, e especiarias
para o incenso,
O óleo ou azeite simboliza o Espírito santo. Aqui nesse caso ele é usado para a iluminação, representando o ministério iluminador de almas representado pelo Espírito Santo. O lugar santo não poderia ser iluminado com luz exterior, por isso o Senhor ordenou o uso do azeite para manter o candelabro aceso para iluminar o recinto sagrado. Incenso era uma resina aromática de certas árvores que, misturada com especiarias, era queimada nas cerimônias de adoração a Deus, de manhã e à tarde. O incenso era símbolo das orações que subiam para Deus.
5. Deus é quem determina as ornamentações de quem vai ministrar o sagrado.
Êxodo 25.7 - e pedras sardônicas, e pedras de engaste para o éfode e para o peitoral.
Essas pedras preciosas e semipreciosas eram usadas para decorar o peitoral do sumo sacerdote. No peitoral do sumo sacerdote havia doze pedras, todas elas diferentes, pedras essas, que representavam as doze tribos de Israel. Isso mostrava que o sumo sacerdote era a autoridade espiritual sobre essas tribos, o qual uma vez por ano fazia a cerimônia expiatória por todo o povo. Após a Cruz, esse ofício do Sumo Sacerdote não existe mais e, nem deve existir mais, tanto em Israel, como em qualquer do mundo, pois esse ofício agora pertence exclusivamente a Jesus, o qual a destra do Pai está operando esse ofício por nós.
6. Deus quer um santuário feito com parte dos bens que tinha propiciado o povo.
Êxodo 25.8 - E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Êxodo 25.9 - Conforme tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis.
Deus só habita em lugar que Ele planeja e não construído pela mente humana. O propósito e desejo de Deus em mandar erguer um tabernáculo era habitar no meio do seu povo, mas para isso Ele forneceu o padrão que deveria ser seguido à risca na construção do seu lugar de habitação. A valorização dessa obra estava em todos os materiais exigidos, as quais têm toda uma tipologia e simbologia, que são tesouros espirituais extremamente importantes para o nosso conhecimento. Devemos aprender a valorizar e dar toda importância às coisas que Deus valoriza, e uma delas também diz respeito a nós, que atualmente é o seu lugar de habitação. Deste o princípio, Deus sempre procurou habitar com o homem e no decorrer da história, Ele habitou com o homem no tabernáculo de Moisés, no tabernáculo, construído pelo rei Davi, no Templo de Salomão e, agora Ele habita na igreja, pois somos templo do Espírito Santo. Vimos assim que Deus habitou com o homem, entre os homens e, finalmente, nos homens.

Comentários elaborados pelo Pastor Adilson Guilhermel
 
Quer ajudar a propagação do site? Clique no botão acima. 
 

Assembléia de Deus Redenção - Rua Frei Gaspar, 1652  Parque São Vicente - São Vicente - S.P.

Clique aqui> Fale com o Pastor 
Assembléia de Deus Redenção