Escola Dominical - Esboços EBD  

Pastor Adilson Guilhermel


Home     Agenda     Lições    Sermões     Contato

Trimestre: 1º trimestre de 2017
Título: As Obras da Carne e o Fruto do Espírito
Subtítulo: Como o Crente Pode Vencer a Verdadeira Batalha Espiritual
Travada Diariamente.

Lição 2 - O Propósito do Fruto do Espírito
08 de Janeiro de 2017

Texto Áureo
: "Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento." (Mt 3.8)
Verdade Prática
: Somente através de uma vida espiritual frutífera o crente poderá glorificar a Deus.
Leitura Bíblica em Classe
: Mateus 7.13-20

Introdução: Para que apresentemos frutos de arrependimento, não basta apenas dizer que está arrependido, como também ser batizado nas águas. O verdadeiro arrependimento vai ser autenticado pelas nossas atitudes e ações, que envolvem um fiel relacionamento com Deus, como também com os nossos irmãos. Todo aquele que nasce de novo ao se entregar a Cristo deve demonstrar uma nova conduta de vida, a qual vai identificar se realmente corresponde ao novo nascimento. Arrepender-se é abandonar o pecado e procurar eliminá-lo dos nossos pensamentos e vigiar para que ele não retorne. Não podemos ser um crente como uma porca lavada que ao ser solta volta a se espojar na lama, ou como o cão que volta ao seu próprio vômito. O verdadeiro arrependimento envolve uma compreensão conscienciosa da necessidade que precisamos de purificação moral, espiritual, bem como, uma notória mudança de vida. Envolve também as nossas emoções, não como a que tínhamos no mundo, mas emoções voltadas a nossa espiritualidade. Poderíamos citar alguns exemplos como o povo de Nínive ao se converterem com a pregação de Jonas e produziram frutos de arrependimento, assim com Namaã, Rute, Zaqueu, Bartimeu e muitos outros personagens bíblicos que também ao serem transformados pela palavra produziram esses frutos.

QUER A VIDA ETERNA? ENTÃO SIGA O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO

1 – Tendo o fruto não há recuos para ficarmos do lado de fora da porta

Mateus 7.13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;

O caminho estreito e o largo significam dois destinos que envolvem a nossa eternidade. No caminho estreito estão os que seguem a Cristo como seus imitadores suportando todas as adversidades. É preciso entender que o caminho da fé em Cristo é difícil e nem todos que se dizem cristãos estão percorrendo por ele. Quem não houve ou pratica os ensinamentos de Jesus estão fora desse caminho, porque são poucos os que levam uma vida de obediência a palavra de Deus. Nesse caminho estreito não há espaço para a entrada de vícios e desejos mundanos. Tem muito crente coxeando entre dois pensamentos, os quais levam uma vida com um pé no mundo e o outro na igreja. Quem assim procede está enganando a outros e a si próprio e logicamente não está no caminho estreito e sim no caminho largo que leva ao inferno. Quem está no caminho estreito não terá em toda sua caminhada uma vida fácil, pois Jesus disse que no mundo teríamos aflições, mas que venceríamos como Ele venceu, desde que não larguemos a mão do arado.

2 – Tendo o fruto conseguiremos prosseguir no difícil caminho da vida eterna

Mateus 7.14 E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.

O crente verdadeiro é aquele que tem um caráter transformado com o fruto produzido pelo Espírito Santo em sua vida. O problema que é visto com muita gravidade e preocupação é que não se vê indícios desses frutos na maioria dos crentes que professam a fé em Cristo. E os ministérios que mais contribuem para essa negligência espiritual, são os que conduzem o povo na doutrina falsa do evangelho da riqueza, da prosperidade, do milagre falso e muitas outras baboseiras. Jesus no seu ministério e posteriormente os seus apóstolos que deram continuidade ao seu ministério nunca pregaram esse tipo de doutrina. O que Jesus ensinou a respeito disso, os seus apóstolos levaram a sério seguindo esse principio: (Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mateus 6:19). O povo na sua maioria não suporta a sã doutrina porque dá comichão nos ouvidos e por isso preferem as fábulas, dando margem aos aproveitadores com suas técnicas de uma oratória persuasiva exploram a fé desses incautos. A bíblia alerta quanto a isso: (E digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas. Colossenses 2:4). O próprio apóstolo Paulo escreve a respeito disso mostrando a sua idoneidade e o seu compromisso com a verdade: (E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; 1 Coríntios 2:4).

3 – Tendo o fruto podemos discernir quem são os falsos profetas das igrejas

Mateus 7.15 Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.

Jesus advertiu quanto aos falsos profetas, pastores ou pseudoapóstolos (o ministério apostólico encerrou-se com Paulo), os quais com aparência de ovelhas, na realidade são lobos e mercenários da fé. Nos tempos da igreja primitiva já havia esses tipos enganadores do povo cristão e, em nossos tempos vemos uma proliferação desses tipos. O que faz com que tenham muitos seguidores é que são especialistas na arte da manipulação para atrair e enganar os incautos que só buscam milagres e prosperidade. Alguns deles trabalham no psicossomático das pessoas e outros até fazem milagres acontecer. (Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Mateus 24:24). Alguém pode acreditar que é Deus quem faz esses milagres? É evidente que não, pois Deus não compartilha o seu poder com falsos pastores. O evangelho vem sendo prejudicado por esses tipos que lideram tanto ministérios pequenos como grandes ministérios, sendo que estes dos grandes ministérios ostentam as suas riquezas exploradas dos que acreditam em suas mentiras. Pior ainda é que alguns se envolvem em falcatruas, lavagem de dinheiro, propinas, adultérios e muitos mais provocando escândalos com as suas mentes cauterizadas, pouco ligando para o que disse Jesus: (E disse aos discípulos: É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem! Lucas 17:1). Com essas coisas acontecendo fica difícil o trabalho de evangelização, porque o povo pecador acaba generalizando dizendo que todos os pastores são iguais.

