Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato
 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 3º trimestre de 2018
Adoração, Santidade e Serviço
Os princípios de Deus para a sua Igreja em Levítico

 

Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor

Lição 1 - 1 de Junho de 2018

Texto Áureo: E porei o meu tabernáculo no meio de vós, e a minha alma de vós não se enfadará. Levítico 26.11

Leitura Bíblica em Classe: Levítico 27.28-34

Introdução: Os hebreus saíram do Egito após os 400 anos de permanência naquele lugar com o conceito de Deus distorcido pelas influências pagãs e politeístas. Eles não estavam sob qualquer lei e nessa condição o pecado não poderia ser imputado, mas após a promulgação da lei entregue por Deus a Moisés tendo o povo ficado consciente das leis morais, civis e cerimoniais, então o pecado que antes não era imputado passou a ser imputado. Assim o objetivo de Levítico é determinar orientações para o povo andar rigorosamente sob os preceitos divinos para que tivessem comunhão com um Deus Santo. Em Levítico há uma ênfase em relação à necessidade de santidade pessoal com Deus, e para que isso fosse propiciado todo pecado cometido que após a lei passou a ser imputado deveria ser expiado através de ofertas de sacrifícios próprios para que os seus pecados não ficassem cumulativos. Assim observa-se que o tema principal de Levítico é a santidade, a qual deveria ser mantida diante de Deus, e ela só poderia ser alcançada com o cumprimento adequado dos preceitos divinos. Só podemos ser agradáveis aos olhos de Deus se repudiar todo tipo de pecado, pois temos que ser luzeiros nesse mundo. Devemos levar isso com toda seriedade, pois um Deus santo não tolera o pecado e Sua santidade exige que toda transgressão seja punida.

1. DEUS QUER O CRENTE CONSAGRADO E SANTIFICADO E PURIFICADO.

Lv 11.44 Pois eu sou o Senhor, o Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque eu sou santo. Não se tornem impuros com qualquer animal que se move rente ao chão.

Tanto o israelita no Antigo Testamento, como o cristão no Novo Testamento, não pode andar como andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos. Assim como os israelitas ao longo da sua caminhada passaram a imitar os costumes das nações pagãs, também a Igreja em sua grande parte tem se portado da mesma maneira, o que é algo ofensivo diante de Deus. Estamos no mundo, mas o mundo não pode estar em nós, pois se assim for deixamos de ser seres espirituais, para sermos seres carnais. Lembrando que todos que estão na carne não podem agradar ao Senhor. Temos que andar de modo condigno do nosso chamado vendo prudentemente como estamos andando. Quem não cuida da sua santificação está na realidade dando brechas para a contaminação e, por conseguinte dando passos em direção à perdição eterna.

2. O VOTO DE CONSAGRAÇÃO A DEUS É UM PROCESSO IRREVERSÍVEL.

Levítico 27.28 Todavia, nenhuma coisa consagrada, que alguém consagrar ao Senhor de tudo o que tem, de homem, ou de animal, ou do campo da sua possessão, se venderá nem resgatará; toda a coisa consagrada será santíssima ao Senhor.

O que Deus separa para si fica interditado por Ele, pois lhe pertencem com exclusividade. O que fosse consagrado a Deus por alguém, com um voto solene, não podia ser alienado com outro objetivo, porque o que foi consagrado não pode ser dividido. A nossa confissão de fé feita quando aceitamos Jesus envolve a consagração a Ele, portanto somos pessoas consagradas a Deus, pois assim diz a Sua palavra: (Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. 1 Pedro 2:9).

3. O CONSAGRADO A DEUS QUE VOLTA A TRÁZ TEM MORTE ESPIRITUAL.

Levítico 27.29 Toda a coisa consagrada que for consagrada do homem, não será resgatada; certamente morrerá.

Quando o ofertante fazia o seu voto com uma solene imprecação, a qual é um desejo de libertação pela graça divina, para que algo favorável lhe aconteça e, esse algo para uma alma é a sua salvação. A consagração a Deus não pode ser feita com leviandade, como também não pode mais ser desfeita, pois isso é um processo irreversível. Para o cristão que é consagrado a Deus tem um voto que se quebrado pode lhe acarretar a sua perdição eterna. (Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama. 2 Pedro 2:21,22).

4. O DÍZIMO DE TUDO QUE O HOMEM PRODUZIU É SANTO AO SENHOR

Levítico 27.30 Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do Senhor; santas são ao Senhor.

O dízimo de todo o produto da terra estava sujeito ao tributo da décima parte. Isso porque, como eles usavam a terra que pertence ao Senhor, então tinham que pagar um aluguel, que foi tributado pela décima parte de tudo que era colhido. Assim tendo uma lei que os obrigava a isso, então ela deveria ser cumprida rigorosamente, sob a pena de sofrer as consequências pela inadimplência. Essas consequências envolviam as pragas e a falta de chuva ou orvalho no campo do faltoso. Pela lei mosaica a Igreja não é obrigada a pagar o dízimo, mas pela lei escrita em nossos corações nos somos conscientizados, não a pagar, mas a entregar o dízimo. Abraão não estava debaixo de lei e entregou o dízimo a Melquizedeque (tipo de Cristo), o qual apontava para o antítipo Cristo. A entrega desse dizimo por Abraão a Melquizedeque simbolizava a sustentação e a manutenção da obra de Cristo com a sua Igreja. Quando os israelitas pagavam o dízimo de acordo com a lei tinham garantia de bênçãos. Quando os cristãos entregam o dízimo com liberalidade, também tem garantia de bênção.

