Escola Dominical - Esboços da EBD
Pastor Adilson Guilhermel
Home        Agenda       Lições        Esboços        Contato

Lições Bíblicas da CPAD
Esboços e comentários  para professores e estudiosos da Escola Dominical
 

 
FIDELIDADE, FIRMES NA FÉ
Lição 9 - 26 de Fevereiro de 2017
Texto Áureo: "Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo." (2 Tm 2.13)
Leitura Bíblica em Classe: Hebreus 10.35-39

Introdução: Resumindo a questão da fidelidade bem objetivamente: O fiel é um crente que tem fé, e o infiel é um crente que não tem fé. Isso significa que o fiel pode ser considerado um crente de verdade, e o infiel, nem pode ser considerado um crente. Ser fiel em tudo deve ser a característica de um verdadeiro cristão, o que o classifica como uma pessoa de fé absoluta. Porém se o crente não é fiel em tudo, ele não pode ser classificado como um verdadeiro cristão, pois quem tem essa característica é classificado como infiel, o que significa uma pessoa sem fé, e quem é desprovido de fé, não pode agradar a Deus. Não podemos ser crentes meio a meio, ou seja, achar que tendo fé para algumas coisas, já é suficiente para se sustentar como um salvo em Cristo. Uma forma de identificação quanto a fidelidade do crente envolve três áreas da nossa vida, as quais são: a área material, física e espiritual. Essas três áreas fazem parte do termômetro da nossa fé, pois se apenas em uma delas a fé está ausente, não podemos nos considerar com todas as letras, como uma pessoa fiel. Conforme a palavra a salvação eterna é condicional a nossa fidelidade: (Apocalipse 2.10c..Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida). Como poderemos conquistar vitórias e bênçãos com uma fidelidade fingida aos olhos dos outros e principalmente de Deus. Isso nunca acontecerá, pois Deus nos pesa em balanças fiéis, e ninguém com uma fidelidade dissimulada conseguirá enganá-lo. (Os meus olhos estarão sobre os fiéis da terra, para que se assentem comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá. Salmos 101:6). O testador elaborou um testamento com preceitos condicionais a serem cumpridos, e se aquele que almeja a herança não cumprir as exigências do testador, não terá direito a essa herança. Lembremos que Deus vela pela sua palavra para fazê-la cumprir e que passarão os céus e a terra, mas a sua palavra não passará.

COMO FAZER PARA A FIDELIDADE DIVINA NOS MANTER FIRMES NA FÉ?


