Escola Dominical - Esboços da EBD


Pastor Adilson Guilhermel
Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato
 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 2º trimestre de 2018
Valores Cristãos: Enfrentando as questões morais de nosso tempo

Ética Cristã, Vícios e Jogos

Lição 11 - 10 de Junho de 2018

Texto Áureo : “Melhor é o pouco com o temor do Senhor, do que um grande tesouro onde há inquietação.” (Pv 15.16)

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Provérbios 28.1-10

 

Introdução: Todos os indivíduos tem o direito de escolha, de como conduzir a sua vida, tanto os pecadores, como os cristãos. Porém quanto aos pecadores, as suas escolhas estão envolvidas na ignorância às coisas espirituais, porém o cristão já saiu do tempo da ignorância, pois ele é doutrinado pela palavra divina, como deve se conduzir conforme os preceitos divinos, e nessa condição os seus erros, que significa pecados, lhe são imputados e Deus não tem o culpado por inocente. A pior escolha que alguém pode se envolver é o vício de algo, que se tornando repetitivo passa a se torna um hábito que degenera a vida trazendo sérias sequelas ao viciado e aos que com ele convivem. O vício traz um prazer enganoso, que será sempre seguido de dores, tanto ao próprio viciado, como também para aqueles do seu convívio. O vício está relacionado com a perda, à derrota e, portanto a queda, da qual dificilmente se levantará. Para o cristão a bíblia diz: “Continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se”. Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim.” (Apocalipse 22:11-13)

I - VÍCIOS: A DEGRADAÇÃO DA VIDA HUMANA

1. Procure ficar longe desse vício maldito que é o álcool, se quiser ser salvo.

Lucas 21.34 E olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia.

O vício da bebida alcoólica quase sempre começa com pequenos golinhos, geralmente quando em rodas de amigos, onde sempre vai ter um que vai insistir para que prove um pouquinho, que não tem nada de mais. A insistência maior dos amigos sempre se volta mais quando um crente está participando, e se não vigiar, acaba se deixando levar, já correndo o risco de gostar da coisa. Nem todos tem uma estrutura forte para não estar provando a bebida novamente, e quando isso acontece, já está entrando no caminho do vício. Entrar no vício é fácil, o problema é sair dele. O crente que entra nesse estado passa a estar fora da condição de salvo e como diz a palavra, Jesus vem de improviso e quem não estiver na condição de salvo, certamente não subirá com Ele. Todo crente sempre será tentado a ceder ao mundo e à carne, principalmente em nossos tempos, onde os perigos são ainda maiores. Uma vez que não sabemos quando o Senhor voltará, devemos ser fiéis e estar preparados.

2. Procure ficar longe e nem sequer prove qualquer droga, pois ela escraviza.

Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 1 Coríntios 6:19

Sendo templo de Deus e habitação do Espírito Santo, não podemos profaná-lo usando o nosso corpo para a imoralidade. O cristão que não vigia e passa a entrar no caminho do vício, seja ele qual for estará dando lugar para que esse vício se apodere de si, e contamine todas as áreas de sua vida tornando-se escravo de hábitos destrutivos, que o afetam fisicamente e espiritualmente. A pureza da alma vinda pela santificação age como uma guardiã do templo do Espírito Santo que somos nós e ela evita que coisa imunda entre nele, para que Deus não o abandone por ter sido poluído. O viciado em tudo que é mal fica tão escravizado que considera o seu corpo como se fosse seu próprio, e que pode usá-lo da forma que quiser para obter prazer, não importando como, porém o crente não tem direito algum de alienar o seu corpo, pois ele é do Senhor. Cristo nos comprou para servirmos somente a Ele, e não ao pecado. (Romanos 6.12. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências;).

II - JOGOS DE AZAR: UMA ARMADILHA PARA A FAMÍLIA

1. Procure fugir da ilusão do ganho fácil, pois ele sempre leva a perder fácil.

Jeremias 17.5  Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!.

Por várias vezes os judeus ignoraram buscar a ajuda de Deus quando ameaçados pelos inimigos e por desacreditarem da ajuda divina, em diversas ocasiões buscaram ajuda de outras nações para socorrê-los de prováveis invasões contra eles. Também alguns judeus individualmente com a mentalidade soberba de que sendo filhos de Abraão rejeitavam os profetas verdadeiros que falavam à verdade que eles não queriam ouvir acabavam se tornando rebeldes provocando assim à ira de Deus, tanto como nação, como também individualmente. Com isso procuravam a prosperidade se inclinando a outros deuses, os quais entendiam que eram mais prontamente atendidos e retrucavam que com o Deus verdadeiro as coisas eram mais demoradas. São exemplos que o crente não deve imitar, mas, mesmo assim tem crentes que pensam que Deus tem obrigação de atendê-los prontamente e, isso não acontecendo acabam partindo para outros meios de supostos ganhos fáceis, tal como os jogos de azar tentando obter ganhos rápidos, não sabendo que esses jogos escravizam o homem no vício de jogar, e quanto mais joga mais perde e na tentativa de recuperar o que perdeu acaba jogando mais ainda. Isso tem levado muitos à ruína com perdas de tudo o que tem trazendo também a desgraça na família. Isso acontece com o crente que põe a confiança e si próprio rejeitando a palavra profética das Escrituras Sagradas.

