Escola Dominical - Esboços da EBD


Pastor Adilson Guilhermel

Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato

 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 3º trimestre de 2018
Adoração, Santidade e Serviço
Os princípios de Deus para a sua Igreja em Levítico

 

 

Jesus, o Holocausto Perfeito

Lição 9 - 26 de Agosto de 2018

Texto Áureo: Hebreus 10.10 Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez.

Leitura Bíblica em Classe: Levítico 1.1-9

 

Introdução: O Senhor separou um povo para si, oriundo da descendência abraâmica e após resgatá-los do Egito, de onde saíram com muitas influências viciosas adquiridas ali durante os vários anos de permanência nesse país idólatra. Assim, Deus estabeleceu um sistema sacrificial sob preceitos das leis cerimoniais, para conduzir esse povo dentro de uma conscientização de que o pecado quebra as relações como o Senhor. O Senhor é Santo e não tolera o pecado e os efeitos da sua corruptibilidade. Deus ordenou através de Moisés, toda uma sequencia de rituais a serem seguidos, como também sobre as condições em que as ofertas deveriam ser ofertadas para que pudessem ser aceita por Ele. Todas as ofertas trazidas para o holocausto, assim como todos os utensílios do Tabernáculo envolviam uma simbologia e tipologia que apontavam para Cristo, o qual seria o holocausto perfeito. Como tudo que acontecia no tabernáculo apontava para Cristo o holocausto perfeito, também tinham que obedecer a um ritual de sacrifícios perfeitos, pois se não fosse assim, é certo que Deus não aceitaria. Isso é fato, pois a Sua glória só se manifestava no lugar santíssimo quando todo o ritual seguisse exatamente como Ele ordenou. Com o passar do tempo Israel negligenciou com as leis cerimoniais ao ponto de não dar prazer algum ao Senhor, pois principalmente os holocaustos deixaram de ser perfeitos. Assim Deus ao enviar o Seu Filho Jesus, para ser o holocausto perfeito e quando o sacrifício foi consumado, o primeiro sistema se tornou obsoleto e foi estabelecido o segundo, isto é, seu próprio sacerdócio, ou seja, o Sumo Sacerdote Jesus Cristo, o único que pode fazer a expiação perfeita através do seu sangue derramado. 

 

1. Se o sacrifício não for perfeito como é Cristo, é apenas sacrifício de tolo.

Levítico 1.1 E CHAMOU o Senhor a Moisés, e falou com ele da tenda da congregação, dizendo: Levítico 1.2 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta ao Senhor, oferecerá a sua oferta de gado, isto é, de gado vacum e de ovelha.

Todos os rituais de sacrifícios tinham que ser perfeitos. Era lei ordenada diretamente por Deus através de Moisés e não poderia ser descumprida sob hipótese alguma. Cada sacrifício e ofertas supria uma necessidade específica da vida do pecador e tudo apontava para a obra sacrificial do Senhor Jesus Cristo, o sacrifício perfeito de Deus. O derramamento do sangue espargido no altar, não podia mudar o coração de ninguém nem remover o pecado da natureza adâmica, apenas cobri-lo. Somente os pecados que infringiam as leis cíveis é que alcançavam o perdão tanto individualmente, como coletivamente no grande dia da expiação, o qual era feito por todo o povo. Com o sacrifício consumado na Cruz por Cristo todo esse ritual ficou obsoleto, pois só nele é que podemos alcançar o perdão, sem sacrifícios de animais, ofertas, promessas, ou qualquer outra coisa, pois o perdão através de Cristo exige apenas confissão sincera como diz a palavra: se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar, e o Seu sangue nos purifica de todo o pecado.

2. A oferta só é favorável diante de Deus, se for perfeita e dada com amor.

Levítico 1.3 Se a sua oferta for holocausto de gado, oferecerá macho sem defeito; à porta da tenda da congregação a oferecerá, de sua própria vontade, perante o Senhor.

