Escola Dominical - Esboços da EBD


Pastor Adilson Guilhermel

Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato

 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 3º trimestre de 2018
Adoração, Santidade e Serviço
Os princípios de Deus para a sua Igreja em Levítico

 

 

As Orações dos Santos no Altar de Ouro

Lição 13 - 23 de Setembro de 2018

Texto Áureo: Hebreus 4.16 Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

Leitura Bíblica em Classe: Levítico 16.12,13; Apocalipse 5.6-10

 

Introdução: Os hebreus no antigo testamento não tinham o privilégio que nós igreja temos através de Cristo em relação a entrar na presença de Deus. Isso porque, somente o Sumo Sacerdote tinha autorização para transpor o véu que dividia o lugar santo do lugar santíssimo e caso um israelita transgredisse não tinha permissão para se introduzir nos recintos sagrados do tabernáculo e do templo para buscar socorro. Essa condição perdurou até a cruz quando o sacrifício expiatório de Cristo deu condições para quem se converte a Ele, de achegar-se com confiança, junto ao trono da graça, ou seja, ao trono da glória de Deus. É nesse lugar no céu que Jesus Cristo o nosso Sumo Sacerdote encontra-se assentado a destra do Deus Pai ministrando graça e misericórdia a todos que o buscam. Assim em qualquer situação e, em qualquer tempo podemos nos dirigir com oração, súplicas, intercessões, clamores, ao nosso Sumo Sacerdote, Jesus Cristo e encontrar o socorro a qual precisamos.

 

1. Por que o Sumo Sacerdote tinha que queimar o incenso além do véu?

Levítico 16.12 Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do Senhor, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu.

Porque além do véu era o lugar Santíssimo, onde estava a arca da aliança, o Sumo Sacerdote deveria queimar o incenso para que todo o local ficasse envolto pela fumaça produzida ao derramar o incenso no incensário. Isso era necessário, pois quando o Senhor se manifestasse sobre o propiciatório, o sacerdote não poderia olhar para essa manifestação quando desse sequencia ao ritual da expiação pelos pecados do povo. Essa restrição ao Sumo Sacerdote era exigida, pois ele também conservava o pecado da natureza adâmica e os rituais de expiação não removia esse pecado, pois removia apenas os pecados veniais. Devemos entender que o pecado da natureza adâmica, o qual todos nascem com ele, é considerado mortal, pois se a alma que recusar a Cristo, o único que pode fazer a remoção desse pecado, portanto essa alma permanece em estado de condenação eterna, a não ser, que se converta ao Senhor.

2. Quais os cuidados que o Sumo Sacerdote deveria ter para não morrer?

Levítico 16.13 E porá o incenso sobre o fogo perante o Senhor, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o testemunho, para que não morra.

O Sumo Sacerdote tomava o incensário com brasas tiradas do altar, que não soltavam fumaça, em uma das mãos e um recipiente cheio de incenso aromático na outra, e a seguir entrava no Lugar Santíssimo que ficava além do véu e, em frente à arca da aliança, colocava o incensário com as brazas sobre o chão e espalhava incenso sobre elas, de modo que o recinto ficasse tomado pela fumaça. Espiritualizando esse ritual, ele simboliza as orações da Igreja, a qual expiada pelo sacrifício de Cristo tem o acesso que o Sumo Sacerdote do Antigo Testamento não tinha e, esse acesso foi nos dado, quando o véu foi rasgado de alto a baixo, no momento que a obra sacrificial de Cristo foi consumada. Somente através de Jesus somos feitos filhos de Deus e, como filhos, chegamos perto do Pai, na beleza de Sua Santidade, sem qualquer empecilho, obstáculo ou impedimento. (Efésios 2:18 pois por meio dele tanto nós como vós temos pleno acesso ao Pai por um só Espírito!).

3. Onde Jesus está atualmente no período da dispensação da graça divina?

Apocalipse 5.6 E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete pontas e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra. Apocalipse 5.7 E veio, e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono.