2. Procure monitorar tudo que se trate de jogos no meio da tua família.

Salmos 42.7 Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim. 1 Timóteo 3.4  Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia. 5  (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus? );

O vício na família inicialmente começa com coisas aparentemente inocentes, tais como jogos de baralhos, vídeos games, as redes sociais, novelas e outros mais. O perigo maior é que nem todos tem o controle naquilo que faz e acabam se viciando como que saindo da superfície do abismo vão se afundando cada vez mais, ao ponto de não conseguirem voltar à superfície. O crente que se deixa absorver por esses vícios certamente vai afetar a sua vida espiritual e, em consequência disso deixam de priorizar as coisas do reino de Deus e passam a serem escravos desses vícios. Nesse nosso meio cristão parece que alguns só dão folga para esses vícios, apenas no domingo. O governante do lar deve, e tem a responsabilidade de impedir tudo que tem a aparência do mal no seio da sua família e principalmente com os filhos para não ser participante do mesmo erro.

3. Procure fugir de hábitos nocivos e evite consequências na tua saúde.

Efésios 5.29  Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; 30  Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos.

Na conversão a Cristo ocorreu a vivificação do nosso espírito que estava mortificado com a natureza adâmica. A partir daí temos o nosso espírito ganhou vida e, essa vida, assim como a vida física, também precisa ser alimentada. A vida física é alimentada com os nutrientes para mantê-la viva, e se os nutrientes não forem adequados, essa vida física vai ficar desnutrida e fraca, ou até mesmo doente. Assim também é o espírito que foi vivificado, o qual também precisa ser alimentado a cada dia, com a verdadeira comida espiritual que as Escritura fornecem. Se esse alimento espiritual não for adequado, o espírito se desnutrirá trazendo o enfraquecimento espiritual. Muitos crentes se envolvem tanto com hábitos nocivos à sua espiritualidade negligenciando com as coisas sagradas, que acabam se enfraquecendo e entrando na condição das virgens néscias, com risco de perder a salvação. Jesus não vem buscar crentes carnais e sim os espirituais. Mente vazia das coisas de Deus é oficina do Diabo. (Gálatas 5.24  E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências).

III - VIVAMOS UMA VIDA SÓBRIA HONESTA E FIEL A DEUS

1. Procure renunciar a todo desejo mundano mantendo uma vida sóbria.

Tito 2.12  Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente,

A salvação deve ser entendida com um processo e não um ato, e nesse processo temos que nos manter firmes e constantes, pois ela não é apenas uma mudança de vida, mas também uma mudança de atitudes, que envolve apetites, ambições e ações. Precisamos aceitar toda disciplina doutrinária levando uma vida envolvida com as coisas de Deus e não com as coisas do mundo, pois tudo que há no mundo, não procede do Pai. O cristão deve ter uma vida sensata, com domínio próprio, prudência e moderação. Estamos vivendo nesse século, mas não podemos estar em conformidade com ele nem para ele, como também não devemos nos adaptar aos seus padrões. (Romanos 12.2  E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus).

2. Procure usar a tua liberdade sem se deixar dominar por qualquer vício.

1 Coríntios 6.12  Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.

Todas as coisas nos são lícitas, ou simplificando podemos dizer que temos a liberdade de fazer o que quisermos dentro do nosso livre arbítrio, mas isso pode servir para o povo mundano e não para os seguidores de Cristo. O nosso corpo não pode ser dedicado a propósitos perversos se deixando levar por conceitos falsos de liberdade cristã. Não fomos libertos para voltar à servidão anterior, como um cão que volta ao próprio vômito, ou como a porca lavada que volta ao espojadouro de lama. Devemos nos vigiar constantemente, e sempre se qualquer atividade a princípio distrativo vai ser de fato proveitosa para a nossa vida espiritual e sempre analisando o que nos convém e o que não nos convém. 

 


Comentarista: Pastor Adilson Guilhermel
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então use uma das contas abaixo e envie uma oferta
Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta Corrente 942-7 Banco Itaú - Agência 9184 - Conta corrente 05524-3

Fale com o pastor: [email protected]
l