5. O RESGATE DE UMA PARTE DO DÍZIMO CUSTAVA A QUINTA PARTE.

Levítico 27.31 Porém, se alguém das suas dízimas resgatar alguma coisa, acrescentará a sua quinta parte sobre ela.

Nenhum lavrador tinha direito de ficar com o dízimo do Senhor e remi-lo com dinheiro. O dízimo deveria ser pago conforme todas as instruções da lei mosaica a respeito de como fazer. Deus aguardava que eles honrassem os seus compromissos com as coisas da sua obra, assim como Ele aguarda que honremos os nossos compromissos com honestidade em todo o nosso proceder para com as coisas do Seu Reino. Não podemos administrar aquilo que pertence ao Senhor fazendo isso conforme o que nos convém tentando um subterfúgio para escapar das nossas responsabilidades. Quando não temos tempo hábil para servir ao Senhor como desejaríamos expressar a nossa dedicação a Deus podemos substituir o serviço com recursos para que outros possam estar prestando serviço ao Senhor. Quem não tem fé para entregar o dízimo na sua integralidade e entrega-lo incompleto, é melhor não entregar nada, porém caso já tenha feito isso, então deve acertar as contas acrescentando a parte tirada com mais vinte por cento. Veja o caso de Ananias e Safira: eles não tinham obrigação de dar qualquer oferta, mas a partir do momento que se dispuseram a fazer deveriam ter trazido a oferta na sua íntegra como a princípio combinaram, porém voltaram atrás no seu propósito, talvez achando que era muito e resolveram tirar parte da oferta para si e entregar a oferta aos apóstolos como se estivesse completa. O Espírito Santo não admitiu esse ardil dos dois e com isso foram mortos.

6 – AS DÍZIMAS DE ANIMAL ERAM INSPECIONADAS AO SER TRAZIDAS.

Levítico 27.32 No tocante a todas as dízimas do gado e do rebanho, tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao Senhor.

Pela lei mosaica os dízimos referentes dos animais não podiam ser pagos de qualquer maneira, isto é com animais defeituosos ou que não fossem as primícias do rebanho. Para isso os animais eram inspecionados, um a um, de maneira que nenhum deles escapasse das exigências das leis cerimoniais. No tempo de Jesus, quando ele chegou ao templo encontrou os animais em estado impróprio em gaiolas sendo oferecido para venda ali mesmo às pessoas que iam levar o sacrifício ao sacerdote; prática essa, totalmente condenada pelo Senhor e que lhe causou grande indignação.

7. O HOMEM NÃO PODIA ESCOLHER E DAR PARA DEUS O BOM OU O MAL

Levítico 27.33 Não se investigará entre o bom e o mau, nem o trocará; mas, se de alguma maneira o trocar, tanto um como o outro será santo; não serão resgatados.

Tudo que pertencia ao Senhor era chamado santo, porque só podia ser usado pelos sacerdotes, que fossem verdadeiros representantes Dele. Deus não recebia qualquer oferta dos israelitas, pois além da oferta ou dízimo estarem de acordo com a lei, Ele também examinava o coração do ofertante, para saber com que propósito estava ofertando. Assim é para os cristãos, pois não é porque não estamos sob o jugo da lei mosaica, que vamos oferecer qualquer coisa para Deus, ou tentar substituir o dízimo por outra coisa.

8. A LEI FOI DADA PARA UM VIVER SANTO E DEVE SER NOSSO OBJETIVO.

Levítico 27.34 Estes são os mandamentos que o Senhor ordenou a Moisés, para os filhos de Israel, no monte Sinai.

Os dízimos e as ofertas alçadas foram instituídos com o propósito de manter e sustentar o serviço sacerdotal que ministravam, a princípio no Tabernáculo e posteriormente no Templo. Similarmente, nos dias de hoje, tanto os dízimos como as ofertas servem para sustentar aqueles que dedicam suas vidas como ministros e para manter a obra da Igreja. Muitos fazem críticas à entrega do dízimo em nossos dias demonstrando falta de conhecimento teológico acerca do tema. Porém esquecem que para manter um espaço para cultuar a Deus tem os seus custos, como aluguel, luz, água, impostos, material de limpeza, manutenção do espaço, custos com a parte sonora e outras coisas que sempre surgem. Fica a pergunta: quem é que paga tudo isso? É o Pastor? Ou é comunidade. Quem faz críticas quanto a isso deve apresentar outra solução, como eles sabem que não tem ficam mergulhados na sua estupidez.

 


Comentarista: Pastor Adilson Guilhermel
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então use uma das contas abaixo e envie uma oferta
Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta Corrente 942-7 Banco Itaú - Agência 9184 - Conta corrente 05524-3

Fale com o pastor: [email protected]
l