Escola Dominical Esboços da EBD//Entre a Páscoa e o Pentecostes
 
 


Escola Dominical - Esboços da EBD


Pastor Adilson Guilhermel

Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato

 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 4º trimestre de 2018
As Parábolas de Jesus – As Verdades e Princípios Divinos para uma Vida Abundante

Parábola: Uma lição para a vida

 

O CRESCIMENTO DO REINO DE DEUS

Lição 3 - 21Outubro 2018

TEXTO ÁUREO: "[...] Porque eis que o Reino de Deus está entre vós." (Lc 17.21)

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Marcos 4.30-32; Mateus 13.31-33; Lucas 13.18,19

 

Introdução: Marcos 4.30 E dizia: A que assemelharemos o reino de Deus? ou com que parábola o representaremos?

Por que Jesus faz uma comparação do reino de Deus como um grão de mostarda? Porque o grão de mostarda é uma pequena semente, que continuará assim enquanto não for plantada, mas após ser plantada, ela ao germinar, se tornará uma planta com um crescimento enorme originado por uma minúscula semente. Jesus quis mostrar através dessa parábola que o inicio do Reino de Deus seria muito pequeno, como a menor das sementes, mas que ele assim como a semente de mostarda, se transformaria num grande arbusto, o qual não pararia de crescer. Isso é uma realidade, pois desde que Jesus plantou a semente do evangelho, iniciou-se o crescimento do Reino de Deus, e continua em nossos dias em pleno desenvolvimento. Assim entendemos que quanto mais o evangelho é semeado, mais o Reino de Deus vai crescendo. Portanto o crescimento do Reino de Deus depende de todos os cristãos que se esforçam na propagação do Evangelho de Cristo.

 

A PARÁBOLA DO GRÃO DE MOSTARDA NA ÓTICA DOS TRÊS EVANGELHOS.

 

1. A horta é o lugar onde teve início o crescimento do reino no pentecostes.

Lucas 13.18 E dizia: A que é semelhante o reino de Deus, e a que o compararei? Lucas 13.19 É semelhante ao grão de mostarda que um homem, tomando-o, lançou na sua horta; e cresceu, e fez-se grande árvore, e em seus ramos se aninharam as aves do céu.

Havia muitos que duvidavam sobre o crescimento do Reino que Jesus pregava, e Ele através dessa parábola do grão de mostarda procurou demonstrar o quanto os duvidosos estavam enganados. O evangelho pregado por Cristo sofreu relutância da parte de muitos que o acompanhavam e a parábola do grão de mostarda foi oportuna para descrever que o reino do qual falava, seria um reino não totalmente grande no seu início, como ele entendiam que seria, mas sim um reino com um crescimento compassado ao longo do tempo. Assim Jesus ilustrou que o crescimento no começo seria pequeno, mas que ao passar dos tempos, ele cresceria grandemente; para que muitos viessem fazer parte dele vindo como aves aninhar-se em seus ramos. Aqui no evangelho de Lucas, ele diz que a semente foi lançada em sua horta, o que corresponde a um espaço pequeno, que faz alusão ao cenáculo onde os discípulos estavam reunidos no dia do pentecoste, onde o reino de Deus iniciou com as cento e vinte pessoas, que foram revestidas com o poder do Espírito Santo. Para surpresa dos céticos que duvidavam do crescimento do reino de Deus, nesse mesmo dia acrescentou-se aos cento e vinte no cenáculo, cerca de três mil almas que se converteram a Cristo ao ouvirem o sermão do Apóstolo Pedro. (De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,) Dias após novamente Pedro prega em Jerusalém e mais almas se convertem a Cristo para mais uma surpresa aos duvidosos. (Atos 2:41 - Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram, e chegou o número desses homens a quase cinco mil. Atos 4:4). Então vemos que da horta o arbusto pequeno começou a tomar formas grandiosas.

2. A terra é Israel onde o crescimento do reino ultrapassou suas fronteiras.  

Marcos 4.31 É como um grão de mostarda, que, quando se semeia na terra, é a menor de todas as sementes que há na terra; Marcos 4.32 Mas, tendo sido semeado, cresce; e faz-se a maior de todas as hortaliças, e cria grandes ramos, de tal maneira que as aves do céu podem aninhar-se debaixo da sua sombra.

A parábola do grão de mostarda mostra que quando a semente germina, se torna a maior das hortaliças. A igreja começou com um pequeno número, mas arrojou-se através das perseguições em Jerusalém para toda terra de Israel, como também atravessaria as suas fronteiras crescendo e espalhando-se para os lugares mais remotos da terra. Já fora de Jerusalém vemos Felipe lançando a semente em Samaria dando crescimento ao Reino de Deus dando sequencia ao Ide de Jesus(E, descendo Filipe à cidade de Samaria lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia; Atos 8:5,6). Mais adiante ainda na terra de Israel vemos Pedro levando a semente à casa de Cornélio dando início ao crescimento do Reino entre os gentios. (Então, chamando-os para dentro, os recebeu em casa. E no dia seguinte foi Pedro com eles, e foram com ele alguns irmãos de Jope. E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos. Atos 10:23,24).

2. O campo é o mundo onde o crescimento do reino para todos os cantos.

Mateus 13.31 Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao grão de mostarda que o homem, pegando nele, semeou no seu campo; Mateus 13.32 O qual é, realmente, a menor de todas as sementes; mas, crescendo, é a maior das plantas, e faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos.

Começou na horta em Jerusalém, se expandiu pela terra, ou seja, as terras de Israel e atravessando as fronteiras da terra foi semeada no campo, o qual significa o mundo geográfico e geral, onde o apóstolo Paulo foi o grande semeador. Assim o mundo; o mundo da humanidade, ilustrado pelo grande campo começou a produzir muitos frutos, embora na sua expansão também produzisse muitos frutos ruins. O Ide de Jesus estava sendo cumprido com muita determinação pelos seus apóstolos e principalmente pelo apóstolo Paulo, o qual enfrentou todos os tipos de adversidade na propagação do evangelho para os povos das nações gentílicas. Sabemos que o Diabo atua nesse campo onde está a Igreja de Cristo, só que esta Igreja caminha debaixo de uma promessa de que as portas do inferno não prevalecerão contra ela, porque a Igreja que ocupa esse campo pertence a Cristo e todos que vem a Ele, ninguém as arrebatará das suas mãos. (E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que, mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. João 10:28, 29).

4. O fermento é as doutrinas verdadeiras que dão o crescimento do reino.

Mateus 13.33 Outra parábola lhes disse: O reino dos céus é semelhante ao fermento, que uma mulher toma e introduz em três medidas de farinha, até que tudo esteja levedado.

Ao longo da história bíblica o fermento é sempre ilustrado para simbolizar o mal, sendo que não fazia parte dos sacrifícios oferecidos no altar. Embora Jesus não tenha dado uma explicação sobre esta parábola, devemos entender que Ele usa a ilustração do fermento no sentido do crescimento do Reino de Deus e não ao contrário, então nesse caso que essa ilustração não é no sentido do mal. Apesar do fermento em muitas vezes ser ilustrado para simbolizar o pecado vemos que aqui nesse caso não se pode generalizar, pois o fermento também era usado em coisas boas e nesse caso Jesus fala do crescimento do Reino. Podemos aqui ilustrar da seguinte forma: a mulher é a igreja que jogou o bom fermento na farinha (palavra) que estava na horta, depois na terra e por último no campo e a massa cresceu e continua crescendo.


Comentarista: Pastor Adilson Guilhermel
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então clique no botão abaixo e envie uma oferta

Contato 
l