Home   Agenda   Escola Dominical   Estudos Bíblicos   Contato
Escola Dominical - Esboços da EBD

Lições do 4º Trimestre de 2013 - CPAD - Jovens e Adultos
  
 
 

Sabedoria de Deus para uma vida vitoriosa
A atualidade de Provérbios e Eclesiastes

CUMPRINDO AS OBRIGAÇÕES DIANTE DE DEUS


Lição 10
- 8 de Dezembro de 2013
Texto Áureo: Eclesiastes 5.4 Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o.
Leitura Bíblica em Classe: Eclesiastes 5.1-5

OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO A DEUS NÃO SE FAZ DE QUALQUER JEITO

Introdução: No conceito cristão de um salvo em Cristo, a nossa obrigação para com Ele está condicionada como uma questão moral de servi-lo com entendimento de que essa prática envolve a nossa comunhão com o Senhor. Quem não cumpre as suas obrigações para com o Senhor está fadada a ser classificado como um servo mau e negligente colocando em risco a sua salvação. Deus nos deixou muitas obrigações para serem cumpridas na condição de seus filhos, e aqui estamos demonstrando algumas delas, e que são fundamentais para um bom relacionamento com Ele. Tem muito crente que cumpre as suas obrigações para com Deus, mas tem muito crente que não cumpre as suas obrigações para com Deus, e isso os coloca alijados desse grande edifício espiritual que é o corpo de Cristo, pois para fazer parte desse corpo temos uma questão moral no cumprimento das nossas obrigações para com Ele. Temos que entender que somos sacerdotes de Deus, e nós os cristãos devemos praticar obrigações constantemente ao Senhor Deus. Todo aquele que se omite ou negligencia dessas coisas, está perdendo tempo, pois de maneira alguma virá alcançar a vida eterna com Cristo e seu destino certamente será a condenação eterna. Não podemos ficar brincando de ser crente, mesmo porque, com Deus não se brinca, pois Ele não se deixa escarnecer.
I – É PRECISO SERIEDADE NAS OBRIGAÇÕES EM CULTUAR A DEUS
1. Tem falta de juízo quem presta um culto a Deus sem reverência - Eclesiastes 5.a...1 GUARDA o teu pé, quando entrares na casa de Deus; - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Romanos 12:1
Nas idas e vindas das pessoas indo para igreja supostamente para prestar culto a Deus, aparentemente numa visão exterior tem-se a impressão que todos estão no mesmo propósito ou no mesmo espírito. Porém as coisas não exatamente assim, pois muitos dos que vão a Igreja não são exatamente sinceros em sua adoração e com isso a sua situação espiritual acaba ficando cada vez mais prejudicada e precária a cada culto que assiste e não participa. A condição desses diante de Deus é que não tributam a honra e a reverencia que lhe são devidas. Porque Deus não quer uma adoração superficial, insincera e hipócrita. Devemos usar o nosso corpo com um servo da alma no serviço de Deus e ele deve ser ocupado nas obrigações concernentes a nossa adoração, e também atender diligentemente aos nossos compromissos com o reino e sempre dispostos a sofrer por Deus com o nosso corpo, quando for necessário. Deus nos quer como sacrifícios vivos e não mortos. O sacrifício vivo significa estar inspirado com a vida espiritual da alma. É Cristo vivendo em nós pela fé que faz do nosso corpo um sacrifício vivo. O nosso corpo não pode ser um instrumento do pecado e da impureza, mas deve ser totalmente separado para Deus.
2. Quem não tem reverência no culto está fazendo papel de tolo – Eclesiastes 5.1b... porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal. - O caminho do insensato é reto aos seus próprios olhos, mas o que dá ouvidos ao conselho é sábio. Provérbios 12:15
Uma condição fundamental para quem vai a igreja adorar a Deus é estar disposto a ouvir a Palavra de Deus. É notório que muitos crentes não são muito chegados a ouvir a palavra, tanto que nos cultos de ensino ou escola dominical percebe-se a ausência de alguns, e dificilmente é observada a presença desses nesses cultos. Quando não está presente em nossas vidas uma fé obediente em nosso coração, então estamos fazendo sacrifícios de tolos, pois somente um tolo é capaz de enganar a Deus. O tolo acredita e gosta de mostrar com hipocrisia que esta fazendo algo de bom, quando na verdade esta fazendo o mau para si próprio. O tolo é aquele que pensa estar no caminho certo, em tudo que faz, e sendo assim não precisa de conselhos, porque não percebe na sua insensatez que necessita urgentemente deles. A sua regra é fazer aquilo que aos seus olhos lhe para ser correto e anda no caminho do seu coração governado pelos seus ímpetos e impulsos e não pela sua consciência. Em oposição a isso está o sábio que aceita todos os bons conselhos.
