Home   Agenda   Escola Dominical   Estudos Bíblicos   Contato

Escola Dominical - Esboços da EBD

Lições do 3° Trimestre de 2014 - CPAD - Jovens e Adultos
  
 
Lições Bíblicas 

  EBD: 3º trimestre 2014 - Fé e obras
Ensinos de Tiago para uma Vida Cristã Autêntica

 

O JULGAMENTO E A SOBERANIA PERTENCEM A DEUS

Lição 11 - 14 de Setembro de 2014
Texto Áureo: Ha só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?” (Tg 4.12).
Leitura Bíblica em Classe: Tiago 4.11-17

QUEM JULGA O IRMÃO TRANSGRIDE A PALAVRA DE DEUS

Introdução: O indivíduo ao formar um conceito, emitir parecer, ou dar opinião sobre alguém, de certa forma já o está pré-julgando, ou no sentido condenativo ou absolvitivo. Essa é uma prática que de alguma maneira todos estão enquadrados nela, porém não é uma prática que devemos seguir principalmente como cristãos. No mundo secular a prerrogativa de julgar não está nas mãos do povo, pois a lei condena quem faz justiça pelas próprias mãos, isto porque, existem os juízes credenciados para isso. Acontece que muitas vezes o povo é incontido dessa prática motivado pelas parcialidades da justiça em favor dos que tem o poder do dinheiro, das influências e da política para se livrarem dos seus atos ilícitos e criminosos comprando a benevolência de juízes corruptos e subornáveis. Um país que tem o executivo, judiciário e legislativo que não despertam a confiança do povo por causa das muitas suspeitas de falcatruas que são levantadas pela imprensa é evidente que vai gerar no povo um sentimento revoltoso, os quais não conseguem deixar de julgar e condenar essas ilicitudes. Porém o cristão que crê na justiça soberana de Deus, não deve se envolver em qualquer tipo de julgamento, principalmente entre os irmãos na fé, pois quem assim procede está desacreditando do Deus que não tem o culpado por inocente e que jamais deixará de agir com a sua justiça imparcial.
I. O CRENTE QUE JULGA SEU IRMÃO SE ARRISCA PERDER A SALVAÇÃO
1. Quem fala mal do irmão demonstra ter o coração totalmente desprovido de amor. (Tg 4.11a). Irmãos, não faleis mal uns dos outros. - Por isso, a ira de Deus se manifesta contra toda injustiça que suprime a verdade pela injustiça Romanos 1.18
A harmonia entre os crentes é condicional para uma convivência mútua, pois o amor de Deus que foi implantado em nosso coração ao nos convertermos a Ele, possa se desenvolver continuamente para que possa haver sinais de uma transformação real em nossas vidas. A bíblia adverte que somos mentirosos se dissermos que amamos a Deus e não amamos o nosso irmão. Quando a justiça de Deus foi revelada, também foi revelada a sua ira. O outro lado da justiça de Deus é a sua ira contra o mal. Certas atitudes condenáveis na vida do crente podem provocar a sua ira, a qual é a resposta da sua santidade a toda e rebelião. Se cometermos impiedades e injustiças contra um irmão estaremos afastando de nós à verdade da palavra de Deus.
2. Quem fala mal do irmão está julgando e quem julga quer tomar o lugar de Deus. (Tg 4.11b). Quem fala mal de um irmão e julga a seu irmão fala maI da lei e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. - Não julguem, para que vocês não sejam julgados Mateus 7.1
Falar mal confronta o nono mandamento "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo Êxodo 20.16. Também infringe uma lei de Cristo: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo" Mateus 22.39. Jesus classificou esse mandamento como sendo o segundo maior mandamento. Se um crente fala mal contra outro crente, ele fala mal da lei e julga a lei, porque não está demonstrando o amor exigido por Deus e não trata com os outros como gostaria de ser tratado. Essa desobediência é um desrespeito à lei, pois está julgando a sua legitimidade. Quando alguém faz isso, está se colocando acima de Deus, o qual é o único que tem essa prerrogativa de julgar. Devemos praticar a disciplina da Igreja, mas os seguidores de Cristo não devem ser críticos ou sentenciadores nas suas atitudes em relação aos outros. Quem tem um espírito crítico e arbitrário demonstra uma falta de amor preocupante. A nossa comunhão com Cristo não nos confere licença para tomar o lugar de Deus como Juiz. Quem julga dessa maneira também serão julgados por Deus. Deus tem misericórdia de quem tem misericórdia, mas também condena aqueles que condenam.

