Home   Agenda   Escola Dominical   Estudos Bíblicos   Contato

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 4° Trimestre de 2014 - CPAD - Jovens e Adultos
 
Integridade Moral e Espiritual 
O legado do livro de Daniel para a Igreja hoje

A PROVIDÊNCIA DIVINA NA FIDELIDADE HUMANA
Lição 4 - 26 de outubro de 2014
Texto Áureo: Daniel 3.17 Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 3.1-7,14


DEUS SEMPRE É PRESENTE QUANDO A NOSSA FÉ ENCARA DESAFIOS

 

Introdução: Desde o princípio da criação que Satanás vem agindo contra os planos divinos através dos séculos. Ele não dá qualquer tipo de trégua, pois é incansável nos seus propósitos de tentar estabelecer o seu domínio sobre toda criação divina e principalmente o homem. A sua saga só terminará no final do reino milenar, pois durante o milênio ele estará em prisão junto com todos os seus demônios até ser solto no final deste reino quando terá a sua derrota final através de Cristo. Após essa derrota ele estará sendo lançado junto com todos os seus demônios no lago de fogo e enxofre por toda a eternidade. Enquanto o seu fim não chegar, ele continuará agindo usando de todos os meios para levar com ele milhares de almas para a condenação eterna. A estátua do sonho de Nabucodonosor que foi revelada e interpretada por Daniel, mostrava o seu reino e os demais reinos, os quais um subjugaria o outro, numa sequencia escatológica. Porém Nabucodonosor a princípio aceitou a revelação, mas certamente orientado pelo espírito do anticristo resolveu fazer uma estátua toda revestida de ouro, não dando espaço para as demais nações que faziam parte da estátua. Foi um gesto desafiador a Deus, da parte de Nabucodonosor, no sentido de que poderia alterar os planos que Deus revelou através de Daniel. Essa atitude de Nabucodonosor aponta para o anticristo que na grande tribulação tentará unificar o reino, a qual procurará implantar, através da religião e do medo.
I. INSTITUIR O ECUMENISMO É UMA TENTATIVA CONTRA OS PROPÓSITOS DE SALVAÇÃO
-
1. O inimigo sempre procura levantar meios idólatras para concorrer com Deus - Daniel 3.1 O REI Nabucodonosor fez uma estátua de ouro, cuja altura era de sessenta côvados, e a sua largura de seis côvados; levantou-a no campo de Dura, na província de Babilônia.

Apesar de Daniel ter deixado bem claro que nenhum império permaneceria, inclusive a grande Babilônia de Nabucodonosor, não foi o suficiente para esse rei orgulhoso, que não se contentou ser simplesmente uma cabeça de ouro; ele tentou mostrar cobrindo toda a estátua com ouro, querendo demonstrar assim que o seu reino não seria conquistado por outro reino. Apesar de todas as conquistas desse rei que deixaram o seu coração cheio de soberba, havia medo e preocupações de perder o seu grande império. Fazendo a estátua ele procuraria se certificar de que seu povo era leal a ele e de que não haveria rebeliões. Isto porque ele não sabia como o seu reino poderia ser conquistado, e assim resolveu tomar medidas para que isso não acontecesse.
2. Tudo que o inimigo levanta é tão insensível como é insensível àqueles que o seguem - Daniel 3.2 Então o rei Nabucodonosor mandou reunir os príncipes, os prefeitos, os governadores, os conselheiros, os tesoureiros, os juízes, os capitães, e todos os oficiais das províncias, para que viessem à consagração da estátua que o rei Nabucodonosor tinha levantado.

Toda idolatria é abominação, Nabucodonosor forçou a todos a adorarem essa abominação e não permitiria qualquer voz que discordasse das suas pretensões. Os desobedientes seriam brutalmente executados, conforme o restante da história demonstra claramente. Essa prática continuou ao longo da história com Roma forçando o povo a adorar a estátua do imperador, também no período da inquisição imposta pela igreja católica romana quando martirizou milhares de cristãos que não aceitavam as suas imposições idólatras, e assim será quando o anticristo exigir ser adorado no período da grande tribulação.
3. O inimigo exige compromisso absoluto de todos os que se inclinam para os seus ídolos - Daniel 3.3 Então se reuniram os príncipes, os prefeitos e governadores, os capitães, os juízes, os tesoureiros, os conselheiros, e todos os oficiais das províncias, à consagração da estátua que o rei Nabucodonosor tinha levantado; e estavam em pé diante da imagem que Nabucodonosor tinha levantado.