II – É PRECISO SERIEDADE NAS OBRIGAÇÕES DE ORARMOS A DEUS
1. Ao oramos a Deus precisamos meditar naquilo que vamos falar com Ele - Eclesiastes 5.2a... Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; - Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal. 1 Pedro 3:12
Orar a Deus é algo de uma seriedade tremenda, pois isso envolve sobriedade e temor do Senhor. É através da oração que temos o privilégio de expressar as nossas necessidades e petições diante de Deus. É preciso entender que aquilo que oramos chega ao trono do Deus Todo-Poderoso e por isso é infinitamente importante. Assim é necessário sempre que possível meditarmos antes de nos dirigirmos a Deus em oração, para não estarmos falando coisas desnecessárias ou levianas. Deus tem um cuidado especial e também um amor especial para com todos os seus justos e isso nos deve motivar a procurar andar pelos caminhos da retidão com a certeza de que Ele sempre ouve as orações de que cumprem as suas obrigações para com Ele. Quantos aqueles que professam serem cristãos, mas fazem o que é mau diante dos seus olhos, embora Ele seja bom é certo que abomina esses pecadores que um dia conhecerão o resultado da sua insensatez, pois conhecerão em si próprio, o resultado da ira divina.
2. Quando meditamos para orar evitamos palavras precipitadas e repetitivas - Eclesiastes 5.2b... porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; assim sejam poucas as tuas palavras. - E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Mateus 6:7
Quando oramos devemos nos preocupar em não falar precipitadamente e também palavras repetitivas em excesso, e isso não acontecerá se meditarmos antes naquilo que vamos falar com Deus. O segredo de uma oração aceitável por Deus é termos um coração preparado e quebrantado diante dele, pois a boca fala daquilo que o coração está cheiro. Em orações coletivas as nossas orações devem estar centralizadas em Deus e não para estarmos impressionando as pessoas em volta, pois esse tipo de oração não é aceitável por Ele. Devemos pedir ao Senhor aquilo que temos certeza que será concedido, pois muita gente não recebe por que pede coisas para o seu próprio deleite como disse o Senhor Jesus. Também é pecado orar para ser visto e ouvido pelos outros. A nossa oração é uma comunhão secreta com Deus, e quando feita em público devemos pensar nisso. Assim não devemos orar para impressionar as pessoas, usar palavras em vãs repetições e também nunca devemos orar com pecado no coração.
3. Não é a extensão da oração que resolve e sim a fé que faz toda diferença - Eclesiastes 5.3 Porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras. - Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente. 1 Samuel 1:10
Se a pessoa for orar e usar uma grande quantidade de palavras desconexas na intenção de prolongar o seu falar com Deus, na realidade a sua postura é de um insensato. É bom entender que não é a extensão das nossas orações que vai surtir mais efeitos diante de Deus, e sim, é a sua força que faz a diferença. Tem muita coisa que está ao nosso alcance para conseguir e por comodismo ou ignorância ao invés de buscarmos uma solução pelo nosso próprio esforço nos deixamos ou queremos obrigar a Deus para resolver. Pessoas pedem uma porta de emprego para Deus, mas não vão procurar a porta, esta com alguma doença curável se forem ao médico, mas fica pedindo para Deus curar, e ai, poderíamos citar uma variedade de problemas que podemos resolver, mas, por comodismo vamos pedir tudo para Deus resolver, como se Ele fosse obrigado a isso. Devemos levar a Deus tudo o que está fora do nosso alcance de resolver e isso com muita humildade, seriedade e reverencia ao falarmos com Ele. Essa conscientização é necessária para que as nossas palavras na oração sejam bem escolhidas e realmente necessárias. O caso de Ana era uma situação que ninguém a não ser Deus poderia resolver para atender o seu desejo de ter um filho e ela atingiu o seu objetivo, pois apresentou a Deus aquilo