 

3. Quem fala mal do irmão infringe a lei do amor e tenta usurpar a autoridade divina - (Tg 4.12). 12 - Há só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem? - E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Lucas 6:41
No corpo de Cristo não tem lugar para críticas ásperas e severas, porque por trás do espírito de crítica, está uma atitude que usurpa a autoridade de Deus. Muitos crentes acham fácil preocupar-se com o argueiro que está no olho de outra pessoa, mas não são capazes de ver uma trave no seu próprio olho. É costume as pessoas não enxergarem os seus próprios pecados, mas se preocupam em achar pecados nos outros. A pessoa critica os defeitos de outra pessoa, mas não aplica a mesma observação para si mesmo, pois se a pessoa se preocupa com o cisco que está no olho da outra, antes deve se preocupar com a trave que esta no seu. Significa que se olharmos para a nossa vida veremos muitos defeitos, os quais não nos dão o direito de enxergar defeitos nos outros. (Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 1 João 1:10).
II. A SOBERANIA DIVINA DEVE SER RECONHECIDA ENQUANTO VIVEMOS
1. O cristão deve planejar os seus negócios buscando sempre a orientação divina - (Tg 4.13). Ei a, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos. - Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do Senhor permanecerá. Provérbios 19:21
Todo cristão deve saber que Deus tem um plano para a nossa vida e sendo um Deus de sabedoria e presciente, Ele sabe o que deve acontecer e o que vai acontecer adiante. Precisamos compreender que Deus quer o melhor para os seus filhos e fazer a vontade dele é a atitude mais sensata que devemos fazer. A nossa vida diária envolve sempre tomada de decisões e fora da vontade de Deus, tudo é incerto. Porém quando procuramos fazer a sua vontade todas as coisas começam a fazer sentido. Como cristãos devemos estar certos que Deus proverá todas as nossas dificuldades. Fazendo os nossos próprios projetos eles serão sempre vacilantes, isto porque não devemos ignorar que só Deus tem os conselhos sábios, firmes e uniformes. Devemos entender que todos os propósitos de Deus são justos e bons e serão cumpridos, no devido tempo.
2. O cristão deve saber que o desconhecido amanhã pertence somente ao Senhor – (Tg 4.14). Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece - Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Provérbios 27:1
A vida não é incerta para Deus, mas o é para nós. Só estaremos seguros do amanhã s estivermos dentro da vontade de Deus, pois sabemos que o Senhor nos conduz por caminhos confiáveis. Deus não nos diz para contar os anos e sim para contar os dias, porque se vive um dia de cada vez, e, à medida que envelhecemos, tais dias passam cada vez mais rapidamente. O nosso amanhã deve ser planejado com submissão à vontade de Deus, pois se assim não o fizermos poderemos ser surpreendido pelos acontecimentos súbitos. Tem aqueles que ao receber a mensagem do evangelho, procuram adiar a sua conversão para mais adiante e essa é uma obra que não pode ser adiada, pois o amanhã é uma incerteza para todos nós. Um pouco de tempo pode produzir mudanças consideráveis, que mal podemos imaginar.
3. O cristão deve estar na vontade de Deus em seu modo de lidar com o futuro - (Tg 4.15). Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. – (Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam ensoberbecidos, mas o poder. 1 Coríntios 4.19).
Quase todas as pessoas tem o costume de falar; Se Deus quiser, Se Deus permitir e isso não deve ser apenas uma declaração da boca para fora, mas sim uma atitude constante de todo o coração. Não podemos viver de uma forma independente de Deus; portanto, os nossos planos não podem ignorá-lo. Podemos fazer planos, mas devemos reconhecer a vontade superior de Deus e a soberania divina. Os nossos planos devem ser avaliados pelos padrões e objetivos de Deus e, é isso que agrada a Ele. O apóstolo Paulo sempre usou o termo; se for a vontade de Deus e com isso ele indicava que todos deveriam conscientemente também agir dessa forma. Deus não revela a sua vontade aos curiosos e aos indiferentes, mas sim aos que estão prontos e dispostos a obedecer a Ele.

 