Todos os graduados do rei foram convocados vindos de várias províncias para honrar a sua estátua. Trazendo os seus graduados para a cerimônia como exemplo de fidelidade a ele, não havia dúvida de que as pessoas inferiores fariam o mesmo. Todas as autoridades do reino se puseram de pé diante da imagem, reverenciando e assim aprovando a nova religião imposta pelo rei. Nessa insensibilidade da adoração a um ídolo material, juntou-se todo o povo com o mesmo comportamento. As escrituras dizem: somente ao Senhor teu Deus adorarás e não farás imagens de escultura para se inclinares diante delas. É dois mandamentos que são violados pelas igrejas que introduziram ídolos e imagens nos seus cultos, o que é uma afronta a Deus. Assim também várias igrejas denominadas como evangélicas também tem adotado sutilmente várias formas de idolatria com objetos, águas, óleos como ponto de fé, o que não passa de pura heresia para enganar o povo incauto.

 

II. DESAFIAR A IDOLATRIA É UMA CARACTERÍSTICA FIRME DE UM VERDADEIRO CRISTÃO -
1. O povo já tem tendência a prática da idolatria e isso facilita para os arautos do mal - Daniel 3.4 E o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a vós, ó povos, nações e línguas:

O arauto era uma autoridade respeitada pelo povo, povo esse que obedecia prontamente as suas convocações ordenadas pelo rei. Como esse povo já tinham uma tendência idólatra, como a maioria do povo dos nossos dias também tem, não foi difícil fazê-los obedecer a esta convocação, especialmente considerando as consequências da desobediência. A multidão acreditava no arauto do rei e, portando, obedeceu prontamente. Como a bíblia diz que os filhos das trevas são mais prudentes que os filhos da luz, o que é uma realidade. Seria aqui, um exemplo que deveria ser seguido pelos cristãos de hoje, que deveriam atender prontamente as convocações para os cultos feitas pelo líder da igreja.
2. As multidões tem uma fé ingênua, porém os cristãos devem mostrar uma fé segura - Daniel 3.5 Quando ouvirdes o som da buzina, da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e de toda a espécie de música, prostrar-vos-eis, e adorareis a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tem levantado.

As multidões são fáceis de serem manipuladas, pois elas seguem e querem construir a sua vida sobre aquilo que é fácil e fútil. Estão preocupadas apenas com as coisas materiais e fazem qualquer coisa para obtê-las, mesmo tendo que escravizarem-se aos mitos vazios dos homens promovidos pelas suas engenhosidades, como diz a escritura: Jó 2.4 Pele por pele, e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida, que é o oposto da visão dos verdadeiros cristãos que entendem assim: Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. João 12:25.
3. O verdadeiro cristão não se curva diante de ameaças para fazer concessões à idolatria - Daniel 3.6 E qualquer que não se prostrar e não a adorar, será na mesma hora lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

Para o rei não importava quais eram os deuses que eles adoravam em outros tempos, porque agora eles deveriam adorar esse que foi levantado. O que o rei impôs foi condicional a duas alternativas: ou obedece e se inclina diante da estátua para que viva, ou desobedece não se inclinando diante da estátua e morre. A ameaça feita pelo rei foi real e, ele iria realmente cumprir o que tinha proposto. Todos ali sabiam disso, e ninguém iria se atrever a desobedecer à determinação do rei, mas, estava ali três jovens tementes a Deus, que não se curvariam diante das ameaças sofridas. Quem é crente, é crente em qualquer situação que enfrentar na sua caminhada e jamais negará a sua fé no Deus que ele serve.

 

III. QUEM É FIEL NÃO SE CURVA AS AMEAÇAS DO DIABO ANTE A FORNALHA ARDENTE -
1. Quem é fiel a Deus sabe que em qualquer situação é sómente a Ele que adoramos - Daniel 3.7 Portanto, no mesmo instante em que todos os povos ouviram o som da buzina, da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério e de toda a espécie de música, prostraram-se todos os povos, nações e línguas, e adoraram a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tinha levantado.

A música daria o sinal para o ponto alto do culto de dedicação. Esse culto religioso de Nabucodonosor não havia coisa alguma para trazer benefícios ou agradar a alma do povo. Tudo que foi montado e preparado era apenas um culto formalista com coisas atrativas perante a imagem, no intuito de despertas as emoções no povo. Era um culto fantasioso como muitas igrejas praticam e, que não tem nada do Espírito Santo. Os jovens obedeceriam ao rei até onde fosse possível, porém se curvar diante da sua estátua era algo que expressaram não fazer. Com a sua atitude eles deram um testemunho público contra esse tipo de idolatria grosseira. Nem tudo que parece ser é, por isso todo crente deve procurar na bíblia para saber se a Igreja que frequenta pratica o que está escrito nos preceitos divinos e caso não esteja procure uma igreja que esteja.
2. Quem confia em Deus não se desencoraja diante de qualquer acusação do inimigo - (Dn 3.16-18). - Daniel 3.14 Falou Nabucodonosor, e lhes disse: É de propósito, ó Sadraque, Mesaque e Abednego, que vós não servis a meus deuses nem adorais a estátua de ouro que levantei?