Os sacrifícios ofertados pelos hebreus sendo perfeitos exalavam a Deus o bom perfume do qual Ele se agradava e manifestava a Sua Glória.  Não bastava simplesmente ter todo o cuidado com a oferta a ser levada ao Senhor, é verdade que deveria ser exatamente dessa maneira, porém se não houvesse uma sincera expressão de amor ao Senhor em reconhecimento a todos os seus benefícios, de nada adiantaria. Isso porque as coisas para Deus não podem ser feitas por obrigação, mas sim por pura devoção.

3. A expiação só poderia ser realizada com a oferta e a confissão sincera.

Levítico 1.4 E porá a sua mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito a favor dele, para a sua expiação.

Ao impor as mãos sobre a oferta o ofertante ele necessariamente teria que confessar com sinceridade os seus pecados e pedindo o perdão ao Senhor para que ocorresse a expiação. O animal era aceito em lugar do ofertante significando que ele perdia a sua vida em substituição a causa desse ofertante. Jesus foi o cordeiro que tirou o pecado do mundo, pois o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, o qual morreu em nosso lugar para manifestar a Sua graça e justificar de todo pecado aquele que crê .

4. O sangue espargido aponta para Cristo, pois sem sangue não há remissão.

Levítico 1.5 Depois degolará o bezerro perante o Senhor; e os filhos de Arão, os sacerdotes, oferecerão o sangue, e espargirão o sangue em redor sobre o altar que está diante da porta da tenda da congregação.

O sangue deveria ser espargido no altar, pois significa o princípio vital biológico, era o que fazia a expiação sobre o altar, por ser isso agradável diante de Deus. Era a questão de vida por vida, onde o animal dava a sua vida pela do ofertante, assim como Cristo deu a sua vida por nós pecadores. O sangue era a parte essencial do sacrifício, pois sem derramamento de sangue não há remissão de pecados. Para a igreja não há necessidade de levar sacrifícios, pois Cristo fez o seu sacrifício de uma vez por todas e espiritualmente o seu sangue continua operando a expiação no pecador que se arrepende.

5. A queima do sacrifício significava os sofrimentos lancinantes de Cristo

Levítico 1.6 Então esfolará o holocausto, e o partirá nos seus pedaços. Levítico 1.7 E os filhos de Arão, o sacerdote, porão fogo sobre o altar, pondo em ordem a lenha sobre o fogo.

O animal era esfolado e partido em pedaços pelo ofertante e com exceção do couro que era dado ao sacerdote, o restante tinha que ser totalmente queimado, se fosse holocausto, para que ocorresse através desse ato, desde que tudo fosse eficaz, o perdão dos pecados do ofertante. Todo esse ritual apontava para os sofrimentos de Cristo, simbolizado pelo esfolamento do animal. (Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaías 53:5).

6. Deus só aspira o cheiro suave se o sacrifício está em ordem e purificado.

Levítico 1.8 Também os filhos de Arão, os sacerdotes, porão em ordem os pedaços, a cabeça e o redenho sobre a lenha que está no fogo em cima do altar; Levítico 1.9 Porém a sua fressura e as suas pernas lavar-se-ão com água; e o sacerdote tudo isso queimará sobre o altar; holocausto é, oferta queimada, de cheiro suave ao Senhor.

Todo o sacrifício tinha que estar em ordem e purificado para ser aceito por Deus e foi assim também que Cristo se sacrificou. (Hebreus 4.15 Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer- se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado).   

Assim também foi o sacrifício de Cristo na Cruz que subiu como um aroma suave às narinas de Deus, e Ele quer de nós um culto racional, com adoração em espírito e em verdade, para que tudo que oferecermos a Ele também seja verdadeiro e suba como oferta de cheiro suave diante do Seu trono de glória.


Comentarista: Pastor Adilson Guilhermel
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então use uma das contas abaixo e envie uma oferta
Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta Corrente 942-7 Banco Itaú - Agência 9184 - Conta corrente 05524-3

Fale com o pastor: [email protected]
l