que Ele esperava dela, o qual era consagrar e dedicar o filho que nascesse ao Senhor e ao serviço dele. A questão da oração longa é aceitável por Deus, como o próprio Cristo orou durante toda a noite; porém foi uma oração com sensibilidade e sem nenhuma falsidade. O que não se deve fazer é ficarmos longos períodos com palavras que excedem os nossos pensamentos, sem nenhuma meditação dos nossos corações. As palavras são como o vento e se elas não vierem daquilo que meditamos em nossos pensamentos, elas se esvairão sem qualquer resultado. Da mesma forma que a boca não pode se precipitar, também o nosso coração não pode ser apressado, pois precisamos pensar duas vezes antes de falarmos com Deus, para não estarmos falando bobagens. Precisamos ser reverentes e ponderados para não estarmos falando com Deus de maneira descuidada.
III – É PRECISO SERIEDADE NAS OBRIGAÇÕES NOS VOTOS A DEUS
1. Deus não exige votos, mas se fizer cumpra o que prometeu a Ele - Eclesiastes 5.4 Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o. - Quando um homem fizer voto ao Senhor, ou fizer juramento, ligando a sua alma com obrigação, não violará a sua palavra: segundo tudo o que saiu da sua boca, fará. Números 30:2
Deus não exige que façamos votos a Ele, mas também não os proíbe, pois os votos em si quando são sérios devem ter a finalidade e a oportunidade de expressar devoção, como também alcançar alguma bênção da parte de Deus. Agora, se fizermos os votos devemos ter a intenção de cumpri-los, pois se não o fizermos estamos mentindo para Deus. Quando os votos forem prometidos e alcançarmos aquilo que pedimos ao Senhor, não podemos demorar em cumpri-los, na esperança de conseguir escapar deles, pensando que Deus vai esquecer ou não dar importância. Deus ouve o que dizemos e espera que cumpramos as nossas promessas. Se a circunstância nos impede de cumprir o que prometemos, Deus vai entender e nos liberar, mas se foi com a intenção de aparecer para os outros ou subornar o Senhor, ai então, haverá séria conseqüências dos nossos atos. Podemos citar alguns: promete dar um recurso para a Igreja e não dá, promete fazer um culto de ação de graça e não faz, promete ser dizimista após Deus abençoar com um emprego e não cumpre, promete ser um crente fervoroso se Deus curar a sua doença e depois de curado não dá a mínima para isso, essas e outras inúmeras promessas são feitas a Deus e muitos que as fazem não as cumprem. Quem age assim está violando a Palavra de Deus e as conseqüências disso certamente não terão um final feliz.
2. Se o voto foi prometido a Deus, cumpra, pois haverá conseqüências - Eclesiastes 5.5 Melhor é que não votes do que votares e não cumprires. - Laço é para o homem apropriar-se do que é santo, e só refletir depois de feitos os votos. Provérbios 20:25
Não podemos fazer promessas vazias ou vivermos uma ilusão religiosa pensando que se podem fazer tudo o que dá na mente achando que está tudo bem. Deus não se agrada de tolos, principalmente aqueles que pensam serem espertos e tentam enganá-lo. Ele se aborrece profundamente com os tolos e com as relações insensatas, porque votar e não pagar implica em culpa da traição e do perjúrio; que é mentir para Deus. Lembramos que promessa ou voto é a mesma coisa e se não cumprirmos ficamos inadimplentes com Deus, ou seja, com uma dívida que bloqueará a nossa comunhão com Ele e os resultados disso serão terríveis. Essa é uma razão de pensar bem antes de fazer promessas ou votos ao Senhor, se tiver dúvidas em não cumpri-las, é melhor não fazer. Algo que é muito grave e que ofende grandemente a Deus é a apropriação d3e coisas santas, e a sua conversão para o uso próprio. O voto que foi prometido para Deus, se for retido e nos apropriarmos dele, estamos nos apropriando do que é santo pois é a parte que foi oferecida a Deus, seja voto financeiro, físico ou espiritual. Também iclui-se ai, o dízimo que é a parte que pertence ao Senhor e quem se apropria do dízimo está usando algo que não lhe pertence, pois é do Senhor, e, é santo. Os que passam por cima das obrigações que temos diante de Deus e não tem a fidelidade de cumpri-las de acordo com a sua palavra acabam caindo nos seus próprios laços. A ruptura de um voto com Deus é uma infração extremamente graves, que resultará em conseqüências desastrosas.


