Escola Dominical Esboços da EBD
Página Inicial     Agenda     Escola Dominical     Estudos Bíblicos   Contato
 

Escola Dominical - Esboços da EBD
Lições do 2º trimestre de 2018
Valores Cristãos: Enfrentando as questões morais de nosso tempo

 

 

Ética Cristã e Vida Financeira

3 de Junho de 2018 - Lição 10

Texto Áureo: “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer?” (Is 55.2a)

Leitura Bíblica em Classe: 1 Crônicas 29.10-14; 1 Timóteo 6.8-10

Introdução: Podemos ter bons hábitos em nossa vida financeira procurando conhecer o que a bíblia ensina sobre as nossas finanças. A vida financeira tem importância em nosso dia a dia e quase em todas as nossas atividades possuem relação com ela. As nossas finanças não podem ser negligenciadas, pois se fizermos isso daremos lugar a muitos problemas e quando esses problemas surgem, com eles vêm os efeitos de ordem psíquica, que podem prejudicar relacionamento conjugal, saúde, baixa estima, estresse e outros. A bíblia diz que o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males. Ela não diz que ter dinheiro é um mal e sim ter amor ao dinheiro que é um mal e isso significa que não podemos ficar focados no dinheiro o tempo todo. Durante a nossa caminhada precisamos entender que enfrentaremos tempos difíceis, onde teremos que passar por dificuldades financeiras imprevistas e se não formos prudentes nessa questão o desespero virá e nem todos tem estrutura para suportar. O homem prudente não gasta o seu dinheiro com coisas incertas que não satisfazem e nem o deixam completamente tranquilo, pois a bíblia diz que tudo isso é vaidade e aflição de espírito. Temos que procurar satisfação somente em Cristo, o qual é o caminho que assegura o que Ele deseja para nós.

1. Louve a Deus, pois Ele é a fonte de todo bem que podemos conquistar.

1 Crônicas 29.10 Por isso Davi louvou ao Senhor na presença de toda a congregação; e disse Davi: Bendito és tu, Senhor Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade.

Davi em todo tempo após tendo sido ungido Rei de Israel, mesmo antes de ser empossada, coisa que só aconteceu após a morte do seu maior perseguidor que foi o Rei Saul, ele sempre teve a preocupação de acumular riquezas. Essas riquezas a qual acumulava vinham de uma fonte de inspiração visando à construção do templo em Jerusalém, templo esse que ele não pode construir, mas que contribuiu para a construção com grande parte das riquezas conquistadas. Em todas as suas conquistas, Davi sempre reconheceu que sem Deus, ele jamais teria conseguido tudo o que acumulou de riquezas. Louve a Deus pelo que você tem e honre a Ele com ofertas para o Seu reino.

2. Louve a Deus, pois tudo que existe nos céus e na terra pertence a Ele.

1 Crônicas 29.11 Tua é, Senhor, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, Senhor, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos.

Davi tinha um propósito quanto a construção do templo, e esse propósito era exaltar o nome do Senhor com pureza de coração reconhecendo o seu controle total sobre o Universo e ao Seu grande poder. Precisamos reconhecer que Deus é o dono de tudo, tanto nos céus como na terra, sendo Ele a fonte de todos os benefícios. Esse Deus que sonda os corações viu em Davi todas as condições para ser um homem segundo o seu coração e isso foi o essencial para que em todas as pelejas estivessem marcadas pela vitória. Deus tem planos na vida de cada um de nós, pois todos os destinos estão em suas mãos e por essa razão Ele é exaltado acima de tudo e de todos. (Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Tiago 1:17).

3. Louve a Deus, pois Ele é a origem de toda riqueza e de todo bem estar.

1 Crônicas 29.12 E riquezas e glória vêm de diante de ti, e tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder; e na tua mão está o engrandecer e o dar força a tudo.

O sucesso financeiro de Davi estava em não pensar e se fazer a si mesmo, pois tudo que conquistava, ele atribuía à fonte divina, a qual estava presente em toda a sua vida. Ele não tinha o coração voltado ao materialismo financeiro e isso é algo que agrada a Deus, o qual retribui com bênçãos de prosperidade tanto material, como espiritual.   

4. Louve a Deus, pois Ele como nosso provedor é digno de honra e glória.

1 Crônicas 29.13 Agora, pois, ó Deus nosso, graças te damos, e louvamos o nome da tua glória.

A gratidão que devemos a Deus não pode ficar oculta, mas ela deve ser anunciada e testificada, pois ela serve como um rico testemunho que exalta o Deus provedor das nossas necessidades materiais. (Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão. Salmos 37:25).

5. Louve a Deus, com ofertas voluntárias, pois tudo que temos vem dele.

1 Crônicas 29.14 Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos.

Tudo que oferecemos ao Senhor, na realidade não é nosso, pois tudo pertence a Ele e nada seriamos se Deus não tivesse agido em nosso favor. É com esse pensamento de voluntariedade em ofertar a Ele, que podemos alcançar as provisões divinas durante a nossa trajetória de vida, visto que ninguém tem coisa alguma que não seja dada por Deus, o qual é a fonte de toda provisão. Deus quer nos proporcionar o melhor, mas Ele espera de nós que venhamos a retribuir com o melhor. (Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito? Salmos 116:12). 

6. De graças e se contente por ter o sustento das necessidades básicas.

1 Timóteo 6.8 Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.

As nossas necessidades básicas devem estar focadas no sustento alimentar da família, com um vestuário simples, com o que nos cobrirmos, recursos para médicos e remédios e moradia. Isso é o básico que devemos labutar para ter, mas isso não significa que se tivermos condições de termos, além disso, sem prejudicar o básico, é lógico que devemos buscar. Porém tudo exige esforço para conseguir, tanto o básico, como além do básico. O que não podemos é acreditar em falsas promessas de líderes inescrupulosos que iludem o povo com aquilo que a bíblia não dá base para isso. (Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Filipenses 4:12).

7. De graças por resistir às tentações quanto a todos os desejos de riqueza.

1 Timóteo 6.9 Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.

O cristão que almeja alcançar posses, não tem qualquer impedimento para isso, desde que não seja movido pela ganância, pois esse é um mal que leva as pessoas à tentação, armadilhas e concupiscências loucas e nocivas. Jesus não censurou o jovem rico por ele ser rico, mas sim porque o coração desse jovem estava totalmente voltado para a sua riqueza. A parábola do rico insensato não é para que as pessoas não busquem riquezas, mas ela mostra que esse rico colocou a sua segurança na riqueza que possuía achando que não precisava de mais nada, nem de Deus. Quem vive mergulhado na ganância e cheio de avareza com aquilo que conquista pode ter perdas, tanto nessa vida, como na vida após a morte, isso se os seus desejos materiais o absorverem ao ponto de se afastar de Cristo. (Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. Lucas 16:13).

8. De graças por não deixar que o materialismo te cegue e distancie da fé.

1 Timóteo 6.10 Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

A nossa verdadeira riqueza é ter Deus em nossa vida, com um pensamento elevado das coisas terrestres, entendendo que tudo é propriedade dele, e não nossa. A obra de Cristo deve ser a nossa grande obra acima de todo materialismo, pois somos nesse plano terreno representantes do Senhor Jesus Cristo. (Eclesiastes 5:10 Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade.).

 


Comentarista: Pastor Adilson Guilhermel
QUER AJUDAR ESTA OBRA? Então use uma das contas abaixo e envie uma oferta
Caixa Econômica Federal - Agência 1613 - Conta Corrente 942-7 Banco Itaú - Agência 9184 - Conta corrente 05524-3

Fale com o pastor: [email protected]
l