Havia um propósito dos tres jovens de não adorarem aquela estátua sob qualquer circunstância que tivesse que enfrentar. A verdadeira fé não procura argumentos para tentar escapar de uma situação difícil, simplesmente se obedece a Deus sabendo que Ele fará aquilo que for melhor. A fé baseia-se em ordens e em promessas, não em argumentos e explicações. É nas adversidades que temos oportunidades de confirmar a nossa fé diante de qualquer perseguição que estivermos sofrendo. Os jovens não estavam preocupados consigo mesmos nem estavam com medo da fúria do rei. A única preocupação deles era se manterem fiéis ao Senhor e dar um testemunho firme a todos que estavam presenciando aquela situação. Essa é a postura dos verdadeiros crentes que creem na providencia divina, a qual chega no momento certo para todos aqueles que mantém a sua fidelidade com Deus.
3. Quem confia em Deus tem sempre respostas corajosas mesmo sob ameaças de morte - Daniel 3.17 Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei.

Os jovens que corajosamente desafiaram a ordem do rei com expressa confiança de fé, não sabiam como Deus os livraria da mão do rei - se pela morte, chamando-os à Sua presença, ou por intermédio de um ato especial da sua providência, salvando-os com vida. Mas mortos ou vivos, sabiam que pertenciam a Deus. Entendemos que Deus permitiu que os jovens fossem jogados na fornalha, para ai sim, mostrar a sua providência e mostrar ao rei idólatra que era o verdadeiro Deus. Os propósitos de Deus puderam ser cumpridos porque esses jovens se colocaram como seus instrumentos demonstrando uma fé corajosa para que isso acontecesse. Deus nos quer como seus instrumentos, porém para os seus propósitos se cumprirem em nossas vidas dependem do grau da nossa fé.


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.
Quer me ajudar a manter esta obra? É só enviar uma oferta pelos meios abaixo
Banco Itaú  Agência 9184 
 Conta corrente  05524-3
 
A PROVIDÊNCIA DIVINA NA FIDELIDADE HUMANA
Lição 4 - 26 de outubro de 2014
Texto Áureo: Daniel 3.17 Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 3.1-7,14
DEUS SEMPRE É PRESENTE QUANDO A NOSSA FÉ ENCARA DESAFIOS

I. INSTITUIR O ECUMENISMO É UMA TENTATIVA CONTRA OS PROPÓSITOS DE SALVAÇÃO -
1. O inimigo sempre procura levantar meios idólatras para concorrer com Deus - Daniel 3.1 O REI Nabucodonosor fez uma estátua de ouro, cuja altura era de sessenta côvados, e a sua largura de seis côvados; levantou-a no campo de Dura, na província de Babilônia.

2. Tudo que o inimigo levanta é tão insensível como é insensível àqueles que o seguem - Daniel 3.2 Então o rei Nabucodonosor mandou reunir os príncipes, os prefeitos, os governadores, os conselheiros, os tesoureiros, os juízes, os capitães, e todos os oficiais das províncias, para que viessem à consagração da estátua que o rei Nabucodonosor tinha levantado.

3. O inimigo exige compromisso absoluto de todos os que se inclinam para os seus ídolos - Daniel 3.3 Então se reuniram os príncipes, os prefeitos e governadores, os capitães, os juízes, os tesoureiros, os conselheiros, e todos os oficiais das províncias, à consagração da estátua que o rei Nabucodonosor tinha levantado; e estavam em pé diante da imagem que Nabucodonosor tinha levantado.

II. DESAFIAR À IDOLATRIA É UMA CARACTERÍSTICA FIRME DE UM VERDADEIRO CRISTÃO -
1. O povo já tem tendência a prática da idolatria e isso facilita para os arautos do mal - Daniel 3.4 E o arauto apregoava em alta voz: Ordena-se a vós, ó povos, nações e línguas:

2. As multidões tem uma fé ingênua, porém os cristãos devem mostrar uma fé segura - Daniel 3.5 Quando ouvirdes o som da buzina, da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e de toda a espécie de música, prostrar-vos-eis, e adorareis a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tem levantado.

3. O verdadeiro cristão não se curva diante de ameaças para fazer concessões à idolatria - Daniel 3.6 E qualquer que não se prostrar e não a adorar, será na mesma hora lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

III. QUEM É FIEL NÃO SE CURVA AS AMEAÇAS DO DIABO ANTE A FORNALHA ARDENTE -
1. Quem é fiel a Deus sabe que em qualquer situação é somente a Ele que adoramos - Daniel 3.7 Portanto, no mesmo instante em que todos os povos ouviram o som da buzina, da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério e de toda a espécie de música, prostraram-se todos os povos, nações e línguas, e adoraram a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tinha levantado.

2. Quem confia em Deus não se desencoraja diante de qualquer acusação do inimigo - Daniel 3.14 Falou Nabucodonosor, e lhes disse: É de propósito, ó Sadraque, Mesaque e Abednego, que vós não servis a meus deuses nem adorais a estátua de ouro que levantei?

3. Quem confia em Deus tem sempre respostas corajosas mesmo sob ameaça de morte - Daniel 3.17 Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará do forno de fogo ardente e da tua mão, ó rei.

 
l