4 – Tendo o fruto saberemos quem são os falsos e os verdadeiros pastores

Mateus 7.16 Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?

O falso profeta não apresenta qualquer conduta de que tem o fruto do Espírito, isto porque o trabalho com as almas não é visando o bem estar delas para que tenham crescimento espiritual e sim trabalha para si mesmo, com a finalidade de encher seus próprios bolsos, e satisfazer a sua própria ganância, ego, e obter prestígio, poder, influência e que todos o reconheçam como um homem milagreiro. Na realidade não passam de vendilhões do templo, que fazem do púlpito um balcão de falsos milagres induzindo o povo a barganhar com Deus para serem atendidos por ele a custa de grandes ofertas em dinheiro. Uma árvore pode ter boa aparência, dar frutos, mas nem sempre são aproveitáveis ou comestíveis, portanto não tem proveito algum. Assim o falso profeta pode ter boa aparência, boa conversa escondendo assim a sua verdadeira natureza com muita habilidade, sendo necessário um discernimento muito apurado para identificá-lo. Quem tem o fruto do Espírito consegue facilmente identificar esses tipos que só tem aparência, mas no fundo são falsos. (Gálatas 1:8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema).

5 – Tendo o fruto saberemos quem produz os frutos bons e os frutos maus

Mateus 7.17 Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.

A regra da natureza é que todas as coisas produzem segundo a sua própria natureza, seja árvore ou profeta. O crente que tem em si o desenvolvimento do fruto do Espírito, é porque não se descuida do aprendizado da palavra de Deus, é obediente a doutrina, ora e anda no Espírito. Esse crente dificilmente será enganado pelos manipuladores da fé usados por Satanás para desviá-los da verdade que é essencial para o nosso aperfeiçoamento espiritual. Não se podem esperar bons frutos de um pastor que manipula a palavra em proveito próprio. Se conhecermos a palavra de Deus certamente identificaremos aquele que a corrompe e nos livraremos de sermos enganados. Os pastores podem ser identificados pelo teor doutrinário, pela sua conduta e pelos atos praticados.

6 - Tendo o fruto não seremos enganados por crente de dupla personalidade

Mateus 7.18 Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.

Quando a árvore for má, todos os seus frutos serão maus, mesmo que tenha uma aparência frondosa e boa. Os falsos pastores podem dissimular e esconder seu mau fruto por um tempo usando todas as suas técnicas persuasivas, mas as suas intenções de alguma forma será exposta ao ponto de ser desmascarado, pois quem usa de engano não ficará na minha casa diz o Senhor. O ensino falso e uma vida pervertida são inseparáveis e, em algum tempo se manifestará. Muitos já foram desmascarados, porém muitos crentes continuam seguindo essas aberrações do evangelho. (E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. 2 Pedro 2:3).

7 – Tendo o fruto só faremos o que é bom e não seremos lançados no inferno

Mateus 7.19 Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.

A ambição pelo poder tem se impregnado em muitos ministros que dotados de mentes cauterizadas buscam trazer para si almas que anseiam por novidades mesmo que elas sejam enganosas. O que acontece com muitos crentes nos dias de hoje, já se repetiu com o povo hebreu segundo o profeta Isaías: (Que dizem aos videntes: Não vejais; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, e vede para nós enganos. Isaías 30:10). O destino de todos os que usam de engano para tirar vantagens próprias já está selado por Cristo no dia do juízo final, quando diante do Grande Trono Branco serão julgados por Ele e receberão a sentença final. (Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. Mateus 7:22,23). Notemos que os que falam são cristãos, pois chamam Cristo de Senhor agem como cristãos, dizem que profetizam que fazem milagres, mas a realidade é que Ele não é Senhor deles. Vemos que é possível esses falsos ministros falarem em nome de Cristo e ao mesmo tempo em que trabalha para os demônios.  

8 – Tendo o fruto não seremos ludibriados por aqueles que usam de engano

Mateus 7.20 Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

São os frutos que expõem a verdadeira natureza dos falsos profetas. Se homens dizem serem profetas, mas são imorais, isso irá contradizer todas as suas pretensões e os exporá ao que verdadeiramente são. Um ministro não pode simplesmente se consagrar como tal, se não houver uma chamada de Cristo para o ministério. Assim não sendo chamados, nem consagrados, nem enviados pelo Senhor, se colocam como tal e a sua conduta provará que são guiados por algum espírito imundo. Os tesouros de Deus são colocados em vasos de barro e não em vasos corrompidos como os tais. Não é tão difícil identificar os falsos ministros, pois é só observar algumas coisas que são praticadas no culto. Usam coisas das mais variáveis principalmente imitações do que era usado no templo do A.T. como ponto de fé e ainda mais cobrando por isso? Não pregam a sã doutrina? Usam envelopes ou carnês ungidos? Tiram mais que uma oferta no culto? Pedem dízimo acima dos dez por cento? Essas são algumas das muitas práticas recheadas de heresias praticadas nos seus cultos. Todos os ministros que adotam essas práticas são corruptos e falsos e não devem ser seguidos. Sai do meio deles enquanto é tempo.


Elaborado pelo Pastor Adilson uilhermel

Realizo essa obra com poucos recursos e preciso do seu apoio para mantê-la e expandi-la. Ajude-me a alcançar mais pessoas com a verdadeira sã doutrina!
 Gostaria de fazer uma doação? Clique no botão abaixo.

Contato com o Pastor Adilson