1 – Não jogue fora a tua confiança e aguarde a tua recompensa

Hebreus 10.35 Não rejeiteis, pois, a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão.
O salmista disse: (Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios. Salmos 73:2,3). Depois de experimentarmos tão gloriosa salvação, quando ocorreu o triunfo da fé e vindo as adversidades, nunca será razoável qualquer lampejo de desistência de seguir o alvo principal da nossa fé, que é Cristo. Há um galardão prometido para todos nós, a qual receberemos caso haja mérito e isso acontecerá no tribunal de Cristo após o arrebatamento da Igreja. É uma recompensa tão grande que não pode ser igualada com nada que pertence a esse mundo. Cristo é fiel para cumprir as suas promessas e não podemos deixar que toda confiança que temos nele depositada venha vacilar. Muitos dos hebreus convertidos ao cristianismo enfrentaram conflitos com sua própria família e parentela e diante de todas as implicâncias na questão de abraçarem uma nova forma de adoração a Deus. Diante dessas situações que passaram a sofrer havia a tentação para renunciar a Cristo e retornar para os preceitos impostos pela lei mosaica. Uma vez tendo abraçado o cristianismo como a sua regra de fé confessando a Cristo como Salvador, caso venha retroceder é virar as costas para aquele que tem o poder de conduzi-lo à condenação e à destruição. Diante disse os hebreus que haviam se convertido ao evangelho precisavam de mais resistência, pois ainda não faziam a vontade de Deus na sua completude, isso porque, muitos deles não nutriam uma inteira confiança em Cristo Jesus. Nessa condição não poderiam receber as promessas, pois elas são condicionais a uma fé completa em Cristo. (Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu. 1 João 5:10).
2 – Não perca a paciência e seja obediente que a promessa virá.
Hebreus 10.36 Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa.
A promessa sobre o evento transcendental da igreja, o qual é a libertação definitiva do nosso espírito de qualquer limitação no que se refere aos desígnios terrenos deve ser aguardada com paciência. Isso acontecerá com a nossa ascensão às regiões celestiais, na ocasião do acontecimento súbito da parousia. Essa promessa é infalível, pois fiel é o que prometeu, ou seja, Cristo. Não crer, ou estar com o coração dividido quanto a esse acontecimento coloca o cristão numa zona de perigo extremo. O exercício da nossa paciência na expectativa desse acontecimento súbito, que é a vinda de Cristo precisa ser contínuo sem qualquer lampejo de retrocesso, pois será um evento extraordinário e maravilhoso, o qual envolve a nossa eternidade com Cristo. Enquanto tivermos fôlego de vida a nossa fé nesse evento não pode diminuir, muito pelo contrário, ela deve estar cada vez mais intensa crendo que Cristo assegurou sobre a sua vinda para nos recompensar com a vida eterna.
3 – Não tenha por tardio o arrebatamento, fiel é o que prometeu.
Hebreus 10.37 Porque ainda um pouquinho de tempo, E o que há de vir virá, e não tardará.
Algo que confundia os cristãos da igreja nos seus começos, era a questão da vinda de Cristo. Muitos viviam na expectativa de Cristo voltar naqueles tempos e estavam longe de entender ou fazer qualquer tipo de ideia do quanto seria prolongada a dispensação da graça estabelecida após a cruz. Isso gerava muitos debates e divergências entre esses cristãos que levava alguns a se desencorajarem e se estagnarem sem perseverar na constância exigida na paciência para esse evento. Para o cristão que persevera com fidelidade nos caminhos da fé, o alívio logo virá, ou seja, por morte física, ou pelo arrebatamento. A qualquer momento a nossa batalha, seja de um modo, ou de outro, se encerrará, o que é necessário sairmos vitoriosos, pois o céu não é lugar para derrotados. Em todas as épocas a igreja sempre foi ensinada a viver na expectativa do advento de Cristo e isso foi de fundamental importância para a salvação de muitos, pois todos os que viveram crendo nesse dia, tiveram a prudência de estar preparados e na ocasião da morte física puderam ir para a glória. Não sabemos quando será o dia desse advento, mas Deus sabe qual é o tempo certo, o qual não haverá prolongação. É bom lembrar que as virgens néscias ficaram
4 – Não deixem de viver da fé, pois ela leva para o que é perfeito
Hebreus 10.38 Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.
Que triste seria o Senhor Deus não ter prazer em nossa conduta. Em relação a essa conduta desprazerosa ao Senhor podemos destacar a descontinuidade no caminho da fé, sem qualquer preocupação com a obra da graça iniciada em nós pela operação do Espírito Santo. Esta obra foi iniciada pela fé e deve ter a sua continuidade também pela fé, fé essa necessária em nossa caminhada onde passaremos por várias experiências, algumas difíceis, onde ela se faz necessária. Nessa vida espiritual terrena, Deus faz testes de fidelidade, não para ele saber o que somos, pois é onisciente, mas sim para que nós saibamos e venhamos a nos conscientizar de que devemos cuidar da nossa espiritualidade para que não sejamos reprovados. Nessa caminhada devemos sempre buscar o nosso aperfeiçoamento espiritual e estarmos sempre de prontidão para a nossa partida às regiões celestiais. Quem cai no desprazer divino e não se esforça em colocar a sua vida em ordem, certamente sofrerá os rigores do seu juízo. Se quisermos estar agradando a Deus temos que ser fiéis em tudo, pois Ele não tem parte com o infiel. É preciso entender que o fiel e o infiel têm destinos diversos e, portanto não estarão juntos na eternidade.
5 – Não retroceda na fé, seja persistente e preserve tua salvação
Hebreus 10.39 Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.
O cristão que se deixa atrair pelas heresias e as pratica, como também pelos prazeres mundanos, na realidade estão retrocedendo na fé e, esse retrocesso leva para o caminho da perdição. Todo cristão deve ter uma fé centralizadora em Cristo, onde é imprescindível que deixemos a nossa alma entregue aos seus cuidados. Não podemos ser heréticos ou mundanos e sermos crentes ao mesmo tempo. Deus conhece a nossa estrutura espiritual, como também até aonde vai os limites das nossas provações. Nesse sentido pela fé sabemos que Ele opera nos dando sustentação espiritual e nos ajuda pela sua graça a fortalecermos nessa fé para continuarmos na condição de salvos, pois não quer que nenhum de nós se perca. Quanto mais o cristão se afasta da sua comunhão com Deus, mais ele se aproxima da sua ruína espiritual correndo sério risco quanto a sua vida na eternidade. Em todas provações que enfrentarmos temos que nos manter fiéis, sempre crendo que estamos debaixo da graça divina e se acontecer uma fatalidade conosco, a nossa alma estará salva e garantida para a eternidade com Cristo.


Esboço e Comentário elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M

 
ASSEMBLÉIA DE DEUS - Ministério Redenção -  Rua Frei Gaspar n° 3255 - Cidade Náutica  São Vicente - São Paulo
 Cultos: quarta, sexta e domingo a partir das 19h30. - Escola Dominical às 9h30 - Seja Bem-vindo.
Contato com o Pastor  Adilson