III. É PECADO O CRENTE SER ARROGÂNTE E TAMBÉM AUTOSSUFICIÊNTE
1. Quem se gloria do que faz está tirando de Deus o direito honroso que lhe cabe (Tg 4.16a). Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; (Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça. João 7:18).
Tudo o que o crente faz e são bem sucedidos não pode ser atribuído a si próprio, pois se assim acontece a pessoa está buscando honra e glória para si, e tirando de Deus o direito que só cabe a Ele. O próprio Cristo despojando de toda a sua glória não ousou ser igual a Deus durante a sua missão salvadora em seu ministério terreno. (Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Filipenses 2:6). O apóstolo Paulo mesmo sendo bem sucedido em seu ministério, também deixou lições a esse respeito quando disse: (Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. 1 Coríntios 15:9). Quantos são os que agem dessa maneira chamando a glória para si próprio e deixando Deus de lado, o que é uma grande estupidez.
2. A malignidade do orgulho das presunções é deixar Deus fora de tudo o que faz (Tg 4.16b). toda glória tal como esta é maligna. (Por amor de mim, por amor de mim o farei, porque, como seria profanado o meu nome? E a minha glória não a darei a outrem. Isaías 48:11).
Aquele que se vangloria e faz propaganda do que não tem capacidade de fazer, ou mesmo que tenha capacidade, mas atribui a si próprio àquilo que conquista, na realidade está se vangloriando com uma vanglória maligna. Pensar que vamos fazer isso ou aquilo sem considerar a vontade de Deus é sinal de arrogância, e essa arrogância nada mais é do que pecado. Todo o plano que o homem faz e que ignoram Deus e seu conselho e sabedoria é de procedência maligna. O problema do orgulho arrogante está no fato de que ele nos leva a acreditar que somos autossuficientes e confiantes em nossos próprios esforços e empreendimentos. Se agirmos assim estamos desconsiderando Deus como o centro dos nossos planejamentos, e isso nos leva a focar o nosso eu deixando Deus de lado. O que deve prevalecer na vida do cristão é à vontade e a dependência de Deus em tudo que fizermos em nossa caminhada cristã, se quisermos verdadeiramente ser bem sucedidos. Deus tem ciúme da honra do seu próprio nome, e não permitirá que a vanglória do homem avance mais do que aquilo que redunde para a sua glória. (E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado. Mateus 23:12).
3. O Senhor quer que façamos o bem, a não obediência é pecar contra a palavra - (Tg 4.17). Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado. (O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo. Mt 25.45).
Quando deixamos de fazer algo por alguém sabendo que deveríamos fazer e não fazemos passamos a incorrer no pecado de omissão. Se negligenciarmos em atos de caridade, não somente desperdiçamos uma oportunidade de obedecer, como também estaremos pecando. Negligenciar atos de bondade para com um irmão na realidade não testifica a verdadeira salvação, pois a nossa salvação vem pela fé e, é testificada pelas boas obras a qual devemos praticar com espontaneidade. É preciso compreender que Deus separará os seus verdadeiros seguidores dos fingidos e dos infiéis, e os seus destinos serão completamente diferentes. A evidência real da nossa fé é a maneira como agimos para com o nosso próximo.

 


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.
 
 Ajude esta obra com uma oferta
 
Banco Itaú  Agência 9184 
 Conta corrente  05524-3
 

O JULGAMENTO E A SOBERANIA PERTENCEM A DEUS

Lição 11 - 14 de Setembro de 2014
Texto Áureo: Ha só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?” (Tg 4.12).
Leitura Bíblica em Classe: Tiago 4.11-17

QUEM JULGA O IRMÃO TRANSGRIDE A PALAVRA DE DEUS

I. O CRENTE QUE JULGA SEU IRMÃO SE ARRISCA PERDER A SALVAÇÃO
1. Quem fala mal do irmão demonstra ter o coração totalmente desprovido de amor. (Tg 4.11a). Irmãos, não faleis mal uns dos outros. - Por isso, a ira de Deus se manifesta contra toda injustiça que suprime a verdade pela injustiça Romanos 1.18

2. Quem fala mal do irmão está julgando e quem julga quer tomar o lugar de Deus. (Tg 4.11b). Quem fala mal de um irmão e julga a seu irmão fala maI da lei e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. - Não julguem, para que vocês não sejam julgados Mateus 7.1

3. Quem fala mal do irmão infringe a lei do amor e tenta usurpar a autoridade divina - (Tg 4.12). 12 - Há só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem? - E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Lucas 6:41

II. A SOBERANIA DIVINA DEVE SER RECONHECIDA ENQUANTO VIVEMOS
1. O cristão deve planejar os seus negócios buscando sempre a orientação divina - (Tg 4.13). Ei a, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos. - Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do Senhor permanecerá. Provérbios 19:21

2. O cristão deve saber que o desconhecido amanhã pertence somente ao Senhor – (Tg 4.14). Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece - Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Provérbios 27:1

3. O cristão deve estar na vontade de Deus em seu modo de lidar com o futuro - (Tg 4.15). Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. – (Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam ensoberbecidos, mas o poder. 1 Coríntios 4.19).

III. É PECADO O CRENTE SER ARROGÂNTE E TAMBÉM AUTOSSUFICIÊNTE
1. Quem se gloria do que faz está tirando de Deus o direito honroso que lhe cabe (Tg 4.16a). Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; (Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça. João 7:18).

2. A malignidade do orgulho das presunções é deixar Deus fora de tudo o que faz (Tg 4.16b). toda glória tal como esta é maligna. (Por amor de mim, por amor de mim o farei, porque, como seria profanado o meu nome? E a minha glória não a darei a outrem. Isaías 48:11).

3. O Senhor quer que façamos o bem, a não obediência é pecar contra a palavra - (Tg 4.17). Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado. (O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo. Mt 25.45).

 
l