É costume dizer no meio cristão que Jesus está na casa de culto onde a igreja se reúne para cultuar, mas na realidade Ele não está isso porque, nessa dispensação, o Seu ofício é o de Sumo Sacerdote, o qual está assentado à destra do Deus Pai recebendo as orações da igreja  fazendo expiação por cada alma que se converte a Ele e reconciliando essas almas com o Pai. Jesus ficará nessa posição até o momento em que trocará as sua vestes de Sumo Sacerdote por vestes talares, quando iniciará o grande juízo sobre a terra lembrando que antes disso arrebatará a sua igreja. Quem está na realidade no meio de nós, é aquele que representa Jesus Cristo, ou seja, o Espírito Santo, o qual deu sequencia ao ministério de Cristo, depois que Ele foi elevado ao céu vitorioso.  O momento que iniciará o juízo divino sobre a terra é quando após a igreja for arrebatada, Jesus recebe o livro das mãos do Pai, que significa a transmissão de autoridade para exercer o juízo na terra, ao qual chamamos de a grande tribulação. (Mateus 24:21...porque haverá então uma tribulação tão grande, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá)

6. Por que as orações dos santos tem importante papel na abertura do livro?

Apocalipse 5.8 E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.

Porque as orações dos santos ascendem a Deus e é eficaz, desde que sejam assim como o incenso, de cheiro suave e agradável diante do Senhor. Para que as orações dos santos sejam agradáveis, elas só serão eficazes quando forem baseadas na obra de Cristo ou quando tiver algum tipo de relação com ela. A oração não pode ser exclusivista como a do fariseu, pois são rejeitadas, por não citar qualquer menção de alguma obra de Deus em sua vida. Exemplos de orações aceitáveis seriam muitos, mas podemos destacar a oração do publicano, que adotava uma ênfase diferente da oração do fariseu, pois o publicano não se alto engrandecia pelos seus feitos como o fariseu e sim, se retratava ao oposto deste, em total dependência da misericórdia divina. O foco das nossas orações deve estar na diversidade de operações que Deus realiza em nosso favor por meio de Cristo, pois assim, Ele sempre nos receberá através do Seu Filho e com certeza as nossas orações chegarão ao Seu trono da Graça. Se em nossas orações não valorizarmos o que Deus faz por nós, ela não terá qualquer eficácia.

7. Por que foi entoado um novo cântico na revelação da oração dos santos.

Apocalipse 5.9 E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação;

Porque a oração feita com fé e na certeza que foi recebida por Deus no trono da Sua graça, é crível que ela será atendida, e assim sendo o louvor deve acompanha-la, pois ela é capaz de realizar aquilo que achamos impossível. A nossa oração feita com fé e sempre através de Cristo, sempre trará resultados vitoriosos. É preciso entender que as orações que são depositadas em salvas de ouro, não são orações que envolvem materialidade, mas sim as orações daquele que sofreram e sofrem as aflições de Cristo na difícil, mas gloriosa missão de levar as boas novas da salvação às almas pecadoras. (Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. Salmos 126:6). Quem cumpre verdadeiramente o Ide de Jesus passará por aflições nesse mundo, assim como Jesus disse: (JOÃO 16.33 "Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo").   

8. Quem serão reis e sacerdotes, quando Cristo estabelecer o reino milenar?

Apocalipse 5.10 E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.

Certamente que não será o povo de Israel e os das nações que passaram no teste de fidelidade e foram convidados a entrar no reino que Jesus preparou para eles. Esse reino que terá a duração de mil anos será um reino de preparação para a fase final, quando Cristo estabelecer um novo céu e uma nova terra, mas só passarão para essa nova fase, aqueles que se manterem fiéis ao Senhor em toda a sua duração. Como eles estarão passando em todo o tempo por testes de fidelidade, significa que eles não reinarão, ou exercerão qualquer governo sobre a terra, pois estarão na condição de súditos. Quem irá reinar com Cristo sobre o povo de Israel e as nações salvas, quando Ele estabelecer seu reino de justiça por mil anos; é a igreja e os salvos da Antiga Aliança. Porém quem estarão na condição de reis e sacerdotes sobre o povo milenar, são os que tiveram as suas orações lançadas nas salvas de ouro, porque crente que não apresentou obras consistentes, não merecerão ter essa honra.

Obs.: O comentário aqui é um resumo da aula presencial que ministro na Igreja aos domingos pela manhã, onde faço uma explanação mais abrangente do tema.

 

Comentarista: Pastor Adilson Guilhermel
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então clique no botão abaixo e envie uma oferta

Fale com o pastor: [email protected]
l