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel
 
Se você sentir de abençoar esta obra com uma oferta use um dos meios abaixo.
Faça a sua doação por
um dos meios ao lado>
 
Banco Itaú  Agência 9184 
 Conta corrente  05524-3
 
CUMPRINDO AS OBRIGAÇÕES DIANTE DE DEUS
Lição 10 - 8 de Dezembro de 2013
Texto Áureo: Eclesiastes 5.4 Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o.
Leitura Bíblica em Classe: Eclesiastes 5.1-5

OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO A DEUS NÃO SE FAZ DE QUALQUER JEITO

I – É PRECISO SERIEDADE NAS OBRIGAÇÕES EM CULTUAR A DEUS
1. É falto de juízo alguém prestar seu culto a Deus sem reverência - Eclesiastes 5.a...1 GUARDA o teu pé, quando entrares na casa de Deus; - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Romanos 12:1
2. Quem não presta reverência no culto está fazendo papel de tolo – Eclesiastes 5.1b... porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal. - O caminho do insensato é reto aos seus próprios olhos, mas o que dá ouvidos ao conselho é sábio. Provérbios 12:15
II – É PRECISO SERIEDADE NAS OBRIGAÇÕES DE ORARMOS A DEUS
1. Quando oramos a Deus precisamos meditar naquilo que vamos falar a Ele - Eclesiastes 5.2a... Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; - Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal. 1 Pedro 3:12
2. Se meditarmos ao orar a Deus evitaremos palavras precipitadas e repetitivas - Eclesiastes 5.2b... porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; assim sejam poucas as tuas palavras. - E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Mateus 6:7
3. Não é a extensão da oração que resolve e sim a fé que faz a diferença - Eclesiastes 5.3 Porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras. - Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente. 1 Samuel 1:10
III – É PRECISO SERIEDADE NAS OBRIGAÇÕES NOS VOTOS A DEUS
1. Deus não exige votos, mas se o fizer cumpra tudo o que prometeu a Ele - Eclesiastes 5.4 Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o. - Quando um homem fizer voto ao Senhor, ou fizer juramento, ligando a sua alma com obrigação, não violará a sua palavra: segundo tudo o que saiu da sua boca, fará. Números 30:2
2. Se o voto foi prometido a Deus, cumpra, pois haverá conseqüências - Eclesiastes 5.5 Melhor é que não votes do que votares e não cumprires. - Laço é para o homem apropriar-se do que é santo, e só refletir depois de feitos os votos. Provérbios 20:25
 
 
 
l